Menu
2019-11-25T14:28:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Impostos e contribuições federais

Arrecadação de impostos em outubro soma R$ 135,202 bilhões

Resultado veio dentro do intervalo de expectativas de 20 instituições ouvidas pelo Broadcast Projeções, que ia de R$ 115,300 bilhões a R$ 141,500 bilhões, mas abaixo da mediana de R$ 138,835 bilhões

25 de novembro de 2019
11:44 - atualizado às 14:28
Arrecadação
Imagem: Shutterstock

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 135,202 bilhões em outubro, com leve queda em relação ao mesmo mês de 2018 (-0,02%, já descontada a inflação), segundo a Receita Federal. Em relação a setembro deste ano, houve aumento real de 18,55%.

Na semana passada, o secretário especial da Receita Federal, José Tostes Neto, antecipou que o resultado da arrecadação ficaria em cerca de R$ 135 bilhões.

O resultado veio dentro do intervalo de expectativas de 20 instituições ouvidas pelo Broadcast Projeções, que ia de R$ 115,300 bilhões a R$ 141,500 bilhões, mas abaixo da mediana de R$ 138,835 bilhões.

Entre janeiro e outubro deste ano, a arrecadação federal somou R$ 1,264 trilhão, o melhor desempenho para o período desde 2014. O montante ainda representa avanço de 1,92% na comparação com igual período do ano passado. Na semana passada, o secretário havia dito que o valor alcançaria R$ 1,140 trilhão no ano.

A arrecadação de royalties de petróleo puxou para baixo a arrecadação em outubro. As receitas administradas por outros órgãos (compostas principalmente pelos royalties) caiu 15,44% no mês passado. O pagamento de royalties varia de acordo com o preço do petróleo, do dólar e do volume de produção.

Desonerações

As desonerações concedidas pelo governo resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 78,475 bilhões entre janeiro e outubro deste ano, valor maior do que em igual período do ano passado, quando ficou em R$ 72,072 bilhões. Apenas no mês de outubro, as desonerações totalizaram R$ 7,765 bilhões, também acima do registrado em outubro do ano passado (R$ 7,379 bilhões).

Só a desoneração da folha de pagamentos custou aos cofres federais R$ 603 milhões em outubro e R$ 6,969 bilhões no acumulado do ano.

Imposto de renda

No mês de outubro, a arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Física aumentou 21%. Contribuiu para isso o aumento no recolhimento de tributos sobre ganhos em bolsa, que subiu 570% em relação ao mesmo mês do ano passado, somando R$ 318 milhões.

No ano, a arrecadação de tributos sobre o lucro das empresas (IRPJ e CSLL) subiu 12,63%, puxando o resultado do ano, que sobe 1,92%.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São tantas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies