Menu
2019-06-27T20:35:25-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
duras críticas

‘Não entendo o que ele está fazendo’, diz Rogério Xavier sobre a postura do BC

O sócio-fundador da SPX criticou a resistência de Campos Neto em reduzir a taxa de juros, mesmo diante de dados fracos da economia e uma visão do mercado de que a reforma da Previdência vai passar

27 de junho de 2019
16:22 - atualizado às 20:35
Rogério Xavier SPX
Rogério Xavier, sócio da SPX - Imagem: Leo Martins

O sócio-fundador da SPX Capital, Rogério Xavier, diz que não consegue entender as reações recentes do Banco Central (BC). A instituição, presidida por Roberto Campos Neto, tem mantido sucessivamente a taxa básica de juros (Selic) a 6,5%.

Segundo Xavier, a decisão de manter a Selic no mesmo patamar não faz sentido. Para ele, a aprovação da reforma da Previdência é dada como certa e, mesmo que o projeto não passe, não será a taxa em 6,5% que vai segurar o câmbio.

"Não consigo entender, a partir dos comunicados, a reação de política monetária", disse Xavier. "Quando vejo a economia, e olho pra ata do Copom, eu não entendo o que ele [BC] está fazendo".

O sócio-fundador da SPX disse que, passado um ano com a mesma taxa Selic, não parece que ela esteja tão estimulativa quanto o Banco Central tem pregado. "O fato é que parece que a economia está muito anêmica e precisa de estímulo", disse Xavier, que participou hoje de um evento promovido pelo BTG Pactual.

Postura

Para Xavier, a postura do BC estaria relacionada ao fato do presidente da instituição, o Campos Neto, ter assumido a cadeira há pouco tempo. Ele disse ainda que Neto poder estar sofrendo da "síndrome de presidente novo do BC" e que quer ser "durão" para ganhar credibilidade do mercado.

Sobre a Previdência, ele disse ainda que espera bom senso do presidente da República, para que outras reformas possam ser encaminhadas. No entanto, afirmou que o projeto não injetará investimentos nos País. "A Previdência vai nos manter solventes".

O presidente do BC e o diretor de Política Econômica, Carlos Viana, disseram hoje, em coletiva para divulgação do Relatório de Inflação, que não existe relação direta e mecânica entre aprovação da reforma da Previdência e a condução da política monetária.

Ao contrário do que o mercado aposta, de que a Selic cai quando a reforma passar na Comissão Especial, no plenário da Câmara ou do Senado, o Copom avalia como a aprovação da reforma afetará a trajetória futura da inflação.

“Não tem relação mecânica. São vários fatores que consideramos. Por isso falamos em balanço de riscos. Não é a reforma em si. É como a reforma afeta a inflação”, disse Campos Neto.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

a hora e a vez do rali do câmbio

Dólar cai forte e fecha no menor nível desde julho; confira 5 razões para a queda da moeda

A moeda americana terminou novembro em queda firme e iniciou dezembro da mesma forma, tombando 2%. O que explica esse movimento? O Seu Dinheiro explica

dados do ministério da saúde

Covid-19: Brasil tem 173,8 mil mortes e 6,38 milhões de casos

Em 24 horas, foram registrados 50.909 diagnósticos positivos para a doença

pandemia

Vacinação contra covid-19 deve começar com profissionais da saúde, idosos e indígenas

Proposta preliminar foi discutida em reunião realizada hoje (1º) com a participação do Ministério da Saúde e outras instituições

seu dinheiro na sua noite

Onde eu devo investir meu dinheiro agora?

A pergunta do título é talvez a que eu mais ouço de amigos, parentes e colegas por trabalhar na cobertura de finanças e investimentos. Tenho certeza de que não é muito diferente para aqueles que trabalham no mercado financeiro como analistas, operadores e consultores financeiros e de investimentos. Esteja o profissional credenciado para dar recomendação […]

Bom negócio?

Itaú eleva preço-alvo das ações da Moura Dubeux

A companhia destacou uma sólida tendência de vendas até o momento no quarto trimestre, impulsionada pela “impressionante” velocidade de vendas dos empreendimentos lançados recentemente.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies