Menu
2019-04-05T10:19:08-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo governo no Rio

Witzel quer se reunir com presidente da Petrobras para discutir medidas para o Porto de Açu

Em coletiva após cerimônia de posse, novo governador do Rio prometeu melhora na arrecadação e combate à sonegação para atacar déficit estadual

1 de janeiro de 2019
11:01 - atualizado às 10:19
Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro
Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro - Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

O novo governador do Rio, Wilson Witzel, disse, nesta terça-feira (1º), que pretende se reunir com o próximo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para discutir medidas prioritárias às atividades da petroleira relacionadas ao Porto de Açu.

"Queremos garantir as condições para que todas as empresas que pretendem usar o porto para exportação tenham a condição de fazê-lo", disse a jornalistas após a cerimônia de posse do governo fluminense.

Em coletiva de imprensa, Witzel prometeu ainda combate ao crime organizado, tráfico de drogas, corrupção e lavagem de dinheiro. "Após o dia 12, iremos divulgar as medidas a serem tomadas nos 100 primeiros dias de governo", disse.

Segundo Witzel, suas prioridades para melhorar as contas do estado é combater a sonegação e melhorar o desempenho da arrecadação.

Questionado sobre uma possível elevação da carga tributária, Witzel defendeu que não é possível falar em aumento de impostos antes de ter uma estrutura organizada para cobrar devedores. Caso contrário, continuou, os bons pagadores seriam sobrecarregados.

"A questão orçamentária é a mais urgente para nós. Estive reunido com o secretário de Fazenda e fiquei muito feliz de saber que é possível enfrentar, sim, esse déficit de R$ 8 bilhões", ressaltou, aos jornalistas.

Witzel tomou posse nesta terça-feira (1º), no Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Participaram da solenidade o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o prefeito carioca, Marcelo Crivella.

Crivella pretende se reunir com Bolsonaro para renegociar dívidas do Rio

Na chegada à cerimônia de posse de Witzel na Alerj, Crivella defendeu uma ida a Brasília ao lado do governador recém-empossado para discutir com o governo Bolsonaro uma renegociação da dívida do município e do estado. Crivella reclamou dos juros praticados pelo BNDES.

"A Olimpíada foi, como todos nós sabemos, um momento em que o município e o Estado gastaram muito, e também foram vítimas de episódios horrorosos de corrupção. Foram bilhões de reais que sufocam as contas públicas", disse o prefeito a jornalistas.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

O melhor do seu dinheiro

Freud, Itaú e o ETF dos millennials, o que esperar da Super Quarta, o preço da passagem espacial e outros destaques

Freud dedicou parte de seus estudos a tentar desvendar a tal “alma feminina”. Até que um dia jogou a toalha e reconheceu estar longe de responder o que, afinal, querem as mulheres. Se o pai da psicanálise vivesse hoje, imagino que o objeto de curiosidade talvez fosse outro: os chamados millennials. A expressão surgiu para […]

O tempo fechou

Crise hídrica piora clima da votação sobre privatização da Eletrobras

Na semana passada, líderes do Senado aumentaram a reação à MP e ameaçaram derrubar a proposta, pedindo até que o texto não fosse pautado

Esquenta dos Mercados

Indicadores econômicos dos EUA devem movimentar o dia, com aumento da cautela antes da ‘Super Quarta’

Depois de um pregão ignorando a Super Quarta, Ibovespa deve sentir o peso da cautela antes da decisão de política monetária no Brasil e nos EUA

E a fila aumenta

BR Partners faz registro de IPO que pode movimentar até R$ 620 milhões

Banco de investimentos fundado por Ricardo Lacerda pretende fazer uma oferta pública de Units, com faixa de preço entre R$ 16 e R$ 19

Pedido ao presidente

Instituto Aço Brasil pede a Bolsonaro para não reduzir tarifa de importação

Na visão do presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes, não há cenário de excepcionalidade que justifique tal medida

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies