Menu
2019-01-25T13:01:02-02:00
Estadão Conteúdo
Caminhoneiros

Ministério da Economia ataca tabelamento do frete e chama grevistas de “conspiradores”

Segundo o documento, os caminhoneiros, “ao abusarem do direito de greve, conspiraram, de forma anticompetitiva, para coagir autoridades públicas”

25 de janeiro de 2019
13:01
Greve dos caminhoneiros
Imagem: Douglas Magno/Estadão Conteúdo

Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF) na última quinta-feira (24), a Secretaria de Promoção da Produtividade e Advocacia da Concorrência do Ministério da Economia atacou duas medidas tomadas pelo governo de Michel Temer para enfrentar a greve dos caminhoneiros no ano passado, entre elas o tabelamento do frete.

O documento também chama os grevistas de "conspiradores" que abusaram do direito de "greve" para coagir autoridades públicas.

O documento do Ministério da Economia rechaça a edição das medidas provisórias 831 e 832 de 2018, que foram resultado de um acordo firmado pelo Palácio do Planalto com caminhoneiros para pôr fim à greve que tomou conta do País em maio do ano passado.

A primeira medida reservou 30% do frete contratado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para cooperativas de transporte autônomo, sindicatos e associações de autônomos - o texto previa a contratação dos transportadores sem licitação.

A segunda medida provisória contestada no documento foi a que permitiu à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fixar um valor mínimo para o frete no transporte rodoviário de cargas.

O texto do Ministério da Economia sustenta que as duas medidas tomadas pelo governo Temer não tiveram "natureza pública, e sim privada, em razão de materializar a vontade dos conspiradores".

"A situação de calamidade por que passou o País naqueles dias colocou as autoridades públicas sem alternativa senão atender às demandas do movimento grevista, ainda que em detrimento do bem-estar social", diz o documento, que alega que as duas medidas "retratam, de forma fidedigna, a coação por que passaram as autoridades do Poder Executivo".

A manifestação do Ministério da Economia é assinada por Roberto Domingos Taufick (assessor do secretário de promoção da produtividade e advocacia da concorrência) e Ângelo José Mont'Alverne Duarte (subsecretário de promoção da produtividade e advocacia da concorrência).

O documento foi anexado aos autos de uma ação da Associação do Transporte Rodoviário de Cargas do Brasil (ATR Brasil) que questiona no Supremo Tribunal Federal a política do preço mínimo do frete.

Conspiradores

Segundo o documento, os caminhoneiros, "ao abusarem do direito de greve, conspiraram, de forma anticompetitiva, para coagir autoridades públicas à edição de legislação que lhes garanta benefícios econômicos, em detrimento do bem-estar social - legislação essa, fruto da coação, que, ao fixar preços, reservar mercados e determinar a participação dos aqui citados no processo de determinação do preço (artigo 6 da Lei 13.703, de 2018) também institucionaliza um cartel".

Ao finalizar o documento, o subsecretário e o assessor da Secretaria de Promoção da Produtividade e Advocacia da Concorrência do Ministério da Economia afirmam esperar "contribuir com o esforço de apuração" das condutas dos caminhoneiros, "tanto para a imposição de sanção administrativa, quanto para a imposição de penalidade criminal".

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Ajuda na crise

Guedes revela o valor do novo auxílio emergencial e diz que governo pode gastar mais se necessário

Os valores da nova rodada de auxílio emergencial irão de R$ 175 a R$ 375, sendo R$ 250 em média, de acordo com o ministro

apetite chinês

O ano do boi será o ano dos frigoríficos, e o Credit Suisse aponta melhor ação para aproveitar o momento

Peste suína africana nos rebanhos de suínos chineses e demanda por alimentos devem resultar em importação recorde de carne pela China

prepara o bolso

Mais um? Petrobras anuncia novo aumento nos preços do diesel e da gasolina

Diesel vai subir R$ 0,15 por litro e a gasolina será de R$ 0,23 por litro a partir de amanhã nas refinarias da empresa, diz Abicom

Interrompendo o casamento

Movida reforça pedido do Cade para barrar união entre Unidas e Localiza

De acordo com a companhia, isso geraria uma concorrência desleal no setor, com a nova empresa tendo 65% do mercado brasileiro de aluguel e 29% do mercado de frotas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies