Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-04T14:53:39-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Fundos de ações emergentes receberam US$ 70,5 bilhões em 2018

Dados são da EPFR Global que também mostrou que Brasil ficou com apenas US$ 588 milhões

4 de janeiro de 2019
14:53
mercados emergentes
Imagem: Shutterstock

Na avaliação da EPFR Global, o fluxo de recursos para os mercados de ações emergentes foi surpreendentemente robusto em 2018. Os ingressos aconteceram mesmo com uma mistura de notícias potencialmente negativas, como queda no preço das commodities, aperto monetário nos EUA, guerra comercial, eleições na América Latina e sinais de menor crescimento da China.

Os dados preliminares para o ano mostram que todos os fundos emergentes acompanhados levantaram US$ 70,552 bilhões, sendo US$ 26,663 bilhões ao longo do último trimestre do ano. Em 2017, esses mercados tinham recebido aportes de US$ 84,723 bilhões (veja tabela abaixo). A EPFR acompanha mais de 100 mil fundos ao redor do mundo, com cerca de US$ 34 trilhões em ativos.

O destaque ficou com a categoria Ásia (excluindo Japão), com captação recorde de US$ 53,3 bilhões, ante US$ 24,9 bilhões em 2017. A consultoria chama atenção para os fundos da China que tiveram aporte recorde de US$ 34,9 bilhões, apesar da queda de 24% do índice da bolsa de Shanghai e evidências de forte desaceleração econômica ao longo do segundo semestre.

Brasil e México

Para a EPFR, a história de reformas econômicas, contada por dois “presidentes populistas” eleitos no Brasil e no México ajudou na captação de recursos não só em 2018, mas já neste começo de 2019, pois os fundos dedicados aos dois países seguem recebendo dinheiro novo.

Na abertura dos números por país, no entanto, os fundos voltados ao Brasil ficaram com apenas US$ 588 milhões, contra US$ 2,640 bilhões vistos em 2017.

Com desempeno melhor, os fundos voltados ao México receberam US$ 1,691 bilhão, resultado recorde, depois da perda de US$ 908 milhões em 2017.

 

Fluxo para emergentes selecionados. - Imagem: EPFR GLOBAL

Mercados desenvolvidos

Entre os mercados desenvolvidos, a captação total somou US$ 49,4 bilhões, forte recuo em comparação com os US$ 211,8 bilhões de 2017. O destaque ficou com os fundos do Japão, que levantaram a soma recorde de US$ 66,2 bilhões. Já os fundos dos EUA amargaram perda de 101,8 bilhões, depois de perda de US$ 34,8 bilhões em 2017.

A adoção de postura mais cautelosa dos investidores, principalmente no último trimestre do ano, transparece nos US$ 197 bilhões levantados pelos “Money Market Funds”, veículos de investimento de baixo risco e maior liquidez. No acumulado do ano, no entanto a categoria terminou com aportes de US$ 162 bilhões, abaixo dos US$ 173,7 bilhões de 2017.

Fluxo para países desenvolvidos e emergentes. - Imagem: EPFR Global
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

VÍDEO

O metaverso numa casca de noz: os analistas do Seleção Empiricus mostram como investir nas tendências do futuro

Confuso com o metaverso? Pois saiba que é possível ganhar dinheiro com ele hoje — e os analistas do Seleção Empiricus mostram como

bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) luta para se manter nos US$ 56 mil, mas Solana (SOL) e Cardano (ADA) sobem após notícias positivas; confira

A pandemia de covid-19 pressiona os ativos de risco, como ações e criptomoedas; o bitcoin (BTC) segue em queda

O futuro é roxo?

Nubank quer ser a maior fintech do mundo, não só da América Latina, e pode vir a ser ‘muito lucrativo’, diz BTG

Analistas do BTG destacaram os principais pontos da apresentação dos fundadores do Nubank a investidores, e consideram que, para justificar o valuation de US$ 40 bi no IPO, roxinho terá de atingir um retorno de 30% em cinco anos

Metaverso

Metaverso: o que é essa tecnologia do futuro? Saiba mais sobre o mundo virtual

Analista explica que a tendência é de grandes investimentos nesse mundo paralelo nos próximos anos; confira o vídeo

NÃO ATRAPALHOU

O copo meio cheio do PIB: Entenda por que a bolsa sobe com vigor apesar da recessão técnica da economia brasileira

Resultado do PIB alinhado às projeções faz com que investidores se concentrem nos preços altamente descontados das ações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies