Menu
2019-05-03T11:17:05-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Por US$ 62 milhões

‘Movimento estratégico’: veja a reação dos analistas à compra da Netshoes pelo Magazine Luiza

As ações do Magazine Luiza reagem positivamente ao anúncio de compra da Netshoes. Os analistas elogiaram a operação, embora tenham feito algumas ressalvas

30 de abril de 2019
11:44 - atualizado às 11:17
Site da Netshoes
Ações do Magazine Luiza sobem forte nesta terça-feira - Imagem: Reprodução

Numa terça-feira pouco movimentada no Ibovespa, uma ação destoou do restante: Magazine Luiza ON (MGLU3), que avançou mais de 7% e teve a o melhor desempenho do índice, na esteira do anúncio de aquisição da Netshoes, por US$ 62 milhões.

O valor equivale a US$ 2 por ação da empresa de comércio eletrônico — cifra 4,5% abaixo do valor de fechamento dos papéis da Netshoes no pregão de ontem. Com a proposta, o Magazine Luiza derrotou a B2W, que também estava na disputa pelo site de produtos esportivos.

Em linhas gerais, os analistas consideraram a operação como positiva para o Magazine Luiza, destacando o potencial de diversificação da plataforma online da companhia com a incorporação da Netshoes. O preço relativamente baixo da transação também foi elogiado.

Mas, por outro lado, os analistas ressaltam que o Magazine Luiza não tem um histórico relevante de crescimento via fusões e aquisições, e as dificuldades enfrentadas pela Netshoes podem trazer  "distrações" à empresa.

As ações ON do Magazine Luiza fecharam em alta de 7,14%, a R$ 191,26 — já o Ibovespa avançou 0,17%, aos 96.353,33 pontos.

As ações da Netshoes, por outro lado, despencaram 24,5% em Nova York, a US$ 2,00 — exatamente o valor acertado pelo Magazine Luiza na operação.

Itaú BBA — Um pouco mais de risco de execução, mas por um bom preço

Recomendação: Market perform (neutro)
Preço-alvo: R$ 171,00

"Acreditamos que o mercado reagirá positivamente à notícia, dado o valuation implícito relativamente barato da operação"

"O Magazine Luiza está entrando em novas categorias que ainda não haviam sido contempladas pelo canal online, o que pode dar sustentação ao objetivo de aumentar a frequência de compras"

"O Magazine Luiza registrou crescimento orgânico consistente, e uma compra pode gerar potenciais distrações, particularmente em meio às dificuldades financeiras e operacionais da Netshoes"

"Apesar de acreditarmos que essa transação será positiva como um todo, ainda gostaríamos de entender a estratégia geral do Magazine Luiza antes de fazer quaisquer suposições a respeito do potencial de crescimento e de sinergias a partir dessa operação".

BTG Pactual — Ganhando escala para uma plataforma mais ampla de e-commerce

Recomendação: Compra
Preço-alvo: R$ 151,00

"A aquisição do Netshoes pelo Magazine Luiza faz sentido estratégico como uma unidade separada de negócios"

"Para o Magazine Luiza, desenvolver do zero sua própria unidade de negócios focada em artigos esportivos seria possível, mas os custos crescentes de aquisição de clientes (CAC) limitariam a rentabilidade dessa estratégia"

"Assim, a compra do Netshoes, que ainda tem uma marca forte no Brasil, significa acelerar a penetração numa vertente diferente, em linha com a estratégia da empresa de ter uma ampla variedade de tráfego em seu website"

Bradesco BBI — O sapato é do tamanho certo?

Recomendação: Neutro
Preço-alvo: R$ 170,00

"O movimento é consistente com a estratégia de aprofundar a variedade de produtos e providencia a base necessária para que o Magazine Luiza tenha relevância em categorias em que o ganho orgânico de escala seria mais difícil"

"Após descontinuar suas atividades B2B e suas operações na Argentina e no México, acreditamos que a Netshoes é um ativo mais digerível. Dito isso, ressaltamos que o turnaround da operação central da companhia no Brasil ainda está em andamento"

"Também notamos que já faz algum tempo desde a última aquisição de grande porte do Magazine Luiza — as transações mais recentes foram menores e majoritariamente direcionadas ao fortalecimento do ecossistema online da companhia".

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements