🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
Para compensar o atraso

Equipe econômica quer reforma ainda mais dura para militar

Objetivo é buscar uma economia maior que os R$ 92 bilhões projetados para os primeiros dez anos

Militares
Militares - Imagem: Shutterstock

A equipe econômica quer convencer o presidente Jair Bolsonaro a propor uma reforma ainda mais dura para o regime de aposentadoria das Forças Armadas, segundo apurou o Estadão/Broadcast. A intenção é buscar uma economia maior que os R$ 92 bilhões projetados para os primeiros dez anos. O aperto na reforma dos militares é considerado necessário para fazer frente ao custo que a reestruturação das carreiras terá para os cofres públicos.

Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo, o projeto entregue pelo Ministério da Defesa resultaria num custo extra líquido de R$ 10 bilhões na primeira década. O saldo ficaria positivo, com economia maior que o gasto com as carreiras, só nos anos seguintes.

O governo já havia se tornado alvo de críticas por ter demorado 30 dias para enviar o projeto dos militares. Para evitar novo mal-estar pelo custo extra, a área econômica agora busca apertar a reforma para a categoria e garantir que haverá impacto positivo para as contas públicas. Essa negociação está sendo conduzida com o Ministério da Defesa. Uma reunião hoje com o presidente selará os últimos detalhes do texto, que deve chegar no mesmo dia ao Congresso.

Uma das alternativas em análise seria dificultar o acesso dos militares às chamadas integralidade (aposentadoria com o último salário) e paridade (reajustes iguais aos da ativa).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ontem que não há mais espaço para defender a paridade e é "difícil" garantir a integralidade. "Paridade não há mais quem defenda. Integralidade há ainda quem defenda. Temos de discutir todos os pontos para ver o que gera impacto fiscal positivo para os brasileiros", disse Maia, que prometeu criar uma comissão especial para analisar a proposta dos militares.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, que esteve ontem com a bancada do MDB, garantiu que a proposta dos militares vai resultar em economia para os cofres públicos "ao longo e ao fim" de dez anos. Segundo ele, algumas opções serão apresentadas hoje para Bolsonaro bater o martelo. "Prefiro não falar de números, mas as alternativas todas contemplam superávit para o Tesouro. O valor vai depender do presidente."

Na proposta entregue pelos militares, a "cota de sacrifício" da categoria pela reforma já prevê aumento gradual da contribuição previdenciária dos atuais 7,5% para 10,5% e elevação do tempo mínimo de contribuição de 30 anos para 35 anos. A nova exigência de tempo valeria apenas para os novos - dos atuais, seria cobrado um pedágio de 17% sobre o tempo que falta hoje para a aposentadoria.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhe

Esquenta dos Mercados

Aprovação do Orçamento 2021 e dados da inflação dos EUA devem ficar no radar do investidor

26 de março de 2021 - 8:01

Apesar de ser uma boa notícia, o Orçamento veio com quatro meses de atraso e conta com gastos que podem não animar

polêmica

Congresso aprova Orçamento de 2021 com “festa de emendas” e que arrisca teto de gastos

26 de março de 2021 - 6:53

Lei orçamentária prevê mais verbas para emendas parlamentares e militares e corte nas despesas obrigatórias de Previdência Social

E SEGUE A TESOURA

Cortes vão afetar tropa estratégica do Exército

1 de setembro de 2019 - 10:06

O Exército teve 28% de seus gastos discricionários contingenciados pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. A medida foi tomada em razão da estimativa de rombo nas contas do governo deste ano

Previdência em pauta

Vitor Hugo: ‘Vamos tentar acordo para profissional de segurança na reforma’

5 de julho de 2019 - 11:01

Deputado Major Vitor Hugo também afirmou durante a entrevista à rádio CBN que é interessante para o governo, se houver condições políticas, colocar Estados e municípios na reforma da Previdência

mais cortes

Governo corta 44% de verbas das Forças Armadas

8 de maio de 2019 - 10:06

Com crise deflagrada entre militares e “olavistas” no governo, o alto comando das Forças Armadas recebeu o comunicado de maior contingenciamento nesta terça-feira

farpas no governo

Bolsonaro exalta Olavo, elogia militares e diz esperar pelo fim das rusgas

7 de maio de 2019 - 11:26

Bolsonaro afirma que a obra de Olavo de Carvalho foi determinante para sua eleição presidencial em 2018 e reconhece o trabalho do escritor contra a esquerda

Tá bem na fita

Forças armadas é a instituição mais confiável para os brasileiros, diz Datafolha

13 de abril de 2019 - 10:57

Levantamento aponta que 45% dos entrevistados dizem “confiar muito” em Exército, Marinha e Aeronáutica

Apoio oficial ao projeto

Bancada do PSL na Câmara fecha questão em favor da reforma da Previdência

28 de março de 2019 - 12:30

Líder do partido na Câmara, o deputado delegado Waldir (GO), criticou o projeto de reestruturação das carreiras das Forças Armadas e da aposentadoria dos militares encaminhado pelo governo

Orientação aos quartéis

Bolsonaro estimula celebração do golpe militar de 64

25 de março de 2019 - 12:10

Generais da reserva que integram o primeiro escalão do Executivo pedem cautela no tom para evitar ruídos desnecessários diante do clima tenso e dos riscos de novas polêmicas

Desagrado geral

Reforma de militares tem regras mais brandas que as do INSS e de servidores

22 de março de 2019 - 11:44

Reestruturação das carreiras das Forças Armadas sofre forte resistência no Congresso, inclusive do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies