Menu
2019-12-30T16:37:33-03:00
Estadão Conteúdo
MERCADO AQUECIDO

Financiamento imobiliário chega a R$ 7,78 bilhões em novembro, maior nível em quatro anos

Já entre dezembro de 2018 e novembro de 2019, houve aumento de 38,3% no volume de empréstimos em comparação com o período anterior.

30 de dezembro de 2019
16:37
Imóveis
Imagem: Shutterstock

O crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançou R$ 7,78 bilhões em novembro, melhor resultado mensal desde maio de 2015. Em comparação com o mesmo mês de 2018, o crescimento dos valores foi de 59,6%. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 30, pela Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

De acordo com o Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança, o montante representa alta de 3,3% em relação ao mês de outubro, quando o setor registrou R$ 7,53 bilhões financiados.

Já entre dezembro de 2018 e novembro de 2019, houve aumento de 38,3% no volume de empréstimos em comparação com o período anterior. O valor passou de R$ 55,2 bilhões para R$ 76,09 bilhões. O boletim da Abecip também ressalta a rentabilidade acumulada no Índice Imobiliário Ibovespa, que chegou a 45,29%.

O maior volume de financiamentos imobiliários é gerenciado pela Caixa. Nas modalidades aquisição e construção, a carteira do banco público totaliza R$ 22,8 bilhões em pouco mais de 88 mil unidades. Em segundo lugar está o Bradesco, com R$ 16,2 bilhões financiando 63,4 mil imóveis. Já o Itaú Unibanco conta com cerca de 49 mil clientes em aquisição e construção, que representam uma carteira de R$ 14,7 bilhões.

Disponibilidade de financiamentos

O aumento dos financiamentos ocorre em meio à maior disponibilização de recursos do SBPE. Segundo a Abecip, entre dezembro de 2018 e novembro de 2019, foram aplicados R$ 70,04 bilhões para aquisição e construção de imóveis. O valor representa aumento de 36,4% em comparação com o mesmo período de 2018, quando havia R$ 51,33 bilhões.

A captação líquida do SBPE em novembro ficou em R$ 3,05 bilhões, enquanto o saldo está em R$ 642 bilhões - alta de 6,3% em relação a 2018. Já no acumulado do ano, o SBPE teve captação líquida negativa de R$ 1,2 bilhão, com mais saques do que depósitos realizados.

Flutuação no número de unidades

Apesar do aumento dos valores envolvidos nas negociações, o número de unidades negociadas chegou a registrar queda entre outubro e novembro. O recuo foi de 2,5% no total de imóveis nas categorias aquisição e construção que, juntas, representam 28,9 mil imóveis.

Já no acumulado do ano, o saldo de unidades foi positivo, com 46,3% de aumento em comparação com o mesmo período de 2018. Os recursos do SBPE possibilitaram a aquisição e construção de 266,3 mil imóveis entre janeiro e novembro de 2019, o que representa 29,9% de alta em comparação com o acumulado do ano passado. O período não registrava resultado negativo desde 2016, quando o déficit foi de R$ 31,2 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Exile on Wall Street

Eu também não sabia

Quando perceberemos, em definitivo, que os investidores precisam dos artistas, e que os artistas precisam de investimentos?

Balanço

Setor público tem superávit primário de R$ 2,953

O resultado primário reflete a diferença entre receitas e despesas do setor público, antes do pagamento da dívida pública

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Divórcio amigável

Itaúsa sinaliza que pode aceitar proposta da XP por ações da corretora

Holding que é uma das principais acionistas do Itaú Unibanco avaliou como positiva a proposta da XP Investimentos pelas ações com “supervoto” da corretora que hoje estão nas mãos do banco

mercados hoje

Ibovespa flutua em meio à queda em NY; dólar cai de olho em agenda econômica

Índice tem sessão sem direção clara, mas ainda caminha para terminar novembro em alta de 18%; moeda norte-americana deve fechar mês recuando 8%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies