Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2019-06-19T10:23:21-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

O caça-palavras dos investidores

Veja os destaques do Seu Dinheiro nesta manhã

19 de junho de 2019
10:23
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

O Eduardo Campos vai morder a língua hoje. Ele andou falando por aí que cobrir o Banco Central estava “tão emocionante quanto dançar com a irmã”. Hoje o dia deve ser agitado nos mercados e justamente por causa do Banco Central. Ou melhor: dos bancos centrais.

Tanto o brasileiro quanto o americano vão anunciar hoje suas decisões sobre as taxas de juros. O mercado anda ansioso por um corte aqui e lá. Nos EUA, o aceno de Jerome Powell já veio e agora os olhos se voltam para saber se a canetada virá. Aqui no Brasil o mercado se antecipou. No último boletim Focus, uma publicação do BC que reúne expectativas de economistas, a previsão para a Selic no fim de 2019 caiu para 5,75%, abaixo do patamar atual, de 6,5%.

Mesmo que os BCs decidam não mudar suas taxas de juros, ainda assim, o dia de hoje é importante. Os investidores buscam uma sinalização sobre a estratégia para os meses seguintes em cada palavra dos discursos e comunicados. É esperado que a trinca “cautela, serenidade e perseverança”, que já é super batida nos comunicados do BC, deixe o caça-palavras. O Eduardo Campos explica o cenário nesta reportagem.

Fique ligado no Seu Dinheiro - a decisão do Fed sai às 15h e a do Copom após as 18h. Esse assunto vai impactar fortemente os seus investimentos, seja na bolsa ou nas aplicações de renda fixa, como o Tesouro Direto.

Bula do Mercado: olhos nos BCs

mercado financeiro permanecerá o dia aguardando as decisões do Fed e do Copom. A decisão do BC americano chega com os mercados locais ainda abertos e deve gerar impacto. Já a reação ao que for decidido pelo Copom fica para depois do feriado, quando a Bolsa reabrir na sexta-feira.

No exterior, os investidores também estão de olho nos avanços da guerra comercial. Donald Trump afirmou que tem conversado com o líder chinês e que deve realmente se encontrar com Xi Jinping durante a reunião do G-20. A sessão na Ásia foi de fortes ganhos. Enquanto as praças europeias abriram no vermelho, os índices futuros de Nova York amanheceram com um leve viés positivo.

Ontem, o Ibovespa fechou o dia com forte alta de 1,82%, a 99.404,39 pontos. O dólar encerrou a sessão com queda de 1,00%, a R$ 3,8606. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Calote potencial

Em todo processo de recuperação judicial, os credores não costumam sair muito felizes. Afinal, para receber alguma coisa terão que dar um bom desconto. E quem está no fim da fila corre o risco de ficar chupando dedo. No caso da Odebrecht, instituições como bancos públicos e um fundo de investimento do FGTS têm dívidas de R$ 17 bilhões, sem garantias reais, de acordo com reportagem do Estadão. É um baita abacaxi para os bancos. Entenda os pormenores.

65 discursos em 12 horas

No primeiro dia de discussões do relatório da Previdência, 65 deputados falaram ao longo de 12 horas. Todo esse blá blá blá não trouxe luz ao que realmente importa: qual a proposta final da reforma da Previdência. A polêmica sobre o tema ainda é grande e desagrada até mesmo o presidente da Câmara, como mostra essa matéria.

A primeira vez de Moro

Hoje o ministro Sergio Moro tem compromisso marcado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, onde deve falar pela primeira vez ao Congresso Nacional sobre a série de reportagens do The Intercept Brasil que mostram troca de mensagens entre Moro e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato. Na noite de ontem, o site divulgou novos diálogos onde o atual ministro da Justiça questiona uma investigação envolvendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Confira.

Não agradou a todo mundo

O lançamento de uma criptomoeda do Facebook, a libra, causou muito barulho ontem. Mas Mark Zuckerberg não conseguiu agradar a todos e algumas polêmicas já rodeiam a nova moeda. Diversos reguladores e políticos nos Estados Unidos e na Europa demonstraram preocupações. Veja as reações nesta reportagem.

Sardinhas: sustentabilidade e investimentos

Você sabe o que é ESG, ou melhor, índice de sustentabilidade ambiental, social e de governança? No podcast Sardinhas do Mercado Financeiro desta semana, nossa colunista Luciana Seabra recebe Paula Salamonde, diretora-executiva da MSCI no Brasil e te explica melhor a importância do índice para os seus investimentos.

Agenda

Índices 
- Banco Central divulga dados semanais sobre o fluxo cambial
- Reino Unido divulga inflação de maio
- Argentina divulga PIB do 1º trimestre

Bancos Centrais 
- Copom anuncia decisão sobre a taxa Selic
- Fed anuncia decisão sobre taxa de juros nos Estados Unidos, com pronunciamento de Jerome Powell na sequência

Política 
- Cade faz reunião ordinária em Brasília
- Comissão especial da reforma da Previdência segue com análise do relatório sobre o projeto
- Comissão de Constituição e Justiça do Senado recebe o ministro Sergio Moro, que presta esclarecimentos sobre conversas vazadas sobre a Operação Lava Jato
- Partido Conservador do Reino Unido realiza nova rodada de votação para definir o próximo presidente da legenda e próximo primeiro-ministro do país

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nada além de céus azuis

“Blue days / All of them gone / Nothing but blue skies / from now on” Caro leitor, Os versos da canção otimista de Irving Berlin, composta há quase cem anos, dizem, numa tradução livre, que os dias “azuis” (no sentido de “tristes”, “depressivos”) se foram e que, de agora em diante, não haverá nada […]

Perto dos 119 mil pontos

Ibovespa ganha força na reta final, fecha em alta e crava um novo recorde; dólar sobe a R$ 4,18

Após passar boa parte da sessão flutuando perto do zero a zero, o Ibovespa acordou nos últimos minutos e chegou a uma nova máxima histórica, engatando a terceira alta consecutiva. O dólar à vista, por outro lado, teve um dia mais pressionado e subiu a R$ 4,18

DE OLHO NOS FUNDOS

Patrimônio dos fundos cresce 15,27% e vai a R$ 5 trilhões, diz Economatica

Em dólares, a indústria de fundos se mantém acima de US$ 1 trilhão desde dezembro de 2016.

UM PLANO DE INVESTIMENTOS

Já pensou em se aposentar aos 40 anos e viver de renda?

Esse conteúdo é para quem não está disposto a esperar até os 65 anos para se aposentar

Banco do Brasil zera custódia para investimentos em bolsa

Isenção já está em vigor e vale para os clientes do banco que investem em ações, fundos de índice (ETFs) e fundos imobiliários na bolsa

OLHOS ATENTOS

Bank of America rebaixa e corta preço-alvo das ações de Itaú e Bradesco; papéis caem

O banco cortou o preço-alvo em 12 meses para as ações de ambos. No caso do Itaú, o preço-alvo ficou em R$ 34, com potencial de queda de 3% em relação ao fechamento de sexta-feira (17). Já o Bradesco teve o preço-alvo reduzido para R$39, o que representa uma potencial expansão de 10%

Altas e baixas

Raia Drogasil, bancos e varejistas: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As ações da Raia Drogasil aparecem entre as maiores altas do Ibovespa após o Credit Suisse elevar a recomendação e o preço-alvo dos papéis

mais otimismo

FMI aumenta projeção para o PIB do Brasil para 2,2% em 2020

De acordo com o Fundo, a elevação da estimativa do PIB do Brasil para este ano ocorreu sobretudo devido à melhora do sentimento após a aprovação da reforma da Previdência

disputa entre gigantes

Bancos travam guerra silenciosa por clientes na área de crédito imobiliário

No ano passado, até o mês de novembro, o total de crédito imobiliário que migrou para outra instituição somou R$ 1,46 bilhão

Com juro menor, transferência de dívida de imóvel dispara

Ao fazer a portabilidade do financiamento, o consumidor pode conseguir reduzir o valor das parcelas e melhorar as condições do empréstimo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements