O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2019-04-26T15:36:26-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
De onde virá o dinheiro

A boa e a má notícia do BNDES no investimento em infraestrutura

Governo não tem nem terá dinheiro para investir, mas há capital privado de sobra, incluindo o seu, que pode ser aplicado em projetos no país, segundo o presidente do banco de desenvolvimento, Joaquim Levy

26 de abril de 2019
15:32 - atualizado às 15:36
Joaquim Levy, presidente do BNDES
Joaquim Levy, presidente do BNDES - Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Joaquim Levy tem uma boa e uma má notícia para você sobre as perspectivas para o investimento em infraestrutura no país. Para o presidente do BNDES, mesmo com a economia prevista para os cofres públicos com a reforma da Previdência, o governo não terá dinheiro para investir em infraestrutura nos próximos anos. Essa é a má notícia, que fique claro.

A boa é que dinheiro não é problema entre os investidores no setor privado, tanto lá fora como aqui no Brasil. "O capital está procurando destino, e nada melhor para absorver capital do que infraestrutura", disse Levy, que participou nesta sexta-feira de um seminário na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

Ou seja, Levy acredita que uma parte dos seus investimentos, diretamente ou via fundos, pode ser destinada a financiar os projetos de energia, logística e outras áreas no país. "Se a gente se organizar, a infraestrutura é um destino muito bom", afirmou o presidente do BNDES a uma plateia formada principalmente por alunos do curso de MBA da fundação.

Embora não tenha dinheiro, o governo tem o papel fundamental de coordenar os projetos, segundo Levy, que elogiou a criação do Programa de Parcerias de Investimento (PPI). O órgão vinculado à Presidência da República que centraliza as ações do governo em Infraestrutura foi criado na gestão Temer e foi mantido por Jair Bolsonaro.

História de sucesso

Com uma longa história no serviço público, o presidente do BNDES disse que, apesar dos percalços, o Brasil tem uma história de sucesso em concessões ao setor privado e que pode se aproveitar disso para atrair o dinheiro de investidores.

"Dinheiro tem às pilhas. O que falta são bons projetos", afirmou

A maior parte do capital disponível hoje está em busca de investimentos de baixo risco. O que pode ser um oportunidade de atrair dinheiro barato para financiar a infraestrutura, desde que o país consiga criar regras simples e padronizadas para os investidores.

Levy disse que o BNDES também poderá atuar para diminuir o risco das operações, oferecendo por exemplo algum tipo de proteção cambial para o investidor estrangeiro. "É claro que vamos cobrar por isso", afirmou.

O banco de desenvolvimento também pretende continuar atuando como "investidor-âncora" nas captações de recursos pelos projetos no mercado de capitais. Em outras palavras, o banco garante a compra de um determinado percentual em uma emissão de debêntures, por exemplo.

O investimento em debêntures cujos recursos são destinados a financiar obras de infraestrutura possuem isenção de imposto de renda para pessoas físicas. Mas Levy considera que o pequeno investidor não deve entrar em emissões de projetos que ainda não foram concluídos e defendeu uma maior participação dos bancos comerciais, que têm melhores condições de avaliar os riscos.

O que não vai mais acontecer é o uso das taxas de juros subsidiadas, como ocorreu no passado recente. "Não tem mais BNDES com dinheiro barato para garantir projetos que não se sustentam", afirmou Levy, que deixou o evento sem falar com a imprensa.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Covid-19 derruba economia da China em abril; confira os dados chineses que assustaram o mercado hoje

Com os lockdowns nos últimos dois meses, a produção e as vendas chinesas despencam além do esperado, e a divulgação de números piores traz a cautela de volta ao foco hoje

Além da bolsa: B3 lança fundo de R$ 600 milhões para investir em startups

O fundo independente da B3, L4 Ventures Builder, vai investir em startups dos setores de energia, carbono e solução para fintechs

SEU DIA EM CRIPTO

Bitcoin (BTC) permanece abaixo dos US$ 30 mil e mercado de criptomoedas está em estado de pânico com stablecoins; entenda

Entenda porque a perda de paridade com o dólar é importante para a manutenção do preço das demais criptomoedas do mundo

NOVO PILOTO

Gol (GOLL4) terá troca de comandante: Celso Ferrer assume cargo de CEO

Celso Ferrer tem 39 anos, sendo 17 deles na Gol, onde iniciou a carreira como estagiário. Ele também é piloto de linha aérea e compõe o quadro de tripulantes na frota Boeing 737

AUTOMÓVEIS

Elon Musk em apuros? Tesla perde apelo entre consumidores de carros de luxo

Tesla cai do 3º para o 5º lugar na preferência dos compradores de carros de luxo nos EUA no primeiro trimestre, mas ainda domina entre modelos elétricos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies