🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
NOVIDADE NA PRAÇA

BNDES vai comprar R$ 8,7 milhões em créditos de carbono; conheça os detalhes deste mercado

A ideia do BNDES é realizar novas chamadas, investindo de R$ 100 a R$ 300 milhões na compra de créditos de carbono nos próximos dois anos

créditos de carbono
O crédito de carbono funciona como uma ferramenta utilizada por empresas para compensar sua pegada de carbono -Imagem: Shutterstock

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) selecionou cinco propostas em uma chamada piloto que previa a compra de até R$ 10 milhões em créditos de carbono. A chamada foi lançada em março e os projetos selecionados somam R$ 8,7 milhões em créditos.

Os cinco projetos selecionados na chamada piloto do BNDES foram desenvolvidos por Biofílica, Solví, Sustainable Carbon, Carbonext e Tembici.

A chamada pública contemplava projetos de conservação de florestas, recuperação de áreas degradadas ou de energia limpa. Os projetos selecionados incluem conservação de florestas, substituição de veículos e geração de energia.

As propostas são desenvolvidas por consultorias especializadas, junto a proprietários de terras com mata nativa, entidades sem fins lucrativos que trabalhem com comunidades locais ou empresas que detenham plantas de geração de energia, entre outros.

A ideia do BNDES é repetir a dose em novas chamadas para comprar créditos de carbono. Quando anunciou a chamada piloto, em março, o diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES, Bruno Lascowsky, disse que o plano da instituição de fomento é fazer um movimento "robusto e substancial", investindo de R$ 100 milhões a R$ 300 milhões na compra de créditos nos próximos dois anos.

Como funcionam os créditos de carbono

O crédito de carbono funciona como uma ferramenta utilizada por empresas para compensar sua pegada de carbono, ou seu impacto negativo sobre o ambiente derivado de atividades que emitam gases de efeito estufa.

O crédito certifica que uma tonelada desses gases prejudiciais teve sua emissão evitada ou capturada por meio de algum projeto em algum lugar do mundo.

Por sinal, vale destacar que os processos de certificação são muito longos e costumam levar pelo menos de três a quatros anos.

Sendo assim, muita gente entende o crédito de carbono como uma commodity do futuro ou até mesmo uma possível nova grande moeda global, já que o crédito é um ativo digital, dolarizado, perene (não expira no mercado voluntário) e globalmente reconhecido, tornando-se, assim, uma espécie de reserva de valor.

Para saber mais sobre o funcionamento deste mercado, vale ler a coluna completa de Matheus Spiess, que trata do assunto com maior profundidade:

Conheça os projetos selecionados pelo BNDES

Dos onze projetos que ofereceram créditos de carbono ao banco de fomento, cinco foram escolhidos. O projeto da Biofílica Investimentos Ambientais prevê a conservação ambiental numa área de 94.289 hectares nos municípios de Machadionho d'Oeste e Cujubum, em Rondônia, em conjunto com a Associação dos Moradores de Reserva Extrativista Rio Preto - Jacundá e Ribeirinhos do Rio Machado - Asmorex.

A Carbonext Tecnologia em Soluções Ambientais também apresentou um projeto de conservação florestal e ações de desenvolvimento social e de biodiversidade em Bujari (Acre), em uma área de 20.669 hectares, em parceria com a Copacabana Agropecuária, Leblon Agropecuária, Ipanema Agropecuária e Bela Aliança Agropecuária.

A Revita Engenharia foi selecionada com um projeto de geração de energia a partir de metano em aterro sanitário localizado em Quatá (São Paulo). A Sustainable Carbon, em parceria com a Cerâmica Gomes de Mattos, propuseram um projeto de substituição de combustível por biomassa renovável em Crato (Ceará).

A Tembici Participações é a empresa que opera os sistemas de aluguel compartilhado de bicicletas em diversas cidades, incluindo São Paulo e Rio. Seu projeto, em parceria com a Transportes Sustentáveis e a M2 Soluções em Engenharia, gerará créditos de carbono com a "troca de combustível na matriz de transporte", informou o BNDES. A poluição provocada pelos veículos que transportam as bicicletas entre as estações de aluguel está entre as maiores fontes de emissões de gases do efeito estufa da empresa.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

Resultado

Oi (OIBR3) reverte lucro e tem prejuízo de R$ 1,669 bilhão no 4T21; veja os destaques do balanço

5 de maio de 2022 - 8:39

No negócio de fibra, um dos focos da “nova Oi”, a empresa chegou a 3,4 milhões de casas conectadas, com uma receita anual de R$ 2,9 bilhões

NÃO PERDEU TEMPO

Oi (OIBR3) usa dinheiro de venda a rivais para quitar dívida bilionária com o BNDES; valor foi o maior já recuperado na história do banco

20 de abril de 2022 - 19:32

A operadora desembolsou R$ 4,6 bilhões para liquidar dívidas de contratos celebrados em 2009 e 2012

DESINVESTIMENTO

BNDES segue plano estratégico e vende mais 50 milhões de ações da JBS (JBSS3) nesta quarta-feira (16); papéis recuam mais de 3%

16 de fevereiro de 2022 - 11:04

O primeiro block trade do BNDES foi feito em dezembro, com a venda de 70 milhões de ações. Após a finalização da operação, o BNDES ainda deterá 19,5% do capital da JBS

LA GARANTIA SOY YO

BNDES vai emprestar R$ 200 milhões para concessão rodoviária, garantia será o próprio projeto; entenda

27 de janeiro de 2022 - 16:11

Embora o valor seja pequeno para os padrões do banco de fomento, é mais um passo para diversificar os instrumentos de crédito à infraestrutura, já que o empréstimo foi estruturado com um “project finance non recourse”

BLOCK TRADE CONCLUÍDO

A crônica de uma saída anunciada: BNDES vende 12% de sua participação na JBS (JBSS3) e inicia desinvestimento

16 de dezembro de 2021 - 8:54

Operação de block trade ocorreu na manhã de hoje e movimentou R$ 2,66 bilhões

Entrevista exclusiva

‘Não é função de um banco público ficar carregando R$ 120 bilhões em ações’, diz presidente do BNDES

11 de novembro de 2021 - 14:36

Gustavo Montezano afirmou que banco seguirá vendendo participações em empresas, hoje estimadas em R$ 70 bilhões, e redirecionará recursos para financiar projetos de infraestrutura e de apoio a micro e pequenas empresas

CRÉDITO NO AR

BNDES abre linha de mais de US$ 500 milhões para financiar exportação de 24 jatos da Embraer

7 de outubro de 2021 - 9:10

A entrega dos jatos à SkyWest Airlines começou em agosto do ano passado e deve se estender até abril do ano que vem

SEM LOTE SECUNDÁRIO

AES Brasil (AESB3) levanta R$ 1,1 bilhão em oferta restrita de ações

29 de setembro de 2021 - 6:14

Oferta poderia ter ultrapassado a marca de R$ 1,5 bi, mas lote secundário acabou retirado a pedido do BNDESPar

PARADA OBRIGATÓRIA

BNDES vira ‘sócio’ da Mesbla e de outras empresas que não existem mais

28 de agosto de 2021 - 8:25

O BNDES ressaltou que as ações de firmas “em processos de recuperação ou falência ou outras situações inoperantes” foram “incorporadas” ao balanço da BNDESPar, a empresa de participações do banco, “sem nenhum custo para sua aquisição”

Estatais na mira

Corrupção na Caixa? Após balanço, Bolsonaro diz que presidente do banco está ‘abismado’ com corrupção nas gestões passadas

19 de agosto de 2021 - 17:47

Mais cedo, Pedro Guimarães contou que “problemas de gestões passadas”, provocaram um prejuízo de R$ 46 bilhões ao banco

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar