O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-21T09:27:52-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
NÃO PERDEU TEMPO

Oi (OIBR3) usa dinheiro de venda a rivais para quitar dívida bilionária com o BNDES; valor foi o maior já recuperado na história do banco

A operadora desembolsou R$ 4,6 bilhões para liquidar dívidas de contratos celebrados em 2009 e 2012

20 de abril de 2022
19:32 - atualizado às 9:27
Fachada de loja da Oi (OIBR3), com o logo da empresa em amarelo sobre uma marquise verde
Imagem: Divulgação

A conclusão da venda da operação móvel da Oi (OIBR3) para as rivais TIM (TIMS3), Vivo (VIVT3) e Claro, anunciada mais cedo, já começou a dar resultado para os credores do grupo. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) recebeu nesta quarta-feira (20) um pagamento de R$ 4,6 bilhões para a líquidação das dívidas da companhia.

Segundo o banco, essa é a maior soma já recebida pela instituição em recuperação de crédito e reestruturação de empresas. O pagamento referente a contratos celebrados em 2009 e 2012 foi efetuado diretamente pelas compradoras.

"A recuperação integral do crédito com o Grupo Oi encerra com êxito uma das renegociações mais importantes já realizadas pelo BNDES", diz, em nota, a instituição.

Mas, apesar, de impressionar, o valor ainda é pouco perto dos R$ 15,9 bilhões que a Oi receberá pelo negócio. De acordo com o comunicado publicado hoje, as compradoras já pagaram R$ 14,5 bilhões.

O restante da quantia, que equivale a 10% do preço da operação, fica retido pelas compradoras por até 120 dias para possíveis compensações de valores que a empresa possa ter de pagar em função de eventuais ajustes.

Histórico da venda da Oi (OIBR3) Móvel

A venda da operação móvel da Oi para as rivais foi fechada em dezembro de 2020. O passo era considerado fundamental para que a empresa saísse da recuperação judicial.

No início de março, a Oi conseguiu derrubar uma barreira importante à venda da sua unidade móvel, depois que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) desconsiderou um recurso que barrava o negócio.

Na ocasião, o Cade manteve o Acordo em Controle de Concentração (ACC), mas aprovou por unanimidade a incorporação de imposições unilaterais que assegurem a mitigação dos riscos concorrenciais no setor de telecomunicações.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

DE VOLTA DAS CINZAS

Nova esperança da Terra (LUNA)? Criador do projeto tenta salvar criptomoeda que desapareceu com proposta de atualização; é o suficiente?

O relançamento da Terra inclui distribuição gratuita de novas criptomoedas para alguns investidores; saiba se você pode receber

concorrência no varejo

Magalu ameaçada? Dona da rival Shopee tem salto na receita e lidera aplicativos baixados no Brasil

Papéis da controladora da Shopee subiram 14% na bolsa de Nova York (Nyse) ontem (18) e fecharam o pregão valendo US$ 80,14

EM TEMPO REAL

TCU retoma julgamento da privatização da Eletrobras (ELET3) hoje; acompanhe ao vivo

O governo está otimista com a perspectiva de que o processo seja aprovado pelo tribunal

DE ROUPA NOVA

Com foco em criptomoedas e NFTs, Zuckerberg muda o nome do Facebook Pay para Meta Pay; entenda as alterações

Novo passo em direção ao metaverso inclui na plataforma de pagamentos e negociações usada no WhatsApp as funções de empréstimos e investimentos em ativos digitais

NA SAÚDE E NA DOENÇA

Parceria bilionária entre Dasa (DASA3) e Inspirali, da Ânima (ANIM3), sai do papel com foco em formação médica; confira detalhes do projeto

Iniciativa deve beneficiar os mais de 10 mil estudantes de Medicina da Inspirali assim como os médicos que fazem parte das mais de 900 unidades de medicina diagnóstica e hospitais da Dasa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies