🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Tabela do frete

Diante de ameaças de nova greve dos caminhoneiros, Fux revoga decisão que suspendeu multas por fretes

Ministro determinou que a decisão tomada ontem vale até que o plenário do STF julgue o tabelamento do frete; desde novembro, multas podem chegar a R$ 10,5 mil pelo descumprimento

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
13 de dezembro de 2018
6:56 - atualizado às 9:53
Luiz Fux
Imagem: Nelson Júnior/Fotos Públicas

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nessa quarta-feira, 12, revogar a decisão pela qual havia suspendido a aplicação de multas geradas pelo descumprimento da tabela que fixou preços mínimos de frete, editada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em função da greve dos caminhoneiros, em maio.

A decisão desta quarta-feira atende a um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU).

Com isso, volta a vigorar a resolução editada pela ANTT em novembro, que prevê multas de até R$ 10,5 mil pelo descumprimento da tabela. O ministro determinou que a decisão tomada Nesa quarta vale até que o plenário do STF julgue as ações que questionam o tabelamento do frete no plenário do STF. "Determino a inclusão do feito em pauta com urgência", determina Fux na decisão.

O ministro havia suspendido os efeitos da resolução na semana passada atendendo a um pedido da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), decisão da qual agora voltou atrás.

Pisos mínimos

Nesta quarta, a advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, havia pedido que Fux reconsiderasse a decisão. Na manifestação, Grace Mendonça destacou que a lei que institui a política nacional de pisos mínimos, de agosto de 2018, assegurou o estado de normalidade nas rodovias do País, pois atendeu às reivindicações de caminhoneiros.

"A presunção de constitucionalidade de que gozam os atos normativos questionados na presente ação direta, aliada a imperativos de segurança jurídica, recomenda a manutenção da eficácia das medidas destinadas a assegurar a observância dos pisos mínimos de frete, ao menos até a reavaliação da matéria pela nova estrutura governamental que assumirá a condução do País, em breve, no início do próximo ano."

Quando suspendeu a aplicação de multas na semana passada, Fux mencionou ofício do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que trata dos "entraves e prejuízos causados pela lei que institui a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas". Fux então afirmou que o "quadro fático" apontava que a imposição de sanções a empresas que descumprem o tabelamento havia gerado "grave impacto na economia nacional", consequência preocupante.

Fux é relator de três ações de inconstitucionalidade movidas contra a tabela de preços mínimos do frete. Em junho, o ministro determinou a suspensão dos processos judiciais, individuais ou coletivos, em curso nas demais instâncias do Judiciário que envolvessem a inconstitucionalidade do tabelamento. Já em agosto, após audiências públicas realizadas no STF sobre o assunto, o ministro afirmou que levaria as ações que contestam o tabelamento diretamente ao plenário.

Em novembro, no entanto, a CNA voltou a pedir que a Corte julgasse logo as ações que contestam o tabelamento, ou que ao menos suspendesse a resolução da ANTT editada em novembro.

*Com Estadão Conteúdo 

Compartilhe

Grave dos caminhoneiros

Nova paralisação à vista? Caminhoneiros insatisfeitos com a alta do diesel ameaçam parar

13 de maio de 2022 - 8:53

O preço do combustível nos postos já acumula alta de 96% no governo Bolsonaro.

Falou, tá falado

Caminhoneiros levantam pontos de interdição em rodovias federais

9 de setembro de 2021 - 15:25

Apesar de os bloqueios terem sido removidos, pontos de concentração persistem em estradas de 13 Estados

Interdição nas estradas

Atualização: Caminhoneiros mantêm paralisação em rodovias de 14 Estados e interdição em 5

9 de setembro de 2021 - 12:10

Segundo a pasta há impedimento nos estados da Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina

Tá ok?

Em áudio, Bolsonaro pede a caminhoneiros que liberem estradas

9 de setembro de 2021 - 8:19

Ministério da Infraestrutura registrava bloqueios em rodovias federais de 15 Estados no último boletim

Estudando a possibilidade

“Gostaria de zerar o imposto federal do diesel a partir do ano que vem”; afirma Bolsonaro

6 de agosto de 2021 - 12:43

O presidente também voltou a responsabilizar governos estaduais pelo elevado valor dos combustíveis, que segundo ele, se deve à cobrança do ICMS aos preços dos fretes e às margens de lucro dos postos

Greve dos caminhoneiros

Caminhoneiros avaliam eventual paralisação a partir do próximo domingo

21 de julho de 2021 - 9:29

Há um descontentamento de parte da categoria com promessas não cumpridas pelo governo Jair Bolsonaro e com as altas recentes do preço do óleo diesel

Para evitar nova greve

Líder dos caminhoneiros diz que Petrobras se abriu ao diálogo e fará nova reunião

30 de junho de 2021 - 7:17

Categoria mantém indicação de greve para o dia 25 de julho, mas presidente da estatal deixou a porta aberta para a realização de novas reuniões

Fim de papo

Bolsonaro se irrita com questão de frete e termina conversa na saída do Alvorada

21 de junho de 2021 - 12:21

Antes, ao ser cobrado quais as propostas para atender a categoria, Bolsonaro repetiu que o “maior problema de vocês (caminhoneiros)” é o preço dos combustíveis e os tributos

Aviso aos caminhoneiros

Em meio a debates sobre alta do diesel, ANTT aumenta o frete em até 8,58%

3 de março de 2021 - 12:08

Pela legislação, a ANTT tem de reajustar os valores do frete a cada seis meses ou quando a variação do preço do diesel for igual ou superior a 10%

mais confusão

Petrobras anuncia novos reajustes para gasolina, diesel e gás de cozinha

8 de fevereiro de 2021 - 11:10

Decisão ocorre enquanto governo federal e estadual buscam o culpado pela alta dos preços dos combustíveis no país

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar