Menu
2018-11-23T19:56:03-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Bolsa de Valores

Aposta na privatização de estatais rende até 70% para o investidor

O Ibovespa, principal índice de ações do mercado, decepciona, mas as ações de estatais estão dando porrada

23 de novembro de 2018
19:56
Imagem: Shutterstock

Usando o Ibovespa como parâmetro para o desempenho do mercado de ações, o quadro que se tem é um pouco desanimador. A esperada arrancada pós-eleitoral ainda não apareceu, mas uma forte puxada aconteceu nas ações das estatais.

O mercado já vinha apostando na agenda de privatizações tanto de Jair Bolsonaro, como de outros governos, como Minas Gerais, e essa aposta vai sendo referendada pela indicação dos novos comandantes das estatais.

Dentro desse grupo de empresas que pode passar para o setor privado, o destaque, dentro da amostra selecionada de sete companhias, é a estatal de energia Cemig. As ações da empresa mineira acumulam valorização de 11,5% agora em novembro, contra uma queda de 1,36% do Ibovespa no mesmo período.

Se ampliarmos um pouco a janela de tempo e tomarmos o dia 30 de setembro como “corte pré-eleições”, a valorização das ações ON da Cemig bate 71,8%. No mesmo período o Ibovespa sobe 8,7%.

A também mineira Copasa, de saneamento, não tem um desempeno tão brilhante no mês, avançando 0,19%, mas desde o fim de setembro ganhou 32%.

Outro destaque, esse em âmbito federal, são as ações ordinárias do Banco do Brasil. Agora em novembro o papel sobe 5,8%, e desde o fim de setembro acumula alta de 53,6%. Seu novo presidente, Rubem de Freitas Novaes, fala em eficiência e privatizar o que for possível.

De volta às empresas estaduais, a Sanepar, do Paraná, sobe 14,6% no mês e ganha 62,05% desde o fim de setembro.

As ações da Eletrobras também vão bem, o papel ON sobe 4,55% no mês e 58,41% desde 30 de setembro, e o ativo PNB tem valorizações de 3,95% e 58,41%, respectivamente.

A Petrobras é um caso aparte, pois além do fluxo de notícias envolvendo privatização e nomeações, os ativos reflete em cheio a queda na cotação do petróleo e as incertezas sobre a votação do projeto de cessão onerosa, que tramita no Senado.

Agora em novembro, o papel ON tem queda de 11,6% e o PN recua 11,4%. Desde o fim de setembro, no entanto, PETR3 ainda sobe 10,6% e PETR4 ganha 16%.

A BR Distribuidora tem alta de 1,33% no acumulado do mês e ganha 24,6% desde o fim de setembro. No último dia 13, chegaram a subir mais de 8% na máxima do dia após o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, afirmar que a empresa pode passar para as mãos da iniciativa privada.

Um grande amigo com vasta experiência em mercado sempre me disse que comprar ações de estatais é comprar “risco governo”. Não importa quão bom sejam os fundamentos, o risco que você está tomando é o “governo de plantão”.

O que as ações mostram é que depois de um longo inverno para as estatais, que pode ser caraterizado pelo governo Dilma Rousseff, os investidores estão dispostos a tomar risco de governos, seja ele federal ou estadual.

Mas a volatilidade dos ativos também é bem maior que a média do mercado. O “risco” do Ibovespa agora em novembro é de 21%, enquanto Petrobras ON, por exemplo, tem volatilidade de 46%, e Eletrobras ON apresenta taxa de 52%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Expectativa

Ibovespa abre em alta e dólar fica estável; mercados aguardam a decisão de juros nos EUA

Sem tirar o coronavírus do radar, o Ibovespa acompanha o exterior e opera em leve alta, aguardando o parecer do Federal Reserve em relação à taxa de juros nos EUA

no balanço

Santander Brasil tem lucro de R$ 14,5 bilhões em 2019, e aumenta a participação nos ganhos do grupo

Filial brasileira divulgou resultados do quarto trimestre; lucro chegou a R$ 3,7 bilhões, avançando 9,49%; retorno sobre patrimônio bate 21,3%

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

A elite financeira do país se reúne em um evento do banco Credit Suisse para discutir a economia. Um dos sócios de uma das gestoras mais renomadas do país disse que a maioria das ações do Ibovespa está cara. Nos mercados, as atenções se dividem entre o avanço do coronavírus e a decisão de hoje do Federal […]

auditoria da auditoria?

Bolsonaro vê ‘coisa esquisita’ no BNDES e Montezano deve se explicar nesta quarta

Banco gastou R$ 48 milhões em auditoria; atual presidente autorizou aditivo do contrato inicial

Esquenta dos mercados

Em compasso de espera por decisão do Federal Reserve, bolsas ensaiam mais um dia de recuperação

Coronavírus continua trazendo cautela aos mercados, mas as bolsas tentam engatar mais um dia de recuperação

pode não acontecer

Auditoria em contrato com a Odebrecht pode ser abortada

Após a auditoria do BNDES nas operações da JBS apontar inexistência de indícios de irregularidade e gastar R$ 48 milhões, avaliação é que “não faz mais sentido” gastar recursos

conflito internacional

Trump revela ‘plano de paz’ para Oriente Médio; palestinos são contrários ao projeto

Israel teria controle sobre a totalidade de Jerusalém como sua capital. O plano também propõe a criação de uma capital da Palestina na periferia a leste de Jerusalém

Vendas de iPhones aumentam e Apple supera estimativas no 4º trimestre

Vendas do produto somaram US$ 55,96 bilhões, ao passo que as estimativas eram de US$ 51,6 bilhões e o desempenho do quarto trimestre de 2018 havia sido de US$ 52 bilhões.

Bolsa

Sem Petrobras, Vale, bancos e frigoríficos, Ibovespa é índice mais caro do mundo, diz SPX

Small caps também são vistas com ressalvas por gestores de fundos, que falaram sobre as oportunidades que (ainda) veem na bolsa após a forte alta dos últimos anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements