🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
EM SUAS MARCAS…

PIB dos EUA: o que os números da maior economia do mundo escondem — e como Trump e Biden usarão essa arma no debate de hoje

O democrata e o republicano se enfrentam na noite desta quinta-feira (27) no primeiro debate das eleições presidenciais de novembro e os dados do PIB podem ser um trunfo na definição dos votos dos eleitores indecisos

Homem de cabelos brancos e terno ao lado de outro homem de terno com bandeira dos EUA ao fundo
O presidente dos EUA, Joe Biden, em primeiro plano e o ex-presidente dos EUA, Donald Trump - Imagem: Canvas

A economia dos EUA se mostrou surpreendentemente resiliente aos juros mais altos dos últimos 23 anos — o Federal Reserve (Fed) aumentou a taxa de referência 11 vezes em 2022 e 2023 para tentar domar a pior inflação em quatro décadas. A maioria dos economistas previu que esse quadro jogaria a maior economia do mundo em recessão.

Isso não aconteceu. A economia norte-americana continuou a crescer, embora a um ritmo mais lento, e os empregadores continuaram a contratar. 

Dados divulgados nesta quinta-feira (27) mostraram que, no primeiro trimestre de 2024, os EUA cresceram 1,4% em base anual, marcando uma forte desaceleração em relação aos 3,4% dos últimos três meses de 2023 — ainda assim uma expansão acima das previsões. 

O mercado de trabalho também segue firme: em maio, o país criou 272 mil vagas, embora a taxa de desemprego tenha subido pelo segundo mês consecutivo, mas mantendo um nível baixo de 4%. 

Ao mesmo tempo, a inflação medida pelo principal indicador de preços do governo, desacelerou de um pico de 9,1% em 2022 para 3,3% agora — um percentual ainda acima da meta de 2% do Fed.

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

Economia: uma arma para o debate entre Trump e Biden

Embora a economia dos EUA permaneça saudável de acordo com a maioria das métricas e a inflação esteja bem abaixo do pico, muitos norte-americanos dizem estar frustrados porque os preços ainda estão bem acima dos níveis pré-pandemia. 

Por isso, o estado da economia certamente será um tema central na noite desta quinta-feira, quando Joe Biden enfrenta Donald Trump no primeiro debate das eleições presidenciais de 5 de novembro. 

Os aluguéis e os alimentos mais caros são fontes específicas de descontentamento, e Trump tem procurado atribuir a culpa a Biden, em uma ameaça à tentativa de reeleição do atual chefe da Casa Branca.

Uma medida da inflação no relatório do PIB divulgado hoje mostrou que as pressões sobre os preços aceleraram no início de 2024. Os preços no consumidor subiram a um ritmo anual de 3,4%, acima de 1,8% no quarto trimestre de 2023.

Excluindo os custos voláteis dos alimentos e da energia, o chamado núcleo de inflação acelerou a um ritmo anual de 3,7%, acima dos 2% em cada um dos dois trimestres anteriores.

ENTENDA COMO O FED É O MAIOR CULPADO PELA PAUSA NOS CORTES NA SELIC

Todo mundo de olho nos juros dos EUA

À luz das pressões inflacionárias ainda elevadas, os membros do comitê de política monetária do Fed indicaram no início deste mês que reduziriam os juros apenas uma vez em 2024abaixo da previsão anterior de três cortes nas taxas

A maioria dos economistas espera que o primeiro corte nos EUA ocorra em setembro, com possivelmente um segundo corte em dezembro.

Logo que os dados de hoje foram divulgados, a ferramenta FedWatch do CME Group mostrava um leve aumento na possibilidade de redução nos juros até setembro: 64,1% de 62,3% antes da publicação dos indicadores.

Até dezembro, o monitoramento apontava um modesto crescimento na chance de cortes de 50 pontos-base pelo Fed, de 42,% logo antes dos dados a 43,5%.

Já para novembro, o cenário visto como mais provável (50,7%) é de que o corte até lá seja de 25 pontos-base, seguido (24,1%) por manutenção e por uma redução de 50 pb (23,1%).

Se o mercado está de olho nos juros, Trump e Biden também estão. 

Quando comandava a Casa Branca, o republicano criticava regularmente o presidente do Fed, Jerome Powell — seu próprio nomeado para o cargo — por não reduzir os juros a zero. Trump chegou até mesmo a considerar destituir Powell do cargo — embora seja uma questão em aberto se o chefe do banco central pode ser destituído legalmente apenas porque o presidente discorda dele em termos de política.

Desde que deixou o cargo, Trump sugeriu que substituiria Powell. O Wall Street Journal informou que alguns de seus conselheiros vão mais longe, considerando formas de o republicano influenciar mais diretamente a política monetária

Questionar Trump sobre o futuro do Fed durante o debate de hoje pode revelar se ele tem uma agenda que vai além de atacar Powell pessoalmente.

Quanto a Biden, ele tem respeitado a tradição da era moderna de manter o Fed à distância — a chamada independência política que supostamente permite ao banco central tomar decisões que sejam melhores para a economia no longo prazo mesmo que exijam escolhas difíceis no curto prazo.

Mas será que Biden quer realmente que o Fed faça mais para combater as mudanças climáticas, por exemplo, como alguns dos seus apoiadores acreditam que deveria? É isso que vamos descobrir no debate de hoje. O canal do Seu Dinheiro no YouTube fará a cobertura em tempo do confronto a partir de 22h (de Brasília). 

Compartilhe

ELEIÇÕES NOS EUA

Não deu para Biden: presidente dos EUA cede à pressão e desiste da reeleição — saiba o que acontece daqui para frente 

21 de julho de 2024 - 15:44

No que depender de Biden, sua vice Kamala Harris deve ser o nome do partido para enfrentar Donald Trump nas urnas em 5 de novembro; Trump se manifesta sobre a desistência

ATUALIZANDO O PORTFÓLIO

Por que Warren Buffett decidiu vender US$ 1,48 bilhão em ações de um bancão norte-americano

20 de julho de 2024 - 17:48

A Berkshire Hathaway vendeu cerca de 33,9 milhões de ações desta instituição financeira em diversas transações nesta semana

MELHORES MOMENTOS GIRO DO MERCADO

Trump mais vivo do que nunca: os impactos no dólar, cripto e juros — e os principais riscos da provável vitória do republicano 

19 de julho de 2024 - 18:14

Donald Trump saiu do atentado do último sábado mais vivo do que nunca. Agora, se já não era antes, o republicano é o nome mais forte na corrida e provavelmente voltará a ocupar a Casa Branca — e os mercados já estão tentando prever os impactos disso.  A percepção de que o ex-presidente saiu ganhando […]

ELEIÇÕES NOS EUA

Pseudoconciliação e promessa de deportação em massa: o que você precisa saber sobre o último discurso de Trump

19 de julho de 2024 - 11:10

Donald Trump discursou no fim da noite de quinta-feira ao aceitar a indicação do Partido Republicano para concorrer à presidência dos EUA em novembro

UNINDO FORÇAS

O “quarteto mortal”: os países que vão tirar o sono dos EUA e da Europa e podem levar a uma nova guerra global

18 de julho de 2024 - 19:58

Especialistas destacam o poder econômico do Ocidente, mas reconhecem que a missão de conter o avanço do grupo de quatro países não é fácil

MAIS POLÊMICA

CEO de empresa ligada à rede social de Trump é alvo de investigação por fraude nos Estados Unidos

18 de julho de 2024 - 14:00

Patrick Orlando é acusado pela SEC americana de mentir sobre os planos de sua “companhia do cheque em branco” de se fundir com a startup por trás da Truth Social

Restrição monetária

Lagarde mantém juros restritivos na Europa e diz o que é preciso para as taxas baixarem

18 de julho de 2024 - 13:07

Banco Central Europeu procura trazer a inflação da zona do euro para a meta de 2%

ELEIÇÕES NOS EUA

Biden revela o que o faria desistir de disputar presidência contra Trump em entrevista divulgada horas após diagnóstico de covid

18 de julho de 2024 - 10:59

Biden recebeu diagnóstico de infecção por covid-19 na quarta-feira e precisou interromper sua campanha à reeleição

MILES GUO

Ex-magnata chinês aliado de Steve Bannon é condenado por fraude bilionária nos EUA

17 de julho de 2024 - 15:00

Miles Guo vivia exilado nos Estados Unidos e é crítico do Partido Comunista chinês

CABO DE GUERRA

A disputa pelo fundo do mar: a próxima fronteira da briga tecnológica entre EUA e China

16 de julho de 2024 - 20:00

Projetados para transportar conexões de dados e telecomunicações entre continentes, os cabos submarinos se tornaram uma nova fonte para conflitos geopolíticos

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar