🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Faz um Pix

Mais um vazamento de dados do Pix; BC diz que, desta vez, informações são de clientes da 99Pay

Exposição de informações de clientes ocorre num momento em que o meio de pagamento registra recordes sucessivos de uso diário

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
10 de julho de 2024
11:33 - atualizado às 11:06
Tem se tornado comum o vazamento de dados de clientes de instituições financeiras ao usar o Pix -

O Banco Central (BC) informou nesta quarta-feira (10), mais uma ocorrência de vazamento de dados cadastrais vinculados a chaves do Pix. Desta vez sob a responsabilidade da 99Pay Instituição de Pagamento.

Vazamentos e outros problemas, no entanto, têm sido recorrentes no uso do meio de pagamento.

É importante que o Banco Central e as instituições financeiras reforcem os mecanismos de segurança cibernética como forma de evitar desgaste da imagem e da credibilidade do Pix, especialmente porque o meio vem registrando recorde após recorde em seu uso.

No caso com a 99Pay, foram potencialmente expostos dados cadastrais vinculados a 39.088 chaves Pix, incluindo nome do usuário, CPF com máscara, instituição de relacionamento, agência e número da conta.

"Não foram expostos dados sensíveis, tais como senhas, informações de movimentações ou saldos financeiros em contas transacionais, ou quaisquer outras informações sob sigilo bancário”, afirmou o BC.

Dados cadastrais foram vazados

Segundo a instituição, as informações obtidas são de natureza cadastral, que não permitem movimentação de recursos, nem acesso às contas ou a outras informações financeiras.

De acordo com a autoridade monetária, o incidente de segurança ocorreu por "falhas pontuais" em sistemas da 99Pay.

"Foram adotadas as ações necessárias para a apuração detalhada do caso e serão aplicadas as medidas sancionadoras previstas na regulação vigente", acrescentou o BC.

Os clientes que tiveram seus dados expostos serão notificados por meio do aplicativo ou pelo internet banking de seus bancos.

"Nem o BC nem as instituições participantes usarão quaisquer outros meios de comunicação com os usuários afetados, tais como aplicativos de mensagens, chamadas telefônicas, SMS ou e-mail", disse o BC.

Outros casos problemáticos

Há um mês, no dia 11 de junho, o BC comunicou o vazamento de dados pessoais vinculados a chaves Pix sob a guarda e a responsabilidade da iugu Instituição de Pagamento e da Pagcerto Instituição de Pagamento, “em razão de falhas pontuais em sistemas dessas instituições”.

No início de abril, os cliente do C6 Bank relataram problemas de instabilidade com a ferramenta digital, especialmente na realização de Pix. Os problemas na plataforma do C6 começaram por volta das 9h do dia 5 de abril, segundo dados do site DownDetector. A plataforma produz relatórios de problemas ocorridos durante as 24 horas anteriores.

Às 9h50 daquele dia, o número de reclamações no DownDetector ultrapassava a marca de 1,3 mil notificações.

Questionado, o C6 respondeu logo após as 12h00. “Algumas funções do aplicativo do C6 Bank ficaram instáveis na manhã de hoje, sexta-feira (5/4). A situação já voltou ao normal para a maior parte dos clientes. Apenas o envio de Pix apresenta intermitências no momento – e para pequena parcela dos usuários”, informou o banco, complementando que trabalhava para sanar as instabilidades o mais rápido possível.

Banco do Brasil

Para clientes do Banco do Brasil, os problemas de instabilidade aconteceram no início de fevereiro. No dia 2, logo após as 16h, o site DownDetector relatava mais de 500 problemas. De acordo com a plataforma, 74% das notificações envolviam o Pix.

Na segunda-feira (8), o Banco Central informou que o volume de transações diárias do Pix atingiu 224,2 milhões na sexta-feira anterior, dia 5, novo recorde diário.

Antes, o volume mais alto havia sido contabilizado no dia 7 de junho, com 206,8 milhões de transações.

“Os números são mais uma demonstração da importância do Pix como infraestrutura digital pública, para a promoção da inclusão financeira, da inovação e da concorrência na prestação de serviços de pagamentos no Brasil", disse o BC, em nota.

Mecanismo para solucionar fraudes

Para evitar problemas e tentar solucionar parte de fraudes ocorridas com o Pix, a Febraban e o BC iniciaram em junho debates sobre melhorias para o Mecanismo Especial de Devolução (MED), um recurso do Pix criado para facilitar as devoluções em caso de fraudes, o que pode atrapalhar a vida dos golpistas.

O MED é o sistema que permite ao usuário reaver recursos em transações feitas pela ferramenta de pagamento instantâneo. Batizado de MED 2.0, o projeto foi proposto pela federação dos bancos, e seu desenvolvimento ocorrerá ao longo do segundo semestre, com implementação prevista para o final de 2025.

Segundo a Febraban, com o MED, quando o cliente é vítima de fraude, golpe ou crime, pode reclamar em sua instituição nos canais de atendimento em até 80 dias da data da realização do Pix.

“Ao efetuar a reclamação, os recursos são bloqueados na conta do recebedor para análise detalhada do caso e, se for considerado procedente, os recursos são devolvidos à vítima. Entretanto, esta devolução depende de disponibilidade de fundos na conta do fraudador”, informa a federação dos bancos.

No fluxo atual, a notificação de infração associada à devolução permite o bloqueio de valores apenas na primeira conta recebedora do recurso, ou seja, na primeira camada a qual o dinheiro foi enviado.

Camadas de triangulação

A Febraban afirma que propôs ao Banco Central mudanças para que o fluxo atual permita o bloqueio de valores até outras camadas de triangulação do recurso, o que foi aceito pelo regulador. “O objetivo é reduzir a prática das diferentes modalidades de fraudes e golpes utilizando o Pix como meio”, diz texto da Febraban.

“Já observamos que os criminosos espalham o dinheiro proveniente de golpes e crimes em várias contas de forma muito rápida e, por isso, é importante aprimorar o sistema para que ele atinja mais camadas”, afirma Walter Faria, diretor-adjunto de Serviços da Febraban, no texto distribuído pela entidade.

“A Febraban acredita que o MED 2.0 será um grande avanço para a prevenção e combate a golpes e fraudes e possibilitará também maior êxito no bloqueio e recuperação de valores”, complementa.

*(Com informações do Estadão Conteúdo)

Compartilhe

informações compartilhadas

Open Finance, esse grande desconhecido dos brasileiros

17 de julho de 2024 - 19:03

Pesquisa mostra que mais da metade da população nunca ouviu falar do sistema criado pelo Banco Central que permite compartilhamento de dados financeiros

PROTEÇÃO AOS PROPRIETÁRIOS

Nova lei diminui riscos de comprador da casa própria perder imóvel por dívida que não é dele, mas ainda há uma ameaça; entenda

17 de julho de 2024 - 6:07

Especialista em direito imobiliário afirma que nova legislação aumenta segurança jurídica, mas ainda não elimina de vez os riscos

AUTOMÓVEIS

Pequena, média ou grande? Um guia completo das picapes à venda no Brasil

14 de julho de 2024 - 7:26

Seja para trabalhar, levar a família ou apenas desfilar, as picapes partem de R$ 100 mil — e tem chinesa a preço avassalador chegando por aí

NOME SUJO?

20 milhões de brasileiros estão no Serasa e não sabem; veja se você é um deles e limpe seu nome

13 de julho de 2024 - 13:57

Pesquisa do Serasa aponta ainda que 51 milhões de pessoas nunca consultaram a situação do próprio CPF

PONTO A PONTO

IVA, cashback, imposto do pecado, carne na cesta básica: entenda a reforma tributária em 11 pontos

12 de julho de 2024 - 10:12

Regulamentação da reforma tributária passou na Câmara e agora precisa ser aprovada pelo Senado antes de seguir para sanção presidencial

A DINHEIRISTA

A pensão alimentícia que pago está indo inteira para a mãe do meu filho. Ele nem sequer mora mais no Brasil. Posso pedir reembolso?

8 de julho de 2024 - 11:38

Se fôssemos fazer um ranking de temas que mais recebemos dos leitores de A Dinheirista, pensão alimentícia certamente estaria no top 5. São dezenas de dúvidas na nossa caixa de e-mail, em especial depois de um vídeo sobre o assunto ter viralizado nas redes sociais.  A maioria tem um tópico em comum: é possível pedir […]

ONDE INVESTIR NO SEGUNDO SEMESTRE

Dólar: se você ainda não tem uma parte do patrimônio na moeda norte-americana, a hora de investir é agora

8 de julho de 2024 - 6:07

Seja para bancar uma viagem, quitar alguma dívida em moeda forte ou proteger uma parte do portfólio, especialistas avaliam que é hora de comprar

TRANSFERÊNCIA

Passo a passo: saiba como fazer a portabilidade da dívida do cartão de crédito

6 de julho de 2024 - 10:42

Especialistas e órgãos de defesa do consumidor orientam aos clientes para terem cuidado ao escolher a nova instituição para migrar a dívida do cartão de crédito

Grana no fundo da gaveta

Dinheiro esquecido: Banco Central alerta que ainda há bilhões esperando pelos seus donos; veja se você tem algo a receber

5 de julho de 2024 - 19:15

Após mais de dois anos da criação do sistema de identificação de valores a receber, apenas 32% dos correntistas buscaram seus recursos parados

Balanço

Na renda fixa, aplicações conservadoras tiveram o melhor desempenho no semestre; confira as variações

3 de julho de 2024 - 13:03

Títulos emitidos por empresas indexados ao DI mostraram os melhores ganhos do período, segundo índices calculados pela Anbima; entre os títulos públicos, títulos Tesouro Selic foram os campeões

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar