🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
ATENÇÃO, INVESTIDOR

Ação da Vibra sobe na B3 com anúncio de recompra de até R$ 1,2 bilhão em papéis VVBR3; veja os motivos por trás da aquisição

O objetivo da companhia é adquirir até 98,69 milhões de ações, equivalente a 10% do total de papéis atualmente em circulação no mercado

Camille Lima
Camille Lima
5 de julho de 2024
8:50 - atualizado às 10:29
Vibra Energia (VBBR3)
Vibra Energia (VBBR3) - Imagem: Divulgação

A Vibra Energia movimentou a noite da última quinta-feira (4) com o anúncio de que pretende recomprar até R$ 1,2 bilhão em ações VBBR3 na bolsa brasileira.

Segundo fato relevante enviado à CVM, o objetivo é adquirir até 98,69 milhões de ações, equivalente a 10% do total de papéis atualmente em circulação no mercado.

De acordo com a companhia, o programa de recompra é uma “opção oportuna de alocação de capital” e deve aumentar o potencial de geração de valor da companhia aos investidores.

A Vibra afirma que a aquisição deve ajudar a “robusta e resiliente geração de caixa” da empresa, dando continuidade a outras ações já implementadas e que resultaram em maior eficiência e rentabilidade.

O programa terá início na próxima quinta-feira (11) e poderá ser estendido por 18 meses, até 10 de janeiro de 2026.

As ações da Vibra iniciaram o pregão desta sexta-feira (5) em alta e lideravam a ponta positiva do Ibovespa na abertura. Por volta das 10h15, os papéis subiam 2,84%, negociados a R$ 22,10.

Por que a Vibra Energia (VBBR3) anunciou uma recompra de ações

Existem diversos motivos que levam uma empresa como a Vibra Energia (VBBR3) a aprovar um programa de recompras como esse. Entre eles, estão:

  • A empresa acredita que suas ações estão baratas ou mal avaliadas pelo mercado;
  • A companhia precisa distribuir ações aos executivos como bônus e não quer emitir novos papéis;
  • Ela quer gerar valor ao acionista que continua em sua base, apesar da instabilidade  do mercado.

Quando uma companhia recompra suas ações em programas como esse, os papéis deixam de circular na bolsa de valores e passam a ser mantidos em tesouraria. 

É importante lembrar que a recompra é uma das maneiras que uma empresa pode optar para dar retorno para o seu investidor. Isso porque, caso ela opte por cancelar as ações recompradas, o acionista ganha por ficar com uma participação proporcionalmente maior. 

No entanto, a recompra de ações faz com que os papéis percam liquidez na bolsa, uma vez que menos ações são negociadas no mercado.

No caso da Vibra Energia, os papéis adquiridos no programa poderão ser mantidos em tesouraria, cancelados ou vendidos.

As ações recompradas e mantidas em tesouraria poderão ser usadas para cumprir obrigações decorrentes de planos de ações referentes à retenção de executivos a longo prazo, a critério da administração da companhia.

Atualmente, a Vibra possui em torno de 3,65 milhões de papéis em tesouraria e um total de 1,02 bilhão de ativos circulando no mercado acionário doméstico hoje.

De onde virá o dinheiro para a recompra

A Vibra (VBBR3) deve usar as reservas de lucros para financiar a aquisição de papéis. Atualmente, o saldo da conta é estimado em R$ 9,67 bilhões.

Segundo a companhia, o programa de recompra de ações não deve afetar a capacidade da empresa de pagar tanto as obrigações com os credores quanto os dividendos mínimos obrigatórios aos acionistas. 

“A companhia possui uma posição de liquidez confortável com um controlado nível de alavancagem, que suportaria a execução do programa”, afirmou a empresa.

Compartilhe

A MALA TÁ FEITA

Com data para deixar a B3, Cielo (CIEL3) recebe aval dos membros independentes do conselho para OPA

18 de julho de 2024 - 20:02

Leilão marcado para o dia 14 de agosto tem como objetivo vender 902.247.285 ações ordinárias da companhia a R$ 5,60

PERTO DO LIMITE?

Ambipar (AMBP3): Mercado faz contas e especula se controlador pode ser obrigado a fazer OPA

18 de julho de 2024 - 19:13

No entendimento de parte do mercado, Tércio Borlenghi Júnior já ultrapassou o limite de um terço das ações em circulação da Ambipar (AMBP3) em compras

FUSÕES E AQUISIÇÕES

De olho no sucesso de óculos inteligentes, Meta quer um pedaço da EssilorLuxottica, dona da Ray-Ban

18 de julho de 2024 - 17:00

Companhia de Mark Zuckerberg negocia a aquisição de 5% da empresa, participação avaliada em cerca de US$ 5 bilhões

VALE A PENA?

A ação da Vale (VALE3) está barata? Papel está descontado em relação a gigantes gringas; saiba se é hora de aproveitar

18 de julho de 2024 - 15:47

O Itaú BBA calcula um preço-alvo de US$ 14 para os ADRs da mineradora, o que representa um potencial de valorização de 24,8% sobre o fechamento de quarta-feira (17)

IA EM FOCO

Depois da tempestade, setor de chips e semicondutores de Inteligência Artificial (IA) respira após balanço da TSMC

18 de julho de 2024 - 13:48

Empresa taiwanesa ampliou lucro em 36% no segundo trimestre e superou as expectativas, com forte demanda por chips

AQUISIÇÃO

De olho nas importações, BTG Pactual (BPAC11) adquire capital social da Sertrading, empresa de patrimônio de quase R$ 400 milhões

18 de julho de 2024 - 9:46

De acordo com o comunicado enviado à CVM, em quatro anos, o volume transacionado em operações de comércio exterior passou de R$ 5 bilhões para R$ 19 bilhões

EMPREENDEDORISMO

Novo visual e mudança de nome: as apostas da Grendene (GRND3) para conquistar franqueados e abrir mais lojas da Melissa

18 de julho de 2024 - 9:09

Um ano após internalizar a gestão de franquias, a marca famosa por suas sandálias de plástico com aroma de tutti-frutti também lançará novos formatos de lojas

APÓS A CRISE

Lemann e sócios recalculam a rota: Americanas (AMER3) adia publicação do balanço após laudo de investigação independente

18 de julho de 2024 - 7:33

A publicação dos resultados ficou para o dia 14 de agosto, quando também serão divulgados os números do período até 30 de junho

MAIS UM PASSO

Agora vai? Grupo de credores da Americanas (AMER3) adere ao plano de recuperação judicial e abre caminho para novas emissões e pagamentos

17 de julho de 2024 - 20:27

Segundo a varejista, os credores titulares da maioria dos créditos quirografários — aqueles sem garantia — aderiram às deliberações sobre o plano de recuperação judicial do grupo, homologado em 26 de fevereiro de 2024

VALE A PENA VER DE NOVO

Guerra na Vale (VALE3)? Mineradora volta a falar sobre a sucessão do CEO em meio a boatos de divisão interna

17 de julho de 2024 - 19:48

No início do mês, o jornal o Globo noticiou uma divisão dentro da mineradora, que poderia levar a uma tentativa de implosão do atual conselho e comprometer a escolha do novo comandante da empresa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar