🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
TENTATIVA FRUSTRADA

Nada de IPO? Por que oferta de ações da Shein nos Estados Unidos está cada vez mais longe de acontecer

Varejista de moda chinesa também entrou com um pedido de listagem em Londres

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
21 de junho de 2024
15:50
Aplicativo e site da Shein exibidos em tela de celular e computador
Aplicativo e site da Shein exibidos em tela de celular e computador - Imagem: Divulgação

O sonho da chinesa Shein de uma oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês) nos Estados Unidos está cada vez mais distante. 

As empresas chinesas que conquistaram o mercado americano têm sido impactadas pelas crescentes tensões geopolíticas entre Estados Unidos e China. No caso da Shein, esse cenário tornou cada vez mais difícil a abertura de capital da varejista chinesa em solo americano.

Em novembro do ano passado, a Shein, avaliada em US$ 66 bilhões em valor de mercado, entrou com pedido confidencial na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, a SEC. O objetivo era obter a autorização para uma listagem na Bolsa de Valores de Nova York.

No entanto, a oposição de parlamentares do governo norte-americano apelam ao xerife do mercado de capitais americano para analisar ou mesmo bloquear a oferta pública. 

Varejista das “blusinhas” desafia fast fashions americanas

Embora tenha sido fundada em 2012, o marketplace chinês se popularizou mundialmente durante a pandemia de covid-19, principalmente nos Estados Unidos. 

A proposta de vender roupas e acessórios a preços bem abaixo do mercado desafiou as empresas já conhecidas nos EUA, como Gap, Macy’s, Target, Amazon e até Walmart. 

Por conta disso, a Shein teve diversos pedidos rejeitados para fazer parte da National Retail Federation (Federação Nacional de Varejo), maior associação do setor de varejo nos EUA.

Preocupações com transporte e privacidade de dados

Vale lembrar que o governo americano vem promovendo um cerco a empresas chinesas. Embora tenha sido fundada na China e agora seja sediada em Cingapura, as ligações da Shein com a China são motivo de preocupação para as autoridades do governo americano.

Em dezembro, o Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos EUA enviou uma carta à varejista chinesa buscando informações sobre a coleta de dados de usuários da empresa nos EUA e seu relacionamento com Pequim. Para o comitê, essa possível ligação seria “um sério risco para o comércio eletrônico, a segurança do consumidor e a saúde das pessoas”. 

Isso porque o Partido Comunista Chinês pode, por lei, solicitar que qualquer empresa de propriedade chinesa compartilhe informações sobre seus clientes. 

Além disso, a varejista é alvo de críticas sobre suposto trabalho forçado em sua cadeia de produção e pelas más condições de trabalho de seus funcionários. 

Em 2021, os Estados Unidos aprovaram uma lei que proíbe empresas que fabricam produtos em Xinjang, na China, de venderem seus produtos no país. A região é conhecida por campos de detenção que impõe trabalho forçado às minorias étnicas e teria ligações com a Shein. 

A empresa, no entanto, negou as acusações, dizendo que implementa um sistema para apoiar o cumprimento da lei dos EUA dentro da empresa.

Londres: o plano B da Shein

Em meio ao imbróglio no mercado americano, a Shein criou um “plano B” para abrir seu capital. A fast fashion também planeja entrar com um pedido de IPO em Londres

O pedido seria feito antes de uma potencial mudança de governo no Reino Unido, já que as eleições legislativas acontecem em 4 de julho. No entanto, a empresa não confirmou. 

A Shein também precisaria da aprovação da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China, que determina regras para listagens de empresas nacionais fora do mercado chinês. 

Em entrevista à CNBC, Angelo Bochanis, analista de IPO da Renaissance Capital, diz que a ideia da Shein ainda é ser listada nos EUA, pois a oferta poderia trazer uma avaliação mais elevada do que no Reino Unido.

Na operação em terras britânicas, a empresa de moda seria avaliada em 50 bilhões de libras. Se o IPO da Shein em Londres for bem-sucedido, é improvável que continue a buscar uma oferta nos EUA. 

*Com informações da CNBC

Compartilhe

A MALA TÁ FEITA

Com data para deixar a B3, Cielo (CIEL3) recebe aval dos membros independentes do conselho para OPA

18 de julho de 2024 - 20:02

Leilão marcado para o dia 14 de agosto tem como objetivo vender 902.247.285 ações ordinárias da companhia a R$ 5,60

PERTO DO LIMITE?

Ambipar (AMBP3): Mercado faz contas e especula se controlador pode ser obrigado a fazer OPA

18 de julho de 2024 - 19:13

No entendimento de parte do mercado, Tércio Borlenghi Júnior já ultrapassou o limite de um terço das ações em circulação da Ambipar (AMBP3) em compras

FUSÕES E AQUISIÇÕES

De olho no sucesso de óculos inteligentes, Meta quer um pedaço da EssilorLuxottica, dona da Ray-Ban

18 de julho de 2024 - 17:00

Companhia de Mark Zuckerberg negocia a aquisição de 5% da empresa, participação avaliada em cerca de US$ 5 bilhões

VALE A PENA?

A ação da Vale (VALE3) está barata? Papel está descontado em relação a gigantes gringas; saiba se é hora de aproveitar

18 de julho de 2024 - 15:47

O Itaú BBA calcula um preço-alvo de US$ 14 para os ADRs da mineradora, o que representa um potencial de valorização de 24,8% sobre o fechamento de quarta-feira (17)

IA EM FOCO

Depois da tempestade, setor de chips e semicondutores de Inteligência Artificial (IA) respira após balanço da TSMC

18 de julho de 2024 - 13:48

Empresa taiwanesa ampliou lucro em 36% no segundo trimestre e superou as expectativas, com forte demanda por chips

AQUISIÇÃO

De olho nas importações, BTG Pactual (BPAC11) adquire capital social da Sertrading, empresa de patrimônio de quase R$ 400 milhões

18 de julho de 2024 - 9:46

De acordo com o comunicado enviado à CVM, em quatro anos, o volume transacionado em operações de comércio exterior passou de R$ 5 bilhões para R$ 19 bilhões

EMPREENDEDORISMO

Novo visual e mudança de nome: as apostas da Grendene (GRND3) para conquistar franqueados e abrir mais lojas da Melissa

18 de julho de 2024 - 9:09

Um ano após internalizar a gestão de franquias, a marca famosa por suas sandálias de plástico com aroma de tutti-frutti também lançará novos formatos de lojas

APÓS A CRISE

Lemann e sócios recalculam a rota: Americanas (AMER3) adia publicação do balanço após laudo de investigação independente

18 de julho de 2024 - 7:33

A publicação dos resultados ficou para o dia 14 de agosto, quando também serão divulgados os números do período até 30 de junho

MAIS UM PASSO

Agora vai? Grupo de credores da Americanas (AMER3) adere ao plano de recuperação judicial e abre caminho para novas emissões e pagamentos

17 de julho de 2024 - 20:27

Segundo a varejista, os credores titulares da maioria dos créditos quirografários — aqueles sem garantia — aderiram às deliberações sobre o plano de recuperação judicial do grupo, homologado em 26 de fevereiro de 2024

VALE A PENA VER DE NOVO

Guerra na Vale (VALE3)? Mineradora volta a falar sobre a sucessão do CEO em meio a boatos de divisão interna

17 de julho de 2024 - 19:48

No início do mês, o jornal o Globo noticiou uma divisão dentro da mineradora, que poderia levar a uma tentativa de implosão do atual conselho e comprometer a escolha do novo comandante da empresa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar