🔴 [TESTE GRÁTIS] 30 DIAS DE ACESSO A SÉRIE RENDA IMOBILIÁRIA – LIBERE AQUI

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Recuperação em curso

BRF (BRFS3) entrega resultados acima das estimativas e salta na B3; mas é hora de comprar a ação da dona de Sadia e Perdigão?

Papéis do frigorífico sobem quase 10% nesta terça e figuram entre as maiores altas do Ibovespa; mas analistas ainda mantêm cautela

Unidade da BRF
Unidade da BRF. - Imagem: Divulgação

As ações da BRF (BRFS3) saltam quase 10% nesta terça-feira (27) na B3 após a divulgação de resultados em muitas métricas acima do esperado pelo mercado para o quarto trimestre de 2023. Acompanhe nossa cobertura completa de mercados.

A companhia reportou um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de R$ 1,9 bilhão no período, uma alta de 76,3% ante o quarto trimestre de 2022 e acima do consenso de mercado, que era de R$ 1,7 bilhão.

Já a margem Ebitda ajustado atingiu 13,2%, acima dos 11,7% esperados pelo mercado e 5,9 pontos percentuais frente a um ano antes.

No ano de 2023, o Ebitda ajustado somou R$ 4,7 bilhões, uma alta de 14,8% na comparação anual, e a margem Ebitda ajustado foi de 8,8%, 1,2 ponto percentual mais alta do que um ano antes.

O lucro líquido atingiu R$ 754 milhões no quarto trimestre, bem acima do consenso de mercado, de cerca de R$ 300 milhões, e revertendo o prejuízo de R$ 956 milhões do 4T22. No ano, porém, a BRF teve prejuízo líquido de R$ 1,9 bilhão, ainda assim uma queda de cerca de 40% em relação às perdas de 2022.

Custos menores, preços maiores e eficiência

Segundo o CEO da companhia, Miguel Gularte, os números foram impulsionados "por uma melhor performance operacional e pela disciplina financeira da companhia que, em sequência ao follow on, contribuíram para a redução significativa da alavancagem", escreveu no release de resultados.

Esta atingiu 2,01 vezes a dívida líquida/Ebitda, ante um indicador de 3,55 vezes no 4T22.

A companhia foi beneficiada pelos custos menores com grãos, preços maiores dos produtos in natura, normalização da sobreoferta de frango e um bem-sucedido programa de eficiência, o BRF+, que gerou ganhos de R$ 525 milhões no 4T23, totalizando R$ 2,2 bilhões em 2023.

"Entre os destaques positivos do ano está também o avanço da rentabilidade no Brasil, amparado pela contínua evolução da execução comercial, pelo melhor desempenho de todo o portfólio e pela consistência do trabalho de nossas marcas Sadia, Perdigão, Qualy e Banvit, que seguem na liderança dos mercados", diz Goularte.

Assim, a companhia conseguiu resultados mais saudáveis mesmo com volumes e receitas menores.

Mercado internacional se destacou

Os resultados da BRF no mercado internacional foram um dos grandes destaques do balanço, com as vendas puxadas pelo segmento Halal, melhores preços e mix de vendas. A margem Ebitda do segmento atingiu 11,1%, crescimento de 8,4 pontos percentuais na base anual.

Já no mercado doméstico, a margem Ebitda atingiu 15,6%, um crescimento de 5,7 pontos percentuais na comparação ano a ano, puxada pela forte demanda e vendas de produtos comemorativos no fim do ano.

Outro destaque do balanço, na visão dos analistas, foi a geração de caixa livre de R$ 613 milhões, ante uma queima de caixa de R$ 87 milhões no 4T22.

A visão dos analistas: hora de comprar BRF (BRFS3)?

Apesar de o balanço ter sido bem recebido pelos analistas de diversas instituições financeiras, que notaram que as ações BRFS3 deviam subir em resposta à revisão de estimativas para a empresa por parte do mercado, para boa parte deles ainda não é hora de colocar as ações da dona da Sadia e da Perdigão na carteira.

O BTG Pactual, para quem diversas métricas da BRF vieram em linha com as estimativas, diz que "continua a celebrar" o retorno da companhia à lucratividade e a melhora de margens.

O banco tem uma estimativa de Ebitda para a companhia em 2024 de R$ 6,7 bilhões, acima do consenso do mercado, mas o qual acredita ser "razoavelmente alcançável", com base na margem apresentada no quarto trimestre e nas perspectivas de custos.

Um mercado de aves mais forte, sustentado por oferta mais baixa nos Estados Unidos e alguma racionalidade na produção brasileira, também devem ajudar.

"Dito isso, ainda vemos os múltiplos baseados no resultado líquido da BRF como alguns dos mais exigentes das empresas que cobrimos. A menos que a companhia consiga ultrapassar o atual nível de margem Ebitda de 12% a 13%, tememos que o potencial de valorização se mantenha limitado", dizem os analistas do BTG, que mantiveram a recomendação neutra para a ação, com preço-alvo para 12 meses em R$ 13.

  • Já sabe onde investir agora que as empresas estão divulgando seus balanços do 4T23? Veja análises completas da Empiricus Research e saiba se você deve comprar, vender ou se manter neutro em cada uma das principais ações da bolsa. Clique aqui para receber os relatórios GRATUITOS.

Quem também se manteve neutro foi o JP Morgan, que assinalou dois pontos negativos do resultado da BRF: a queda de receitas e volumes no Brasil e uma geração de fluxo de caixa ao acionista abaixo das suas expectativas.

A Genial Investimentos diz enxergar aspectos promissores para as ações da dona de Sadia e Perdigão, como a perspectiva de queda das commodities que compõem o custo da companhia (soja e milho), a normalização da dinâmica de oferta e demanda de frango e continuidade dos ganhos de eficiência.

Por outro lado, fatores como uma falta de clareza sobre a manutenção das melhorias operacionais no segmento internacional, a incerteza sobre a capacidade da companhia de manter a alavancagem controlada, o histórico da BRF de usar muito caixa após captações e a forte concorrência no mercado local levam a corretora a manter recomendação neutra para as ações BRFS3, com preço-alvo em 12 meses de R$ 14.

Já a XP Investimentos tem recomendação de compra para o papel BRFS3. "Com uma alavancagem menor e um novo histórico do management, continuamos altamente convencidos com a história de turnaround da BRF e a reforçamos como nossa Top Pick", dizem os analistas da corretora, em relatório.

Compartilhe

DADOS OPERACIONAIS

Quem foi bem e quem foi mal entre as construtoras listadas na B3 nas prévias de resultados do 1T24

17 de abril de 2024 - 6:07

Incorporadoras se aproveitaram do cenário favorável para lançar mais empreendimentos neste começo de ano; saiba quem se destacou, na visão dos analistas

RELATÓRIO OPERACIONAL

Vale (VALE3): alta na produção de minério, vendas fortes e preços baixos — o que você precisa saber sobre a mineradora no 1T24

16 de abril de 2024 - 19:35

O momento conturbado envolvendo indicações do governo e cobranças bilionárias ainda pesa sobre a Vale, cujas ações acumulam perdas no ano

NO BOLSO DO INVESTIDOR

Dona da Vivo (VIVT3) vai depositar até R$ 380 milhões na conta dos acionistas; confira os prazos para receber os JCP da Telefônica 

16 de abril de 2024 - 19:22

O montante corresponde a R$ 0,19545 por ação VIVT3. Saiba quem terá direito aos proventos e quando acontecerá o pagamento

Recuperação judicial

Americanas (AMER3) divulga resultado parcial das escolhas de pagamento feitas pelos credores; veja quanto deve receber cada grupo

16 de abril de 2024 - 19:12

No seu plano de recuperação judicial, a Americanas estabeleceu que seus credores deveriam optar como receber seus créditos devidos

A VAREJISTA DE R$ 23 BILHÕES

Mercado Livre (MELI34) “dobra a aposta” com investimento bilionário e contratações após deixar Magalu e Casas Bahia para trás

16 de abril de 2024 - 17:51

A companhia também informou a contratação de mais de 6,5 mil pessoas no Brasil, chegando a um quadro total de quase 30 mil funcionários; saiba mais

PRÉVIA OPERACIONAL

MRV (MRVE3) quebra recorde de vendas no Brasil, mas ainda queima milhões em caixa nos EUA

15 de abril de 2024 - 18:33

Na Resia, incorporadora norte-americana da MRV, há uma regra de ouro: não queimar caixa em 2024. Mas a diretriz ainda não foi refletida nos resultados do 1T24

Ranking

O Galaxy desbanca o iPhone: Apple (AAPL34) perde liderança global de smartphones no 1T24

15 de abril de 2024 - 18:17

Embora o setor esteja em crescimento, a gigante de tecnologia apresentou uma queda de quase 10% nas remessas de iPhone no primeiro trimestre do ano

NA CARTEIRA

JP Morgan tira BRF (BRFS3) da geladeira: ações da dona da Sadia e Perdigão disparam na B3 com recomendação de compra 

15 de abril de 2024 - 10:38

Analistas do banco norte-americano veem BRF barata mesmo após disparada de 173% em 12 meses na B3

FALHA NO ACELERADOR

Mais problemas para Elon Musk? Ações da Tesla caem mais de 1% com notícia sobre demissão em massa e falhas no Cybertruck 

15 de abril de 2024 - 10:10

Montadora do bilionário deve demitir cerca de 10% da sua força de trabalho global, o equivalente a pouco mais de 14 mil pessoas, segundo notícia da Reuters

A PARTIR DE 2025

Saiba como a maior produtora de alumínio do país pretende reduzir emissões em até 30% — parte da resposta: com um investimento de R$ 1,6 bilhão

13 de abril de 2024 - 13:13

A multinacional norueguesa Hydro do ramo de alumínio projeta reduzir em cerca de um terço a intensidade de emissão de dióxido de carbono (CO2) nas operações brasileiras a partir de 2025.  A controladora das maiores operações de alumina e alumínio primário no Brasil diz que a previsão é que a meta seja alcançada após a […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies