🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Dani Alvarenga
UMA MÃOZINHA DA IA

Ações do SoftBank vão à máxima histórica; entenda por que os papéis dispararam em Tóquio

O recorde dos papéis supera os registros de 2021 e dos anos 2000, quando a empresa surfou o boom das startups de tecnologia e da internet

Dani Alvarenga
4 de julho de 2024
14:44 - atualizado às 13:44
Masayoshi Son, fundador do SoftBank, fala do desempenho do Vision Fund e do banco como um todo em 2021
Masayoshi Son, fundador do SoftBank - Imagem: Divulgação SoftBank

Os acionistas do SoftBank estão voltando a sorrir em 2024. Após apresentar um balanço chamativo, com lucro trimestral pela primeira vez em mais de um ano, agora chegou a vez das ações da empresa japonesa brilharem.

Os papéis do SoftBank encerraram o pregão na bolsa de Tóquio em alta de 4,53%, aos 11,190 ienes japoneses (US$ 69) nesta quinta-feira. Esse é o maior patamar alcançado pelas ações da empresa desde 2021.

O marco também supera os registros históricos alcançados pelo SoftBank nos anos 2000, quando a empresa surfou no boom do pontocom. Na época, a companhia registrou preço recorde de 10,111 ienes.

A empresa só foi superar o recorde 21 anos depois, no fechamento do dia 16 de fevereiro de 2021.

A queda da SoftBank  

Inicialmente, SoftBank, fundado por Masayoshi Son em 1981, realizava a distribuição de softwares. No entanto, a companhia alterou a rota ao abrir capital no Japão em 1994.

Em meio ao boom da internet, a empresa passou a investir em tecnologia. Na época, a companhia chegou a aplicar US$ 2 milhões no Yahoo. A ascensão dos meios digitais levou as ações do SoftBank a máxima histórica de 10,111 ienes em 18 de fevereiro de 2000.

Porém, com o estouro da bolha, as ações da internet despencaram e os papéis do SoftBank acompanharam o movimento. A empresa chegou a registrar uma queda de mais de 90% em comparação ao pico registrado durante a ascensão do pontocom.

Desde então, a companhia vem tendo dificuldades para recuperar o fôlego.

As tentativas do SoftBank

Em 2017, o SoftBank mirou em uma nova estratégia e lançou o fundo de investimento Vision Fund, considerado o maior fundo voltado para o setor de tecnologia. 

Com o novo braço do SoftBank, o CEO Masayoshi Son tinha o objetivo de posicionar a companhia como uma pioneira visionária, que investia em companhias em estágio inicial. 

A partir de então, a empresa japonesa fez uma série de apostas em startups de tecnologia, nas quais algumas deram certo e outras nem tanto. 

Como é o caso dos investimentos na WeWork, que disponibiliza escritórios para o coworking. Em novembro de 2023, a companhia entrou com pedido de recuperação judicial após enfrentar dificuldades financeiras durante a pandemia de covid-19.

Nos últimos dias, a crise na WeWork vem afetando o setor dos fundos imobiliários. Apenas neste mês, cinco FIIs revelaram ao mercado inadimplência da companhia.

Porém, o SoftBank também apostou na ByteDance, criadora do TikTok e que apresentou um aumento na receita de 50% em 2023.

Em meio à ascensão das startups em 2021, as ações do SoftBank registraram nova máxima histórica. Pela primeira vez em 21 anos, a companhia superou o preço de 10,111 ienes visto nos anos 2000.

Contudo, a empresa voltou a enfrentar um mar turbulento, com a alta das taxas de juros globais e a desaceleração no setor de tecnologia. O SoftBank passou a apresentar sequência de quedas das ações.

A desvalorização dos papéis do SoftBank vieram na esteira de resultados decepcionantes do fundo de investimentos. No ano fiscal de 2021, o Vision Fund teve perda de 3,5 trilhões de ienes (US$ $ 27,4 bilhões, na época).

Após a divulgação dos números, o CEO afirmou que o Vision Fund passaria a operar em modo “defensivo” e realizaria investimentos de forma mais conservadora.

No ano fiscal de 2022, o fundo de investimentos do SoftBank voltou a registrar perdas, com prejuízo histórico de 4,4 trilhões de ienes (US$ 32 bilhões).

Uma ajudinha da IA

Com a receita ainda apresentando queda, Son mudou de rumo novamente. Ele afirmou que passaria para o “ataque”, porque estava animado com as oportunidades de investimento em inteligência artificial.

A partir de maio de 2023, os preços das ações do SoftBank começaram a apresentar sinais de recuperação. 

Um dos principais motivos para a alta dos papéis da companhia, que apresenta um aumento de cerca de 78% no valor no acumulado do ano, é o bom desempenho da Arm, a empresa de chips do SoftBank adquirida em 2016.

Em setembro, a Arm estreou na bolsa de valores norte-americana Nasdaq e vendeu 95,5 milhões de ações, no valor de US$ 51 cada.

Mesmo após a estreia, o SoftBank ainda possui cerca de 90% da empresa de chips. As ações da companhia já subiram quase 124% somente neste ano.

* Com informações da CNBC, Forbes e Yahoo! Finance

Compartilhe

UMA DÉCADA DEPOIS…

Qualicorp (QUAL3) anuncia acordo de leniência de até R$ 43,5 milhões — e pode exonerar culpa do fundador em investigações de caixa 2 em 2014

20 de julho de 2024 - 16:27

O conselho de administração da empresa aprovou um acordo de leniência para colocar fim às investigações nas Operações Paralelo 23 e Triuno

SEGUNDA CHANCE

Agora vai? Após tentativa frustrada pela B3, Kora Saúde (KRSA3) fará nova assembleia para votar saída do Novo Mercado

19 de julho de 2024 - 19:20

A AGE acontecerá no final este mês depois de ter sido adiada por falta de quórum com acionistas barrados pela dona da bolsa brasileira

RESSARCIMENTO PARA A ESTATAL

Por que a Petrobras (PETR4) vai receber um ‘reembolso’ de R$ 2,2 bilhões de outras empresas do setor de petróleo

19 de julho de 2024 - 18:47

O ressarcimento está ligado a um acordo de quase R$ 20 bilhões fechado com a Receita Federal para encerrar pendências com o Carf

SINAL VERDE

Segue o jogo: Presidente do STF nega pedido do PT e mantém processo de privatização da Sabesp (SBSP3); entenda os argumentos dos partidos

19 de julho de 2024 - 17:56

Para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, supostas ilegalidades no processo dependem de provas

APOIO À EXPORTAÇÃO

“Embraer não existiria sem o BNDES”: Fabricante de aeronaves recebe novo financiamento de R$ 4,5 bilhões — veja o que a empresa quer fazer com o dinheiro

19 de julho de 2024 - 15:56

A operação de crédito será realizada por meio do BNDES Exim Pós-embarque, linha de crédito direto do banco para comercialização de bens nacionais destinados à exportação

Apoio federal

CCR faz emissão bilionária para obras na Dutra e na Rio-Santos garantida por banco estatal; veja qual

19 de julho de 2024 - 15:10

Segundo a companhia, investimento em duas rodovias soma R$ 15,5 bilhões; parte será bancada pelos R$ 9,4 bilhões em debêntures

SD ENTREVISTA

CEO da Techfin, parceria entre Totvs (TOTS4) e Itaú (ITUB4), aposta em conta digital B2B para concorrer com bancos no segmento PME

19 de julho de 2024 - 14:01

Para Eduardo Neubern, existe uma demanda não atendida no dia a dia das pequenas e médias empresas: uma conta digital integrada às necessidades de pagamento e recebimento

RELEMBRE O CASO

Fantasma de investigação de cartel volta para assombrar a Tegma (TGMA3) após cinco anos e banco de investimentos rebaixa recomendação das ações; entenda

19 de julho de 2024 - 11:29

O mercado repercute a notícia de que o Cade instaurou um processo administrativo contra a companhia que é fruto de uma investigação de 2019

Oferta de ações

Eletrobras embolsa R$ 2,185 bilhões com oferta de ações da controlada CTEEP

19 de julho de 2024 - 10:38

Somando o lote inicial e parte do suplementar, foram vendidas 93 milhões de ações PN da CTEEP

CÉU DE BRIGADEIRO

Embraer (EMBR3) lidera ganhos do Ibovespa após anunciar mais um recorde na carteira de pedidos do 2T24. O que esperar da ação?

19 de julho de 2024 - 10:01

A fabricante brasileira de aeronaves entregou 47 jatos entre abril e junho de 2024, um aumento de 88% em relação ao trimestre imediatamente anterior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar