🔴 [TESTE GRÁTIS] 30 DIAS DE ACESSO A SÉRIE RENDA IMOBILIÁRIA – LIBERE AQUI

Dani Alvarenga
VAI QUE…

Por que o Brasil cresceu pouco nas últimas décadas? Geraldo Alckmin tem uma resposta — e uma receita para reverter esse cenário

Participação do PIB do Brasil na economia mundial vem caindo e deve alcançar apenas 2,3% em 2024, segundo FMI

Dani Alvarenga
29 de fevereiro de 2024
12:07 - atualizado às 12:00
pib
Imagem: Shutterstock

Quando todos os países do mundo tiverem divulgado seus resultados para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2023, o Brasil provavelmente terá saltado da 11ª para a 9ª posição entre as maiores economias do mundo.

Contudo, o cenário não é tão positivo. Isso porque, apesar do avanço, a relevância do Brasil no cenário mundial vem caindo. A economia brasileira vem apresentando um desempenho fraco na média dos últimos dez anos, em especial em comparação aos países emergentes.

Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), em 2024, o Brasil deve ter crescimento em torno de 1,7%, enquanto os demais países emergentes terão crescimento próximo a 4%, na média.

A expectativa dos economistas é de que o PIB do Brasil responda por apenas 2,3% da economia global no fim de 2024. Se isso se confirmar, será o nível mais baixo desde 1980, quando teve início a série histórica do FMI, quando o nível de participação brasileira era de 4%.

Pelos cálculos de Alckmin

Durante uma entrevista para a Miriam Leitão, na GloboNews, o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin (PSB), indicou o que estaria deixando o país para trás dos concorrentes emergentes.

Segundo ele, os juros são "escandalosos", mesmo com as quedas promovidas pelo Comitê de Política Monetária (Copom), o que dificulta a competitividade da indústria.

O vice-presidente afirmou “ser fundamental” estimular investimentos privados através da queda de juros

Além disso, também indicou que os impostos são altos no país, o que também causa o baixo crescimento do PIB brasileiro.

"Lá fora, o juro real é zero e aqui é de 7%, 8%. Outro [problema] são os impostos, mas a reforma tributária vai ajudar a simplificar a carga tributária e irá desonerar a indústria, investimentos e exportações", disse o vice-presidente.

Um aposta em incentivos para a indústria

Alckmin também comentou sobre o programa por meio do qual o governo pretende proporcionar incentivos de aproximadamente R$ 3,4 bilhões para a indústria em 2024 e em 2025. 

O vice-presidente ressaltou que o valor consta do Orçamento e que o programa tem o objetivo de driblar dois problemas econômicos: o baixo investimento e a baixa produtividade.

Apesar da importância das políticas econômicas nacionais para impulsionar o país, Alckmin também defendeu ampliação de acordos comerciais do Brasil e, assim, incentivar uma maior exportação das indústrias.

*Com informações do Estadão Conteúdo, G1 e Investing

Compartilhe

OS ARGUMENTOS DO MINISTRO

Haddad responde aos mercados sobre ruídos provocados por meta fiscal; veja o que o ministro falou

16 de abril de 2024 - 19:06

Haddad argumentou que o ajuste estabelece uma trajetória “completamente em linha” com o que se espera no médio prazo de estabilidade da dívida

REALITY SHOW

A final do BBB 24 está aí: Quanto o prêmio recorde de R$ 2,92 milhões renderia se o vencedor resolvesse viver de renda?

16 de abril de 2024 - 18:29

O Big Brother Brasil pagará o maior prêmio da história na final desta edição, com Davi, Isabelle e Matheus na disputa. Mas é possível viver apenas com a bolada?

DE OLHO NAS REDES

Petrobras (PETR4) é uma das melhores petroleiras do mundo, mas ‘risco Lula’ empaca: “ações podem desabar da noite pro dia” — o que fazer com os papéis? 

16 de abril de 2024 - 15:51

“Se você focar apenas em resultados, a Petrobras (PETR4) é uma das melhores petroleiras do mundo”. É assim que o analista Ruy Hungria começa sua participação no mais recente episódio do podcast Touros e Ursos. Ele explica que a estatal tem margens até melhores do que as gigantes do setor — como Chevron, Exxon e […]

NAS ALTURAS

Dólar em R$ 5,28: os dois eventos que fizeram a moeda norte-americana atingir o maior patamar em mais de um ano

16 de abril de 2024 - 11:44

Entenda por que os investidores buscam abrigo em ativos considerados porto seguro como o ouro e os títulos do Tesouro dos EUA

LOTERIAS

Lotofácil: Apostador “virtual” fatura prêmio milionário sozinho; Mega Sena sorteia hoje bolada de R$ 66 milhões

16 de abril de 2024 - 9:39

Enquanto a Quina e a Lotomania acumularam, a Lotofácil registrou um vencedor ontem. Confira os números sorteados nas principais loterias da Caixa Econômica Federal

SHINE BRIGHT

Ouro a US$ 3 mil: por que o Citi enxerga disparada de 26% do metal precioso — e nem tudo tem a ver com as guerras

16 de abril de 2024 - 9:02

Para os especialistas do Citigroup, a commodity deve ser impulsionada pelo aumento da demanda dos investidores institucionais e dos bancos centrais

Prévia do orçamento

Governo propõe reajuste de mais de 6% no salário mínimo em 2025; veja qual será o valor

15 de abril de 2024 - 17:45

O cálculo segue a projeção para o INPC, índice oficial de inflação no Brasil, mais o crescimento do PIB em 2023

SPOILERS DA PLDO

Sem superávit: Haddad confirma meta fiscal de déficit zero em 2025 e planos para aumentar a arrecadação

15 de abril de 2024 - 17:09

Vale relembrar que, há um ano, a equipe econômica havia estabelecido que buscaria fazer um superávit de 0,5% do PIB em 2025

MADE IN BRAZIL

O milho que vale ouro: quebra de safra da África dá tração ao agronegócio brasileiro e pode mexer com gigantes como a BRF (BRFS3)

15 de abril de 2024 - 14:15

A seca provocada pelo El Niño reduziu o cultivo de milho da África do Sul em pelo menos 20% e a do Zimbábue em cerca de 60%

VENDE COMO ÁGUA

Brasil retoma autossuficiência de alumínio e produção avança 24% em 2023; ainda existe espaço no mercado?

14 de abril de 2024 - 15:31

A recuperação na oferta acontece, principalmente, devido ao religamento do complexo industrial da Alumar, no Maranhão

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies