🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
SD ENTREVISTA

Diretor da Coinbase diz que regulação brasileira de criptomoedas favorece inovação e vê mão pesada da SEC nos EUA

Fábio Plein, diretor regional da Coinbase para as Américas, falou com exclusividade ao Seu Dinheiro sobre o momento atual dos mercados

Renan Sousa
Renan Sousa
1 de maio de 2024
6:15 - atualizado às 10:35
Fábio Plein, diretor regional da Coinbase, uma das maiores corretoras de criptomoedas do mundo, para as Américas
Fábio Plein, diretor regional da Coinbase, uma das maiores corretoras de criptomoedas do mundo, para as Américas - Imagem: Montagem Seu Dinheiro / Divulgação

O ano de 2024 ainda nem chegou à metade e já pode ser considerado o período de “renascimento” das criptomoedas. O otimismo não poderia se refletir melhor no mercado: nesse período, o bitcoin (BTC) renovou as máximas históricas e os analistas enxergam espaço para uma alta ainda maior

Com isso, o mercado institucional — isto é, de empresas, gestoras e corretoras (exchanges) de criptomoedas — também deve voltar a ver um aumento da procura por ativos digitais. 

Mas criptomoedas ainda são ativos não regulados em boa parte do planeta, o que tende a afastar as empresas desse tipo de investimento. Afinal, os empreendedores não querem colocar dinheiro em negócios que podem fechar as portas com uma decisão do órgão regulador. 

Enquanto isso, o Brasil já tem uma regulação própria, o que tende a tornar o país terreno fértil para este tipo de investimento institucional. É o que acredita Fábio Plein, diretor regional da Coinbase para as Américas.

“A regulação brasileira focou em dar mais segurança aos usuários, ao mesmo tempo em que cria um ambiente seguro para a inovação”, disse Plein, em entrevista ao Seu Dinheiro.

A maior corretora dos Estados Unidos e segunda maior do planeta em volume negociado, perdendo apenas para a Binance, já demonstrou que sabe bem como lidar com a regulação. 

Isso porque a Coinbase é custodiante de oito dos onze ETFs de bitcoin à vista (spot) negociados nos EUA. Foi só depois de muita pressão do mercado e diversos questionamentos judiciais que os investidores norte-americanos tiveram acesso a um produto do tipo — que já existe no Brasil desde 2023. Além disso, a exchange tem capital aberto nos Estados Unidos desde 2021.

Eu conversei com o executivo não só sobre regulação como também o que esperar dos negócios no Brasil. Os detalhes você confere a seguir: 

O que foi o ano do bitcoin e das criptomoedas até agora

Antes de mais nada, é preciso dizer que o mercado se reaqueceu depois que o bitcoin voltou a figurar entre os melhores investimentos do mês. 

Não apenas a aprovação dos ETFs de BTC spot aumentaram a demanda por criptomoedas, mas também o recente halving do bitcoin ajudou a controlar a emissão de novos tokens. 

Esses fatores fizeram a maior criptomoeda do mundo atingir o patamar de US$ 73 mil antes do fim da primeira metade de 2024. Agora, há uma grande expectativa envolvendo o próximo grande evento macroeconômico: o corte de juros nos Estados Unidos

“Tem várias variáveis em jogo, mas essa da liquidez de bitcoin no mercado é uma das mais importantes”, comenta o diretor da Coinbase.

Ele faz referência ao fim do aperto monetário do Federal Reserve (Fed, o Banco Central norte-americano), que só deve acontecer em setembro deste ano, nas projeções do mercado. Em linhas gerais, os juros menores tornam o acesso ao dinheiro “mais barato”, o que tende a beneficiar as criptomoedas com o aumento da liquidez global. 

Brasil em posição privilegiada com regulação de criptomoedas

Fábio Plein diz que a aprovação da lei de criptomoedas de 2023 colocou o Brasil em uma posição privilegiada.

“A SEC, por outro lado, tem uma regulação ‘by enforcement’, por litígio, que não traz essa clareza regulatória que nós e os principais players da indústria buscamos para saber como poder trabalhar aqui [nos Estados Unidos]”, compara. 

A mão pesada da SEC, inclusive, afasta empreendedores do mercado norte-americano, na visão de Plein. “A gente vê uma perda grande de talentos da indústria nos EUA indo para outros mercados em busca dessa clareza regulatória”, afirma.

Por outro lado, a aprovação dos primeiros ETFs de bitcoin spot seriam o primeiro passo para uma regulação no país. Porém, ainda há um caminho legal a ser percorrido pelas empresas do setor e o xerife dos mercados norte-americanos — que vive uma verdadeira cruzada com empresas do setor.

Apesar de estar otimista com o futuro — tanto do mercado de criptomoedas quanto o desenvolvimento do ecossistema brasileiro —, o representante da Coinbase para as Américas não expôs muito os planos para o Brasil. 

No passado, houve um rumor no mercado de que a corretora norte-americana iria adquirir um pedaço da 2TM, controlado do unicórnio brasileiro Mercado Bitcoin. 

Sobre a aquisição, ele desconversa: “como empresa, estamos sempre abertos e avaliando oportunidades do tipo. Mas nosso foco no Brasil é crescer organicamente e gente tem observado um aumento do interesse de investidores nesse momento de retomada do mercado nos últimos meses”.

O mesmo tema foi perguntado ao CEO do MB, Reinaldo Rabelo, no começo do ano — a conversa completa você lê aqui. 

  • Quem investiu apenas R$ R$ 3.500 em uma criptomoeda ANTES do último halving ficou milionário… Agora, uma nova lista com o mesmo potencial foi liberada com um único objetivo: te fazer ficar milionário investindo pelo menos R$ 500 em cada ainda neste ciclo de alta. Confira mais detalhes aqui.

Além da Coinbase: a concorrência no mercado

É verdade que já foi o tempo de o mercado de criptomoedas ser algo dos rincões da internet. A má fama do bitcoin — que já foi chamado de dinheiro de tráfico ou mesmo utilizado para transações criminosas — persegue os ativos digitais até hoje. 

E depois de eventos como a quebra da corretora FTX e o colapso do protocolo Terra (LUNA), as empresas do setor precisam provar cada vez mais que são confiáveis. 

Porém, existem ainda muitas companhias que optam por vias escusas para aumentarem suas bases de usuários. Algumas corretoras, por exemplo, não se utilizam de práticas de know your customer (KYC, no jargão do mercado, ou “conheça seu cliente”) entre outros mecanismos de prevenção à lavagem de dinheiro ou segregação patrimonial. 

“Por muitas vezes, foi frustrante ver competidores não tendo essa abordagem [de proteção dos clientes] e muitas vezes oferecendo produtos que nós julgávamos serem ilegais”, diz Plein.

“Às vezes isso fez com que a gente não se movesse tão rápido quanto os concorrentes”, continua o diretor da Coinbase. “Construir essa confiança custa dinheiro e tempo, mas a gente acredita que esse é o caminho certo para promover a indústria”.

Ele ainda explica que a Coinbase investiu para conseguir mais de 50 licenças pelo mundo e garantiu que “algo próximo de 10%” da equipe global está relacionada às áreas de segurança, compliance e do setor jurídico.

Compartilhe

NAS MÃOS DO BC

Faltam apenas três passos para que o Banco Central regule o mercado de criptomoedas no Brasil; confira o cronograma

20 de maio de 2024 - 17:31

A instituição ressalta que deve dar atenção especial às regras de prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo

SUBSTITUIÇÃO

CEO do maior fundo de bitcoin (BTC) do mundo renuncia em meio à debandada de investidores do GBTC

20 de maio de 2024 - 14:24

Quem assumirá seu lugar interinamente será Peter Mintzberg da empresa a partir de agosto, além de se juntar ao conselho de administração da Grayscale

VAI APAGAR A LUZ

Venezuela vai desligar máquinas de mineração de bitcoin (BTC) no país; você deveria se preocupar?

20 de maio de 2024 - 9:32

Vale lembrar que a Venezuela é um país que sofre várias sanções internacionais, o que limita a capacidade de geração e distribuição de energia para a população

APÓS A TEMPESTADE

Colhendo os cacos do Inverno das Criptomoedas: plataforma de staking da Gemini deve começar a devolver ativos dos clientes neste mês

19 de maio de 2024 - 12:44

O anúncio foi feito após a Justiça aprovar o plano de recuperação judicial do Digital Currency Group (DCG)

ESPERE E VERÁ

Bitcoin (BTC) em alta — e vai continuar: companhia de pesquisa em criptomoedas identifica possível “efeito FTX” no preço dos ativos digitais

16 de maio de 2024 - 11:46

Recentemente, a FTX anunciou que pagaria — com juros — os montantes devidos aos clientes, algo entre US$ 14,5 bilhões e US$ 16,3 bilhões

QUEDA DOS IMPÉRIOS

Os Faraós do Inverno Cripto: Como a prisão de três magnatas do mundo das criptomoedas influencia na regulação global do mercado?

16 de maio de 2024 - 6:15

Se, por um lado, muitas pessoas foram prejudicadas por esses eventos, por outro, ficou clara a necessidade de uma regulação mais dura em relação a esse mercado

ACELERANDO ALTA

Bitcoin (BTC) salta e busca US$ 65 mil após inflação dos EUA diminuir ritmo de alta — agora, quando os juros irão cair?

15 de maio de 2024 - 11:13

De acordo com as estimativas do CME Group, as chances de o primeiro corte de juros acontecer em setembro são de mais de 50%

SOBE E DESCE

Entenda como ‘efeito GameStop’ fez criptomoeda saltar mesmo com dia de queda nos preços do bitcoin (BTC)

14 de maio de 2024 - 16:33

A volta das “meme stocks” fez ressurgir o mercado das memecoins, as criptomoedas nascidas de piadas na internet

MAIOR ALTA DA SEMANA

Render (RNDR): quem é a criptomoeda que deixou o bitcoin (BTC) no chinelo com alta de mais de 40% na semana?

7 de maio de 2024 - 10:55

Em um relatório do começo deste ano, a Empiricus fez um relatório explicando o porquê de essa criptomoeda se destacar ante às demais

CRYPTO INSIGHTS

O embate mais importante do mundo das criptomoedas: Desafios regulatórios colocam SEC e empresas de cripto em lados opostos do tabuleiro

7 de maio de 2024 - 8:18

Na minha opinião esse nível de excesso regulatório destrói completamente a credibilidade da SEC e influencia diretamente nas eleições

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar