🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Carolina Gama
O FIM DA HISTÓRIA

Um arquiteto fora do normal: morre Charlie Munger, o gênio dos investimentos e braço direito de Warren Buffett

Relembre a história do homem que teria completado 100 anos no dia de Ano Novo e que mudou a vida do Oráculo de Omaha para sempre

Carolina Gama
28 de novembro de 2023
19:38 - atualizado às 19:46
Charlie Munger, vice-presidente da Berkshire Hathaway e braço direito de Warren Buffett
Charlie Munger, vice-presidente da Berkshire Hathaway e braço direito de Warren Buffett. - Imagem: Shutterstock

“A Berkshire Hathaway não poderia ter chegado ao seu status atual sem a inspiração, sabedoria e participação de Charlie”. Foi assim que Warren Buffett descreveu seu amigo e braço direito dos investimentos, Charlie Munger, que morreu nesta terça-feira (28), aos 99 anos. 

Quem contou a Buffett sobre o falecimento de um dos maiores gênios dos investimentos foi a própria família de Munger — indicando que ele morreu pacificamente esta manhã em um hospital da Califórnia. Ele teria completado 100 anos no dia de Ano Novo.

O reconhecimento de Buffett a Munger não veio só agora. Em uma entrevista à CNBC, em 2018, o Oráculo de Omaha se declarou: “Charlie me deu o melhor presente que uma pessoa pode dar a outra. Ele me tornou uma pessoa melhor do que eu seria de outra forma. ... Ele me deu muitos bons conselhos ao longo do tempo. ... Vivi uma vida melhor por causa de Charlie.”

Quem foi Charlie Munger

Antes de louvar a genialidade de Munger, vale a pena conhecer a origem do homem que se tornou o braço direito de Buffett.  

Ele nasceu Charles Thomas Munger, em Omaha, no dia 1 de janeiro de 1924. Seu pai, Alfred, era advogado, e sua mãe, Florence “Toody”, era de uma família rica. 

Tal como Warren, Munger trabalhou na mercearia do avô de Buffett quando jovem, mas os dois futuros parceiros só se conheceram anos mais tarde.

Aos 17 anos, Munger trocou Omaha pela Universidade de Michigan. Dois anos depois, em 1943, ele se alistou no Army Air Corps, de acordo com a biografia de Janet Lowe de 2003, “Damn Right!”

Os militares o enviaram para o Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena, para estudar meteorologia. 

Na Califórnia, ele se apaixonou pela colega de quarto de sua irmã no Scripps College, Nancy Huggins, e se casou com ela em 1945. 

Embora nunca tenha concluído sua graduação, Munger se formou magna cum laude na Harvard Law School em 1948, e o casal voltou para Califórnia, onde exerceu a advocacia imobiliária. 

Fundou o escritório de advocacia Munger, Tolles & Olson em 1962 e se concentrou na gestão de investimentos no fundo de hedge Wheeler, Munger & Co., que também fundou naquele ano.

Na Califórnia, fez parceria com Franklin Otis Booth, membro da família fundadora do Los Angeles Times, no setor imobiliário. 

Um dos primeiros empreendimentos acabou sendo um lucrativo projeto de condomínio na propriedade do avô de Booth em Pasadena — Booth, que morreu em 2008, foi apresentado a Buffett por Munger em 1963 e tornou-se um dos maiores investidores da Berkshire. 

Munger fechou o fundo de hedge em 1975. Três anos depois, tornou-se vice-presidente da Berkshire Hathaway, o conglomerado liderado por Buffett. 

TOUROS E URSOS - MAGAZINE LUIZA (MGLU3) E CASAS BAHIA (BHIA3): O QUE REALMENTE DEU ERRADO?

A vida pessoal de Munger

Munger, que usava óculos grossos, perdeu o olho esquerdo após complicações de uma cirurgia de catarata em 1980.

Ele e sua esposa tiveram três filhos, as filhas Wendy e Molly, e o filho Teddy, que morreu de leucemia aos 9 anos. Os Munger se divorciaram em 1953.

Dois anos depois, ele se casou com Nancy Barry, que conheceu em um encontro às cegas em um restaurante de frango. 

O casal teve quatro filhos, Charles Jr., Emilie, Barry e Philip. Ele também foi padrasto de seus outros dois filhos, William Harold Borthwick e David Borthwick. 

Munger e Buffett: o grande encontro

Em 1959, aos 35 anos, Munger retornou a Omaha para encerrar o escritório de advocacia de seu falecido pai. 

Foi quando ele foi apresentado a Buffett, então com 29 anos, por um dos clientes investidores do futuro megainvestidor — os dois se deram bem e mantiveram contato apesar de viverem a meio continente de distância um do outro.

A fusão das duas mentes brilhantes centrou-se no investimento em valor — uma marca da Berkshire

O próprio Buffett atribuiu a Munger o alargamento da sua estratégia de investimento, passando de favorecer empresas em dificuldades a preços baixos, na esperança de obter lucro, para se concentrar em empresas de maior qualidade, mas subvalorizadas.

“Todo investimento inteligente é investimento em valor — adquirir mais do que você está pagando”, disse Munger certa vez. “Você deve avaliar o negócio para avaliar as ações”, acrescentou. 

Bilionário e filantropo

No início de 2023, a fortuna de Munger foi estimada em US$ 2,3 bilhões — uma quantia impressionante para muitas pessoas, mas bem menor do que a fortuna insondável de Buffett, que é estimada em mais de US$ 100 bilhões.

Munger doou centenas de milhões de dólares a instituições educacionais, incluindo a Universidade de Michigan, a Universidade de Stanford e a Faculdade de Direito de Harvard. 

Junto com sua segunda esposa, com quem esteve casado por 54 anos — ela faleceu em 2010 —, Munger contribuiu com US$ 43,5 milhões para a Universidade de Stanford para ajudar a construir a Munger Graduate Residence, que abriga 600 estudantes de direito e de pós-graduação.

As doações, no entanto, tinham uma condição, em sua maioria: a escola deveria aceitar seus projetos de construção, mesmo que ele não tivesse formação como arquiteto.

Na escola preparatória Harvard-Westlake, em Los Angeles, onde Munger foi membro do conselho durante décadas, ele garantiu que os banheiros das meninas fossem maiores do que os dos meninos durante a construção do centro de ciências na década de 1990.

“Sempre que você vai a um jogo de futebol ou a um evento, há uma fila enorme do lado de fora do banheiro feminino. Quem não sabe que eles fazem xixi de uma forma diferente dos homens?”, disse Munger ao The Wall Street Journal em 2019. 

“Que tipo de idiota faria o banheiro masculino e o banheiro feminino do mesmo tamanho? A resposta é: um arquiteto normal!”

*Com informações da CNBC

Compartilhe

SEM CÉU DE BRIGADEIRO

Vai desbancar a Airbus? A gigante “Made in China” que pode provocar turbulência na aviação global

20 de fevereiro de 2024 - 19:58

Pequim criou uma empresa de aviação para bater de frente com rivais estrangeiras — e Airbus responde a concorrência à altura

COM OS DIAS CONTADOS

A China vai tombar de vez? O empurrão dos EUA que pode colocar a segunda maior economia do mundo em xeque

19 de fevereiro de 2024 - 19:50

No passado, o governo de Xi Jinping já alertou Washington sobre o “erro histórico” de impor limites à Pequim

SÓ DOR DE CABEÇA

A nova insônia da Argentina: o dado que vai tirar o sono de Javier Milei — e não é a inflação

19 de fevereiro de 2024 - 19:09

O governo já se defendeu dos números que devem trazer mais dor de cabeça para a Casa Rosada

SOB A LUPA EUROPEIA

Mais problemas para o TikTok? Rede social das dancinhas cai na mira da União Europeia — e pode receber multa pesada

19 de fevereiro de 2024 - 18:15

A UE vai investigar se a rede social viola as regras de conteúdo online destinadas a proteger as crianças na plataforma

O PODER DE UMA PAIXÃO

O caso amoroso que pode salvar Trump de ser condenado

19 de fevereiro de 2024 - 15:15

O romance em questão não está diretamente ligado ao ex-presidente dos EUA, mas pode ajudá-lo no processo sobre a tentativa do republicano reverter a derrota nas eleições de 2020

ANO NOVO, VIDA NOVA?

Viagens e gastos de turistas durante ano-novo na China superam níveis pré-pandemia, mas algo ainda incomoda os economistas

19 de fevereiro de 2024 - 11:37

Deslocamentos internos e gastos em viagens pela China mostram recuperação enquanto governo tenta impulsionar o consumo

MARCADOS PELA OPOSIÇÃO

Todos contra Putin: os inimigos que ousaram desafiar o homem mais poderoso da Rússia e não tiveram um final feliz

16 de fevereiro de 2024 - 19:43

A lista de desafetos do presidente russo é longa. O Seu Dinheiro separou os principais nomes de oposição e conta para você o destino — às vezes trágico — de cada um deles

"PASSOU MAL"

Quem foi Alexei Navalny, o opositor de Putin que denunciou a corrupção na Rússia e morreu na prisão

16 de fevereiro de 2024 - 10:01

Advogado e ativista anticorrupção, Navalny tinha 47 anos e entrou para a lista de opositores de Vladimir Putin que morreram nos últimos anos

TREMOR NA ÁSIA

A queda de um gigante: Japão perde posto de terceira maior economia do mundo; saiba qual país roubou o lugar

15 de fevereiro de 2024 - 16:44

A bolsa de valores japonesa, no entanto, reagiu bem à dança das cadeiras econômica; entenda por que o principal índice de ações de lá subiu mesmo com a confirmação da recessão

FICHA SUJA

Caso Sarkozy: por que um dos homens mais poderosos da França foi condenado e pode parar na cadeia

14 de fevereiro de 2024 - 19:31

Ele foi presidente de 2007 a 2012, segue como uma figura influente entre os conservadores e mantém relações amigáveis ​​com o atual chefe do Eliseu, Emmanuel Macron

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies