🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
NA TERRA DO SOL NASCENTE

‘Muy hermano’: Haddad surpreende em encontro com secretária do Tesouro dos EUA no Japão ao pedir ajuda… para a Argentina

O Brasil participa como convidado do G7 Financeiro com a presença do ministro da Fazenda; na próxima semana, o presidente Lula se reúne com outros chefes de Estado

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
11 de maio de 2023
9:10 - atualizado às 9:01
Falta de dólar na Argentina faz mais de 200 empresas entrarem na fila de espera de pagamentos — e Haddad quer cuidar disso
Imagem: Montagem Seu Dinheiro / Divulgação

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, chegou na última quarta-feira (10) ao Japão para um encontro com o G7 Financeiro. O chefe da pasta relatou que os empresários japoneses com os quais se encontrou estão interessados na aprovação de um acordo comercial com o Mercosul — e aproveitou para pedir ajuda à Argentina.

"O acordo Mercosul-Japão está na ordem do dia para os empresários japoneses, que se interessam por esse acordo e querem que o governo japonês tenha um olhar interessado, particular para as exportações vindas do Brasil para cá", disse o ministro a jornalistas em Niigata, Japão, cidade-sede do G7 financeiro.

O Grupo dos Sete (G7) é formado por Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Itália, Alemanha e Japão. O Brasil participa dos encontros na condição de convidado.

De acordo com o ministro, o encontro com os empresários japoneses também tratou da reforma tributária para melhorar o ambiente de negócios brasileiro, de forma a fortalecer os investimentos vindos do país asiático.

"Falamos muito da reforma tributária, interessa demais aos investidores japoneses por uma série de problemas complexos que serão simplificados pela reforma, como também das exportações brasileiras ao Japão. Queremos manter a nossa quota-parte no mercado japonês", declarou Haddad.

Haddad pede “mãozinha” para Argentina

Por falar em parcerias comerciais, Haddad afirmou também que uma das pautas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em sua participação no G7 da próxima semana é a situação econômica da Argentina.

"Uma das razões pelas quais o presidente Lula está vindo ao G7 é para tratar desse assunto. Para nós, é uma questão fundamental que esse problema seja endereçado. E o presidente Lula virá na próxima semana com a mesma preocupação, estou antecipando o que ele próprio, de viva-voz, vai trazer", declarou o ministro após se encontrar com a secretária do Tesouro americano, Janet Yellen.

Haddad disse à contraparte americana que a ajuda à Argentina se trata de uma questão humanitária. Ele ainda destacou que a união entre Brasil e Estados Unidos nesse tema seria um facilitador para as negociações.

O Brasil tem mobilizado esforços no socorro à nação vizinha — mas não apenas pelo interesse humanitário: mais de 200 empresas brasileiras estão na fila para receber pagamentos da Argentina.

  • Você investe em ações, renda fixa, criptomoedas ou FIIs? Então precisa saber como declarar essas aplicações no seu Imposto de Renda 2023. Clique aqui e acesse um tutorial gratuito, elaborado pelo Seu Dinheiro, com todas as orientações sobre o tema. 

Falta de divisas em ano eleitoral e fortalecimento da extrema-direita

"Estamos muito preocupados com o que está acontecendo com a nossa vizinha Argentina. E uma das coisas que me traz ao G7, por recomendação do presidente Lula, é sensibilizar o G7 e o G20 para as condições específicas da Argentina nesse momento. Nós trazemos essa preocupação por uma questão humanitária bastante evidente", declarou o ministro da Fazenda a Yellen, na parte da reunião que pôde ser acompanhada pela imprensa.

Haddad relatou à secretária do Tesouro americano a falta de divisas na Argentina "por razões históricas que vinham se acumulando" e as secas recentes, que afetaram as exportações.

Também destacou que é ano eleitoral no país vizinho. "Estamos preocupados com o destino político na Argentina", afirmou o ministro a Yellen, ao citar a postura violenta de grupos de extrema-direita na América do Sul.

Tema “Argentina” foi surpresa para secretária do Tesouro

Haddad afirmou a jornalistas que Yellen "se surpreendeu" com o tema abordado na bilateral, a Argentina, e se comprometeu a analisar as considerações.

A intercessão brasileira em nome da economia argentina acontece semanas após o presidente da Argentina, Alberto Fernández, visitar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio da Alvorada.

Na ocasião, o petista se comprometeu a trabalhar para convencer o Fundo Monetário Internacional (FMI) a "tirar a faca do pescoço" da Argentina. "A solução para Argentina passa pelo FMI", destacou Haddad.

Para além da identificação ideológica, o governo brasileiro quer ajudar a Argentina no campo da economia em ano eleitoral para evitar uma queda nas exportações ao país vizinho que leve ao enfraquecimento da atividade nacional. Os dois países estudam formas de financiar as exportações à Argentina, mas esbarram na garantia à política creditícia.

Haddad está em Niigata para o G7 Financeiro, marcado para esta sexta-feira (12), e retorna ao Brasil no sábado (13). O presidente Lula, por sua vez, irá a Hiroshima na semana que vem para o G7 presidencial.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

BOJ EM AÇÃO?

A possível intervenção do governo japonês no iene que impediu a queda no preço do dólar no Brasil

12 de julho de 2024 - 9:24

A diferença entre o dólar e o iene criou uma oportunidade de negociação altamente lucrativa chamada carry trade

ELEIÇÕES NOS EUA

Uma gafe daquelas: Biden troca nomes, chama o presidente da Ucrânia de Putin e complica ainda mais as chances de reeleição

11 de julho de 2024 - 19:47

A Rússia invadiu a Ucrânia em fevereiro de 2022 e desde então os dois países se enfrentam em uma guerra que não dá sinais de trégua

Desventuras em série

Citi é multado pelos reguladores por não ajustar controle de riscos e de dados

11 de julho de 2024 - 18:23

Banco tem passado por vários problemas regulatórios desde 2020

A MARATONA DO FED

O corte de juros nos EUA é inadiável? A surpresa no dado que levou o S&P 500 a flertar com outro recorde e pode trazer oportunidade para o investidor

11 de julho de 2024 - 13:01

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) norte-americano entrou em território deflacionário em junho, na comparação mensal, e abre uma porta para os ativos mais arriscados; entenda como

Demanda por óleo

Agência Internacional de Energia atualiza projeções e joga balde de água fria sobre as cotações de petróleo

11 de julho de 2024 - 12:11

Por volta das 12h00, preço futuro do Brent estava em leve alta de 0,34%, a mesma variação positiva do WTI.

CONTRA-ATAQUE

China vai investigar se a União Europeia está impondo barreiras comerciais contra produtos chineses; entenda a disputa entre o bloco e o gigante asiático

10 de julho de 2024 - 15:36

A investigação da China é uma resposta a uma série de apurações da União Europeia sobre os subsídios estatais do gigante asiático

INDEPENDÊNCIA EM XEQUE

A eleição nos EUA pode impedir o Fed de cortar os juros? O que esperar caso Trump volte à Casa Branca em novembro

10 de julho de 2024 - 13:35

A relação tumultuada do republicano com o Fed, particularmente com o atual presidente, Jerome Powell, deixa os investidores ao redor do mundo de cabelo em pé

QUEDA DE BRAÇO

Risco de falir? A contagem regressiva para evitar a quebradeira dos bancões nos EUA

9 de julho de 2024 - 16:06

Os grandes bancos norte-americanos fizeram um lobby feroz contra o plano encabeçado pelo Fed — e Powell sinaliza nesta terça-feira (9) que pode haver algum alívio; entenda a história

CAI OU NÃO CAI?

O morde e assopra de Powell: as 3 pistas do chefão do Fed sobre o futuro dos juros na maior economia do mundo — e a reação do mercado

9 de julho de 2024 - 14:51

Powell prestou depoimento ao comitê bancário do Senado — um compromisso que o presidente do BC dos EUA tem semestralmente em uma espécie de prestação de contas e deu mais sinais sobre o que pode acontecer por lá

MEXEU COM UM…

A Ucrânia vai finalmente entrar para a Otan? O que esperar da cúpula que pode virar o pesadelo da Rússia

8 de julho de 2024 - 19:55

Os líderes dos 32 países-membros da Otan se reúnem a partir de terça-feira (9) em Washington para uma cúpula e a adesão da Ucrânia à aliança volta a bater na porta de Moscou

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar