🔴 PRIO3 E +9 AÇÕES PARA COMPRAR AGORA – ASSISTA AQUI

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Deus me livre (mas quem me dera?)

Twitter restabelece selo azul para celebridades e instituições não pagantes — mas elas fazem questão de frisar que não assinaram o Twitter Blue

Rede social do bilionário Elon Musk derrubou o selo de verificação para não pagantes na última quinta-feira, gerando temores de criação de contas falsas em nome de personalidades famosas; até Pelé e o Papa Francisco perderam a marca azul

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
23 de abril de 2023
14:46 - atualizado às 14:52
Elon Musk ao lado do logotipo do Twitter
Elon Musk ao lado do logotipo do Twitter - Imagem: Montagem/Divulgação

O Twitter parece ter restabelecido o selo azul para celebridades que não assinaram o Twitter Blue, seu serviço de verificação de contas que custa US$ 8 por mês.

Em um esforço para fazer o benefício valer apenas para assinantes, a rede social de Elon Musk havia retirado o selo de todos os usuários não pagantes na última quinta-feira (20), deixando até mesmo nomes como Pelé e o Papa Francisco sem verificação.

  • Você conhece a “profecia do Bitcoin”? Segundo entusiastas de criptomoedas, o BTC pode substituir o sistema financeiro tradicional nos próximos anos – e as crises bancárias recentes estão fortalecendo cada vez mais essa tese. Este é o momento para comprar bitcoin? Descubra aqui.

A medida provocou críticas de usuários, que manifestaram o temor pelo surgimento de contas falsas dessas personalidades famosas e com muitos seguidores. Isso sem falar em verificados famosos apenas em alguns nichos na internet e subcelebridades que reclamaram pela perda do seu selo.

Neste domingo (23), porém, diversas celebridades e instituições de renome recobraram a sua verificação, inclusive famosos já falecidos, como Michael Jackson, o ator Chadwick Boseman e o próprio Rei do Futebol.

No entanto, tudo indica que a verificação ocorreu sem que essas contas tenham assinado pelo Twitter Blue. Por algum motivo - talvez por discordar das ideias e opiniões de Musk ou por considerar vergonhoso pagar por uma verificação numa rede social - muitas delas fizeram questão de tuitar afirmando que não assinaram o serviço.

Até porque, atualmente, ao se clicar no selo no perfil de uma conta do Twitter, a mensagem padrão que aparece é: "Conta verificada. Esta conta é verificada porque está inscrita no Twitter Blue e verificou seu número de telefone", sugerindo que, necessariamente, o usuário pagou pelo selo azul.

"Descobri ao acordar que recuperei o selo azul. Eu não paguei para o Twitter nem dei meu número de telefone a ninguém. Sr. Musk, se você está pagando para que pessoas que não têm o selo azul o tenham, a sugestão d[o escritor] Stephen King para que você doe o dinheiro para a caridade é excelente. Para refugiados, talvez?", tuitou o escritor britânico Neil Gaiman.

"Nós não assinamos o Twitter Blue", tuitou o renomado MIT.

"Na última semana, meu 'selo azul' do Twitter desapareceu por alguns dias, e reapareceu hoje. O universo está repleto de mistérios", tuitou o astrofísico e divulgador científico Neil deGrasse Tyson, sugerindo que não sabe por que o selo voltou.

Twitter Blue é criticado por usuários desde sempre

O Twitter Blue foi criado por Elon Musk ao assumir o Twitter para tornar as receitas da rede social menos dependentes de publicidade, mas recebeu críticas de usuários desde a sua concepção.

A verificação nasceu com o objetivo de ratificar que as contas pertenciam a pessoas e instituições reais, que eram de fato quem afirmavam ser e cujos tuítes poderiam ser considerados "oficiais" dos seus respectivos usuários, com o objetivo de dificultar que contas falsas conseguissem se passar por eles.

A ideia de assinar tal selo de certa forma subverteria esse objetivo, na visão dos críticos, obrigando o usuário a pagar para provar que é ele mesmo e ficando exposto ao risco de ter seu perfil falsificado caso não desejasse fazê-lo. E quanto mais relevante a figura ou instituição pública, mais pressionada ela se sentiria a assinar o Twitter Blue.

Além disso, o selo azul era, antes de Musk comprar o Twitter, um reconhecimento de que o perfil que o recebia era, de alguma forma, relevante na rede. Agora, se qualquer um pode recebê-lo ao simplesmente pagar por ele, parte do seu valor deixa de existir.

Leia também

Rejeição de famosos ao selo azul também gerou memes

A pressa dos perfis renomados em negar que tenham assinado o Twitter Blue, demonstrando a sua aparente rejeição ao serviço de assinatura, rendeu uma série de memes na rede social de Elon Musk, é claro.

"Celebridades do Twitter torcendo para que Elon não as castigue com um selo azul"

"Fio de celebridades mortas que receberam selo azul do Twitter como quando os mórmons batizam pessoas postumamente"

"Que outro tipo de produto é tão *constrangedor* que as pessoas se sentem compelidas a se explicar? Não, eu na realidade não comprei esse troço. Honestamente, não comprei. O Twitter Blue vai ser um case de estudo de marketing por muitos anos"

*Com informações do The Telegraph

Compartilhe

PRÉVIA OPERACIONAL

MRV (MRVE3) quebra recorde de vendas no Brasil, mas ainda queima milhões em caixa nos EUA

15 de abril de 2024 - 18:33

Na Resia, incorporadora norte-americana da MRV, há uma regra de ouro: não queimar caixa em 2024. Mas a diretriz ainda não foi refletida nos resultados do 1T24

Ranking

O Galaxy desbanca o iPhone: Apple (AAPL34) perde liderança global de smartphones no 1T24

15 de abril de 2024 - 18:17

Embora o setor esteja em crescimento, a gigante de tecnologia apresentou uma queda de quase 10% nas remessas de iPhone no primeiro trimestre do ano

NA CARTEIRA

JP Morgan tira BRF (BRFS3) da geladeira: ações da dona da Sadia e Perdigão disparam na B3 com recomendação de compra 

15 de abril de 2024 - 10:38

Analistas do banco norte-americano veem BRF barata mesmo após disparada de 173% em 12 meses na B3

FALHA NO ACELERADOR

Mais problemas para Elon Musk? Ações da Tesla caem mais de 1% com notícia sobre demissão em massa e falhas no Cybertruck 

15 de abril de 2024 - 10:10

Montadora do bilionário deve demitir cerca de 10% da sua força de trabalho global, o equivalente a pouco mais de 14 mil pessoas, segundo notícia da Reuters

A PARTIR DE 2025

Saiba como a maior produtora de alumínio do país pretende reduzir emissões em até 30% — parte da resposta: com um investimento de R$ 1,6 bilhão

13 de abril de 2024 - 13:13

A multinacional norueguesa Hydro do ramo de alumínio projeta reduzir em cerca de um terço a intensidade de emissão de dióxido de carbono (CO2) nas operações brasileiras a partir de 2025.  A controladora das maiores operações de alumina e alumínio primário no Brasil diz que a previsão é que a meta seja alcançada após a […]

VITÓRIA!

Prio (PRIO3) fica com 100% de Wahoo: como a vitória deve aumentar a produção da petroleira; ações sobem na bolsa

12 de abril de 2024 - 13:05

A empresa recebeu uma decisão favorável da Câmara de Comércio Internacional em um processo arbitral relacionado à concessão BM-C-30, no campo de Wahoo

REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDAS

Light (LIGT3) assina acordos com credores, em novo passo em direção ao fim da recuperação judicial; ações caem na B3

12 de abril de 2024 - 11:46

Foram celebrados dois acordos com credores e debenturistas envolvendo as subsidiárias Light Sesa e Light Energia; entenda o que vem pela frente

ENGORDOU O PATRIMÔNIO

CEO da Nvidia fica quase R$ 3 bilhões mais rico em um dia. Conheça o bilionário que quase dobrou de fortuna em 2024

11 de abril de 2024 - 18:03

Jensen Huang é a 19º pessoa mais rica do planeta, de acordo com a revista Forbes, com um patrimônio avaliado em US$ 79,5 bilhões (R$ 404 bilhões)

ENTENDA O CASO

Justiça embarga obras de complexo bilionário da JHSF (JHSF3) no interior de São Paulo

11 de abril de 2024 - 16:01

A decisão aconteceu após pedido do Ministério Público, que afirma que a JHSF e outras duas companhias burlaram regras de licenciamento ambiental

DESISTIU DA BATALHA?

Gafisa (GFSA3): Esh Capital diminui participação após perder disputa sobre assembleia; ações caem 6% na B3

11 de abril de 2024 - 11:24

A gestora de Vladimir Timerman reduziu a participação na Gafisa de 20% para 4% do capital

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies