🔴 03/06 – ‘GATILHO’ PARA BUSCAR ATÉ R$ 2 MILHÕES COM CRIPTOMOEDAS PODE SER DISPARADO – SAVE THE DATE

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Nova diretoria

Quem são os três executivos da Petrobras que vão decidir o preço da gasolina daqui para frente

Em conjunto com o presidente da estatal, dois outros diretores recém-indicados são os responsáveis por decidir os reajustes de preços dos combustíveis

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
20 de fevereiro de 2023
10:49 - atualizado às 13:28
Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras (PETR4)
Reajustes nos combustíveis são decididos em conjunto pelo CEO, o diretor financeiro e o diretor de Comercialização e Logística da Petrobras. - Imagem: Agência Petrobras

O presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Jean Paul Prates, fechou, na última sexta-feira (17), o trio que, se aprovado, passará a decidir sobre o preço da gasolina e outros combustíveis na estatal.

Ele formalizou a indicação do economista e gestor Sergio Caetano Leite à diretoria financeira e de relações com investidores da companhia.

Na Petrobras, os responsáveis por tomar decisões em conjunto acerca dos reajustes nos preços dos combustíveis são o presidente da companhia, o diretor financeiro e o diretor de Comercialização e Logística.

Este último, o engenheiro químico e bacharel em Direito Claudio Schlosser, já havia sido indicado no dia 2 de fevereiro, em uma leva de cinco nomeações para as diretorias da Petrobras.

Sergio Caetano Leite é mestre em Economia e Gestão, administrador de carteiras e fundos de investimento certificado pela CVM, com experiência internacional na área de “investment banking” e fusões e aquisições no Brasil e no exterior.

Atuou por mais de 15 anos no setor de petróleo como consultor financeiro e no mercado de capitais na gestão de fundos e administração fiduciária, atendendo fundos institucionais e estruturados.

As indicações de Caetano Leite e Claudio Schlosser ainda aguardam as devidas aprovações da empresa. Mas fontes de mercado e da estatal avaliam que eles não devem enfrentar dificuldades.

VEJA TAMBÉM: Com menos de cem dias, governo Lula ganha apoio de gigantes e amplia 'lua de mel' com o mercado

Primeiro reajuste da gestão Prates esteve em linha com as práticas da gestão anterior

O primeiro e até agora único reajuste de preços promovido pela Petrobras no novo governo, após a chegada de Prates, ainda foi tomado em conjunto com os antigos diretores financeiro e de Comercialização e Logística, Rodrigo Araújo e Cláudio Mastella, respectivamente.

Na ocasião, o preço do litro do diesel foi reduzido em 8,9%, o equivalente a R$ 0,40.

Analistas ouvidos pelo Estadão/Broadcast definiram o movimento como "técnico" e em linha com a dinâmica de reajustes da gestão anterior, em que a Petrobras acompanha só parcialmente a variação do preço de paridade de importação (PPI), de forma a deixar gordura para evitar que seu preço fique defasado logo em seguida, em função de flutuações do mercado internacional de petróleo e derivados.

Segundo os consultores Pedro Shinzato, da StoneX, e Bruno Páscoa, do Centro Brasileiro de Infraestrutura, no reajuste efetuado em 8 de fevereiro havia espaço para reduzir o litro do diesel em pouco mais de R$ 0,60, mas a Petrobras optou pelo corte de apenas R$ 0,40.

*Com informações do Estadão Conteúdo.

Compartilhe

FABRICANTE DE CHIPS

É hoje! Veja o que analistas esperam do balanço da Nvidia: crescimento da gigante da Inteligência Artificial perdeu vapor?

22 de maio de 2024 - 11:02

Dados consensuais da Bloomberg apontam para uma expectativa de crescimento de 400% do lucros em comparação ao trimestre imediatamente anterior

O boi Subiu no telhado?

Sinal vermelho para a Minerva (BEEF3): autoridade uruguaia barra compra de plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no país

21 de maio de 2024 - 18:38

O negócio faz parte de uma transação de R$ 7,5 bilhões anunciada em agosto do ano passado; Minerva deve recorrer da decisão

LUCHA LIBRE DAS FINTECHS

Como o Mercado Livre (MELI34) pretende enfrentar o Nubank em disputa pelo mercado do México

21 de maio de 2024 - 17:26

O Mercado Pago está em busca de uma licença bancária para se estabelecer como “o maior banco digital do México”, em uma briga direta com o Nu

FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

21 de maio de 2024 - 12:28

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

NADANDO COM TUBARÕES

Adeus, Shark Tank? Justiça acata recuperação judicial da Polishop, de João Appolinário

21 de maio de 2024 - 12:16

Em meio a cobranças e ações de despejo, recuperação judicial protege a Polishop de seus credores por 180 dias

TENTATIVA DE RECUPERAÇÃO

Unigel obtém acordo com credores para reestruturar dívida de mais de R$ 4 bilhões

21 de maio de 2024 - 9:40

A empresa de químicos começou a romper compromissos com alguns credores em setembro de 2023, antes de entrar com a proposta de recuperação

REPORTAGEM ESPECIAL

Pão de Açúcar (PCAR3) volta às origens e tenta se reinventar após “desmanche” no fim da era Casino

21 de maio de 2024 - 6:19

Situação do Pão de Açúcar pode mudar à medida que a atual administração consiga trazer a operação de volta à rentabilidade; saiba o que esperar das ações da rede de supermercados

AVAL DOS MUNICÍPIOS

Sinal verde para privatização: Municípios de SP aprovam “último passo” para desestatizar a Sabesp (SBSP3)

20 de maio de 2024 - 18:47

No passo final do processo de desestatização, centenas de prefeitos de São Paulo assinaram um contrato unificado com a companhia de saneamento

DE OLHO NAS REDES

Interferência na Petrobras ainda vai longe? Os planos de Lula para a empresa não agradam nem um pouco o mercado — e agora? 

20 de maio de 2024 - 18:11

Os ruídos dentro na Petrobras (PETR4) não são de agora e a principal preocupação do investidor de PETR4 é a influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na estatal.  Enquanto o governo quer que a estatal faça cada vez mais investimentos, o mercado enxerga que isso pode ser um perigo, dado o risco de […]

ENTENDA O IMBRÓGLIO

Vibra (VBBR3) compra seu edifício-sede no Rio, mas transação causa impasse para investidores de CRI e fundos imobiliários

20 de maio de 2024 - 17:02

Não se trata de um calote como os vistos no mercado de CRI no ano passado, mas sim de uma situação muito mais complexa do ponto de vista jurídico

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar