Independência do Banco Central vai acabar? Entenda melhor aqui

Cotações por TradingView
2023-01-24T22:14:07-03:00
Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Bancos x Americanas

Caso Americanas: Itaú rebate Lemann e diz que é ‘leviano’ atribuir aos bancos responsabilidade sobre rombo contábil

Para o Itaú, as demonstrações financeiras da Americanas são de responsabilidade única e exclusiva da varejista, incluindo diretoria e conselho

24 de janeiro de 2023
17:04 - atualizado às 22:14
Lupa destaca site da Americanas.com em tela de computador
Tela do site da Americanas.com - Imagem: Shutterstock

O Itaú Unibanco chamou de "leviano" um dos argumentos apresentado pelo trio Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira no último domingo (22) no contexto do escândalo contábil envolvendo a Americanas.

Na nota assinada pelo trio, eles afirmaram que a PwC, que audita o balanço da Americanas, fez uso regular de "cartas de circularização" enviadas pelos bancos que mantinham operações com a varejista e que nenhuma das instituições denunciaram irregularidades. Esse tipo de documento é uma comunicação da equipe de auditoria com terceiros para confirmar alguns fatos contábeis e saldos.

"O Itaú Unibanco esclarece que a elaboração e aprovação das demonstrações financeiras que espelhem a realidade da companhia são responsabilidade única e exclusiva da administração da empresa, incluindo sua diretoria e seu conselho, e sem nenhuma influência dos bancos ou outros credores", disse o Itaú em nota enviada à imprensa.

O banco também destaca que as cartas de circularização são apenas um instrumento que apoiam a auditoria.

"Dessa forma, é leviana a tentativa de atribuir aos bancos qualquer responsabilidade sobre as práticas contábeis irregulares da empresa", finalizou o Itaú.

VEJA TAMBÉM - Americanas não é o primeiro fracasso de Lemann e sócios: veja outros 3 grandes desastres na história do trio

Americanas e 3G x Bancos

Desde que o escândalo contábil da Americanas veio à tona, duas semanas atrás, os bancos travam uma guerra judicial contra a varejista e seus acionistas de referência, os bilionários da 3G.

Dois dias depois da revelação do rombo bilionário, os sócios bilionários da Americanas se dispuseram a fazer uma injeção de capital de R$ 6 bilhões para mitigar os efeitos da inconsistência contábil. 

A proposta foi apresentada durante negociações que aconteceram na sexta-feira (13) com o ex-presidente da Americanas, Sergio Rial, e alguns dos maiores bancos do Brasil. Mas os bancos julgaram o montante insuficiente e pressionaram os acionistas de referência.

O imbróglio ganhou contornos de disputa judicial já naquela sexta-feira, quando a Americanas obteve uma decisão no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) que suspendia qualquer vencimento antecipado de dívidas e bloqueio de bens da companhia.

No seu pedido à Justiça, a Americanas disse que alguns credores já a estavam notificando para declarar o vencimento antecipado das obrigações, citando especificamente uma dívida junto ao BTG Pactual no valor de R$ 1,2 bilhão. O documento trouxe, ainda, uma explicação na qual a dívida total da varejista chegada a R$ 40 bilhões.

Porém, o BTG entrou com mandado de segurança com pedido de liminar na terça-feira (17). A liminar foi concedida ontem (18) e, depois dela, outros bancos resolveram entrar na Justiça contra a tutela cautelar da Americanas.

A recuperação judicial da Americanas

A situação forçou a Americanas a acelerar o pedido de recuperação judicial, protocolado e aceito na última quinta-feira (19). E, durante todo esse imbróglio, o 3G não havia se pronunciado publicamente sobre o caso. Foi apenas no domingo (22) que o trio quebrou o silêncio.

Em nota conjunta, Lemann, Telles e Sicupira disseram que jamais tiveram conhecimento da inconsistência. Além disso, os três bilionários também garantiram que a empresa tem sido gerida, nos últimos 20 anos, por "executivos considerados qualificados e de reputação ilibada".

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

HYPE DO CHATBOT

Se cuida, ChatGPT! Alibaba entra na corrida da inteligência artificial com versão chinesa; veja quem já está nessa disputa

8 de fevereiro de 2023 - 14:10

A Microsoft não está assistindo tudo isso de braços cruzados e anunciou um mecanismo de pesquisa Bing com inteligência artificial e um navegador Edge, que será sustentado pelo ChatGPT

Repercussão do resultado

Itaú (ITUB4) acertou em provisionar 100% da exposição à Americanas, dizem analistas; ações disparam na bolsa

8 de fevereiro de 2023 - 12:56

Ao se prevenir totalmente de calote da Americanas no balanço do 4T22, Itaú evita que efeito contamine resultados de 2023

CORRIDA PLATINUM

Uber supera expectativas no 4º trimestre e encerra 2022 com balanço 5 estrelas; ações disparam nas bolsas

8 de fevereiro de 2023 - 12:09

A empresa encerrou os últimos três meses do ano passado com um lucro líquido de US$ 595 milhões, contrariando as expectativas de prejuízo dos analistas

VESPEIRO POLÍTICO

CEO do Itaú (ITUB4) fala sobre disputa entre Lula e presidente do BC: “é do jogo”

8 de fevereiro de 2023 - 11:44

Milton Maluhy, CEO do Itaú, vê a equipe do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, “na direção correta”, mas defende definição rápida da meta de inflação

TEMPOS DIFÍCEIS

Entenda o que está acontecendo com a Marisa (AMAR3) após a renúncia do presidente e alerta financeiro — ações caem mais de 5% na B3

8 de fevereiro de 2023 - 11:12

A Marisa (AMAR3) não detalhou quais as suas dificuldades financeiras que demandam melhorias na estrutura de capital

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies