🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
TRANSFERÊNCIAS

O cartão de débito contra-ataca na batalha contra o PIX pela preferência nos meios de pagamento; veja novidades que chegarão em breve

Pressionado pela chegada do PIX, o setor de cartões prepara ao menos quatro novidades para aumentar a competitividade

Renan Sousa
Renan Sousa
8 de março de 2023
9:29 - atualizado às 9:23
Cartões de débito X PIX quem vence a batalha pelas transações mais rápidas
Imagem: Montagem Seu Dinheiro

Não é novidade para nenhum brasileiro que o PIX virou o método de pagamento preferido da população. Mas os cartões de débito, que perderam espaço ao longo dos últimos anos, prometem acirrar a concorrência em 2024.

Isso porque, a partir do ano que vem, a transferência de recursos nas operações realizadas com cartão de débito poderão ocorrer de forma instantânea. Em outras palavras, comerciantes que vendem por meio dessa modalidade receberiam os recursos na mesma hora.

Atualmente, uma transação feita por cartão de débito demora cerca de dois dias para ser computada e o dinheiro cair na conta do comerciante. Com a novidade, seria possível liquidar as transações em “D+0” — ou seja, instantaneamente, como ocorre com o PIX. 

Pressionado pela chegada do PIX, o setor de cartões prepara ao menos quatro novidades para aumentar a competitividade com o sistema de pagamentos.

Débito X PIX: foco nos pagamentos não presenciais

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) pretende colocar em prática este ano duas medidas voltadas para pagamento em transações não presenciais.

A primeira delas é o click to pay. Esse mecanismo permite que o cliente consiga pagar com débito em compras na internet com um só clique, sem ter de entrar no aplicativo do banco.

A outra novidade é o débito sem senha, voltado a serviços de streaming e aplicativos de transporte, por exemplo. Essas duas medidas são voltadas para pagamento em transações não presenciais.

Round 2: PIX impõe seu ritmo nas inovações

Além disso, um dos membros da Abecs e vice-presidente de Inovação e Soluções da Visa no Brasil, Fernando Amaral, afirma que algumas medidas são estudadas há bastante tempo, mas que o sucesso do Pix fez a indústria apertar o passo.

"O Pix mostrou em alguns pontos oportunidades que tínhamos, e que poderíamos atacar de maneira mais veloz", disse ao Estadão/Broadcast.

A última das quatro modalidades é o parcelamento de compras com cartão de débito, com juros — embora esse método não tenha ficado claro em um primeiro momento, já que parece se tratar apenas de uma operação de “crédito com juros”.

Round final: perdendo espaço no ringue

As transações por PIX atingiram o volume máximo histórico em dezembro do ano passado, movimentando cerca de R$ 1,223 trilhão naquele mesmo mês, segundo dados do Banco Central.

Mas o cartão de débito não ficou para trás, e teve um salto durante o período da pandemia, com o pagamento do auxílio emergencial pelo governo. Mas, desde 2021, começou a perder força.

No ano passado, as transações com o cartão de crédito cresceram 7,4% e movimentaram R$ 992,4 bilhões. Já o setor de cartões cresceu 24,6%, para R$ 3,31 trilhões, segundo a Abecs. O crédito e o pré-pago tomaram a dianteira.

Entre débito e PIX, o juiz é o cliente

Para o cliente, o débito ainda é mais fácil de usar, mas, para os comerciantes, o PIX é mais conveniente, porque tem custos de transação mais baixos e o dinheiro entra no caixa de forma imediata.

"Não dá para negar que o fator mais importante é a nova concorrência, o Pix", diz Boanerges Ramos Freire, consultor e presidente da Boanerges & Cia. "É inegável que o [cartão de] débito tem um desafio, e o setor está certo em posicioná-lo."

Eduardo Rosman, analista do setor financeiro no BTG Pactual, afirma que o pré-pago também avançou sobre o débito.

"Os próprios emissores preferiam emitir cartão pré-pago, porque havia um intercâmbio mais alto", diz, referindo-se à taxa paga pelas maquininhas ao emissor do cartão em cada compra.

A partir de abril, no pré-pago, haverá um teto de 0,7%, ainda assim maior que o do débito, de 0,5%. Ele destaca que o PIX tem estrutura concorrente à dos cartões, que, por outro lado, têm vantagens como a possibilidade de reembolso de transações.

Compartilhe

LOTERIAS

4 apostas dividem prêmio milionário da Lotofácil, Mega-Sena decepciona e +Milionária nem precisa dizer

26 de maio de 2024 - 9:09

Lotofácil justifica mais uma vez a fama de loteria menos difícil da Caixa; prêmio da Mega-Sena salta para R$ 75 milhões

DESANCORADO

As más notícias de Campos Neto: temores fiscais, juros nos EUA e a própria credibilidade do BC dificultam combate à inflação

25 de maio de 2024 - 12:59

Comentários feitos por Campos Neto na tarde de sexta-feira fizeram o dólar e os juros projetados subirem

LOTERIAS

A teimosia compensa! Apostador do RJ insiste nos números e fatura sozinho a Lotofácil

25 de maio de 2024 - 8:12

Lotofácil continua fazendo jus à fama de loteria menos difícil da Caixa, mas não foi a única a distribuir um prêmio milionário ontem; Mega-Sena acumulada corre hoje

DADOS DA RECEITA

Imposto de Renda: pessoas físicas doam R$ 35 milhões do IR para fundos do Rio Grande do Sul; veja como contribuir

24 de maio de 2024 - 19:43

Em meio à tragédia climática de sua história, o estado foi o maior beneficiado desse tipo de direcionamento do IR

ALÔ, COLECIONADORES

Banco Central libera 4 mil moedas comemorativas dos 200 anos da primeira Constituição brasileira

24 de maio de 2024 - 12:26

A moeda de comemoração à Constituição de 1824 terá recurso de cor pela primeira vez em uma peça de prata no Brasil e pode ser adquirida a partir desta sexta-feira (24)

LOTERIAS

Mega-Sena decepciona de novo, mas Lotofácil faz um novo milionário no interior de SP

24 de maio de 2024 - 5:54

Lotofácil continua fazendo jus à fama de loteria menos difícil da Caixa; prêmio da Mega-Sena já está em R$ 47 milhões

APÓS FALA DE HADDAD

Inflação acima da meta não assusta — mas um outro desafio macroeconômico se impõe sobre o Brasil, diz André Esteves, do BTG Pactual

23 de maio de 2024 - 19:26

O economista avalia que o mercado “não precisa perder o sono”, mas sim manter a disciplina em relação ao sistema de metas de inflação

LEVANTAMENTO

Motoristas e entregadores de aplicativo ganham menos e trabalham mais, aponta Ipea

23 de maio de 2024 - 17:10

Entre 2012 e 2015, os motoristas tinham rendimento médio mensal de R$ 3.100. Em 2022, o valor auferido era inferior a R$ 2.400, uma queda de 22,5%

FAÇA SUAS APOSTAS

Em quanto tempo a inteligência artificial vai ultrapassar a humana? Elon Musk fala em 2 anos, mas CEO de big tech chinesa vê evolução lenta da IA

23 de maio de 2024 - 15:00

Enquanto CEOs norte-americanos avaliam que a Inteligência Artificial irá ultrapassar a humana em breve, bilionário chinês projeta mais de 10 anos para o feito acontecer

O MERCADO TAMBÉM ERRA

CEO do JP Morgan não descarta pouso forçado da economia dos EUA, mas alerta para uma possibilidade ainda pior

23 de maio de 2024 - 11:11

Jamie Dimon, o CEO do JP Morgan, não descarta a possibilidade de os juros voltarem a subir antes de o Fed iniciar um ciclo de cortes

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar