🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Em busca de segurança

Para onde os brasileiros destinaram seus mais de R$ 5 trilhões em investimentos em 2022

Valor investido por pessoas físicas ultrapassou a marca pela primeira vez, e participação da renda fixa viu crescimento substancial com a alta dos juros; fundos multimercados tiveram queda inédita em volume

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
9 de fevereiro de 2023
19:00
Trade
Imagem: Shutterstock

O valor investido pelas pessoas físicas ultrapassou os R$ 5 trilhões pela primeira vez no ano passado, um crescimento de 11,7% em relação a 2021.

Foram, mais precisamente, R$ 5,055 trilhões distribuídos em diversas classes de ativos por investidores dos segmentos private (mais de R$ 3 milhões investidos), varejo alta renda e varejo dos bancos e corretoras brasileiros.

  • O Seu Dinheiro acaba de liberar um treinamento exclusivo e completamente gratuito para todos os leitores que buscam receber pagamentos recorrentes de empresas da Bolsa. [LIBERE SEU ACESSO AQUI]

E, com a continuidade da alta da Selic, a renda fixa acabou sendo o destino de mais de 60% desses recursos, na busca do investidor por rentabilidade com baixo risco, à medida que a renda variável se tornava menos atrativa com juros tão altos e incertezas macroeconômicas, inclusive no exterior.

Segundo números divulgados nesta quinta-feira (09) pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), foi a primeira vez que a alocação em renda fixa cresceu significativamente na série histórica iniciada em 2017.

Nos primeiros quatro anos - de 2017 a 2020 - a participação da renda fixa na carteira dos investidores vinha recuando, o que coincidiu com a queda da Selic; ao mesmo tempo, a parcela de renda variável vinha aumentando, até atingir a máxima de 20% em dezembro de 2020.

Em 2021, com o início da escalada dos juros no último ciclo de alta, houve pequeno aumento na participação da renda fixa nas carteiras das pessoas físicas, com leve recuo na renda variável, em relação ao ano anterior. Em 2022, porém, a participação da renda fixa subiu de 56,8% para 60,3%, enquanto a da renda variável caiu de 19,5% para 17,1%.

Fonte: Anbima

Brasileiros se voltam para os títulos de renda fixa isentos de IR

Os títulos de renda fixa isentos de imposto de renda apresentaram alguns dos maiores crescimentos de volume no ano passado. Segundo Ademir Correia Junior, presidente do Fórum de Distribuição da Anbima, a procura por esses investimentos tem sido tão grande que tem faltado lastro para a emissão de papéis.

Títulos como Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) e Letras Imobiliárias Garantidas (LIG) dependem de haver operações imobiliárias ou do agro para serem financiadas com os recursos obtidos junto aos investidores.

Os papéis isentos de IR que viram o maior crescimento em volume no ano passado foram as LCIs (+67,6%, para R$ 87,6 bilhões), LCAs (+76,0%, para R$ 137,1 bilhões) e LIGs (+87,7%, para R$ 40,5 bilhões).

Veja o crescimento da popularidade dos títulos isentos de IR nos últimos anos:

Fonte: Anbima

Porém, entre os títulos nos quais as pessoas físicas mais investiram diretamente, LCAs e LCIs aparecem apenas em terceiro e quarto lugares, respectivamente.

O primeiro lugar foi “tomado de assalto” pelos Certificados de Depósitos Bancários (CDBs), títulos emitidos por bancos que não dependem de lastros específicos e que costumam pagar um percentual do CDI. Eles foram o destino de R$ 715,9 bilhões das pessoas físicas no ano passado, crescimento de 25,5% ante 2021.

Os CDBs ultrapassaram as ações, que até 2021 eram o principal investimento das pessoas físicas em volume, quando considerados apenas os títulos nos quais os brasileiros investem diretamente. O volume investido em ações no ano passado totalizou R$ 619 bilhões, queda de 4,2% em relação ao ano anterior.

Fonte: Anbima

Assim, entre os títulos e valores mobiliários, a participação das ações caiu de 34,2% para 26%, a dos CDBs meio que permaneceu em 30%, a das LCAs saltou de 9,6% para 13,4% e a das LCIs avançou de 6,9% para 9,1% entre dezembro de 2021 e dezembro de 2022.

Leia também

Fundos multimercados viram perda de volume pela primeira vez

Entre os fundos de investimento, os multimercados - que podem investir em quaisquer classes de ativos, utilizando diversas estratégias - continuaram como o principal destino dos recursos dos brasileiros, totalizando R$ 672,2 bilhões.

No entanto, esse tipo de fundo viu queda no volume pela primeira vez na série histórica, de 2,1%. Já os fundos de renda fixa, que ficaram em segundo lugar entre os fundos, viram alta de 12,9%, para R$ 512,1 bilhões.

Em terceiro lugar vieram os fundos de ações, com alta de 3,5%, para R$ 222,4 bilhões. Destaque também para os fundos imobiliários, que tiveram um crescimento de 14,1% de dezembro de 2021 para dezembro de 2022, totalizando R$ 92,3 bilhões. Eles foram o quarto tipo de fundo em volume de investimentos no ano passado.

Fonte: Anbima

Com isso, entre os fundos de investimento, a participação da renda fixa subiu de 30,7% para 33,2%, enquanto a dos multimercados caiu de 46,5% para 43,6%, entre 2021 e 2022. A participação dos fundos de ações manteve-se na faixa dos 14%.

Compartilhe

O MERCADO TAMBÉM ERRA

CEO do JP Morgan não descarta pouso forçado da economia dos EUA, mas alerta para uma possibilidade ainda pior

23 de maio de 2024 - 11:11

Jamie Dimon, o CEO do JP Morgan, não descarta a possibilidade de os juros voltarem a subir antes de o Fed iniciar um ciclo de cortes

SE PREPARA

Rock in Rio 2024 abre hoje a venda de ingressos. Veja como comprar sua entrada para o festival e confira o line-up completo

23 de maio de 2024 - 8:59

O festival de música acontecerá entre os dias 13 e 22 de setembro de 2024, no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro

LOTERIAS

A máquina de milionários voltou! Lotofácil tem 5 acertadores; Dupla Sena sai para bolão

23 de maio de 2024 - 5:48

A Lotofácil continua fazendo novos milionários pelo Brasil, mas ontem teve companhia; Mega-Sena corre hoje valendo R$ 42 milhões

A VOLTA DO “DPVAT”

Governo tem folga de R$ 2,5 bilhões para aumentar gastos após “jabuti” no novo DPVAT liberar crédito bilionário

22 de maio de 2024 - 19:16

Com a inclusão dos R$ 15,8 bilhões no PL que retomou o seguro de veículos, o governo agora tem folga em relação ao limite de gastos do arcabouço fiscal

LOTERIAS

Solidão que nada! Lotofácil faz um novo milionário em SP; Mega-Sena acumula e prêmio sobe ainda mais

22 de maio de 2024 - 6:48

Lotofácil continua fazendo novos milionários pelo Brasil; depois de sair na segunda-feira, Quina volta a acumular

Ainda o país da renda fixa

Investidor prefere renda fixa no 1º trimestre mesmo com juros mais baixos – e títulos isentos como LCI, LCA, CRI e CRA foram as estrelas

21 de maio de 2024 - 18:14

Crescimento do volume alocado em títulos de renda fixa isenta se destacou ante o desempenho de ações e fundos mais arriscados; poupança perdeu participação no volume investido pela pessoa física

PIB PER CAPITA

Qual é o país mais rico do mundo segundo o FMI — e não são os EUA nem a China

21 de maio de 2024 - 11:18

Veja os 10 primeiros lugares do ranking do FMI de países mais ricos do mundo, que considera o PIB per capita, e onde está o Brasil

Títulos públicos

Como títulos como o RendA+ e o Educa+ poderiam ajudar na prevenção e nos reparos de desastres climáticos como os do Rio Grande do Sul

21 de maio de 2024 - 9:30

“Pai” do Tesouro RendA+ defende que títulos públicos voltados para a aposentadoria e a educação podem ser usados para o governo captar recursos para investir em infraestrutura em um cenário de mudanças climáticas e até mesmo viabilizar doações

LOTERIAS

Lotofácil, Quina e Lotomania começam semana fazendo milionários por todos os lados; será que você está entre eles?

21 de maio de 2024 - 5:48

Aconteceu de tudo no rateio da Lotofácil, da Quina e da Lotomania; Mega-Sena corre hoje valendo R$ 37 milhões

LOTERIAS FEDERAIS

Em meio a indecisão da Mega-Sena e Quina, Lotofácil faz milionário no mais recente sorteio; veja loterias federais hoje

19 de maio de 2024 - 10:08

Com a Sena não cravada, o prêmio do próximo concurso, a ser realizado no dia 21 de maio de 2024, sobe para R$ 37 milhões

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar