🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2 MIL POR DIA – SAIBA COMO

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa agora: Balanços americanos e commodities metálicas pressionam e Ibovespa cai 0,7%; dólar sobe

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
25 de abril de 2023
7:20 - atualizado às 17:50

RESUMO DO DIA: Faltando pouco mais de uma semana para a nova definição de juros nos Estados Unidos, o mercado financeiro precisa encarar um fato indesejável — o risco de que uma crise sistêmica no setor bancário se desenrole e jogue por terra o crescimento da atividade econômica. 

Na última vez que o Federal Reserve se reuniu, os bancos centrais globais haviam acabado de ir ao socorro dos bancos médios, em uma tentativa de deter a crise. Agora, os diretores do BC americano terão em mãos os números do primeiro trimestre, que comprovam que existe uma fuga de capital dessas instituições. 

O temor pesou sobre as ações americanas — e também nas brasileiras —, ainda que a curva de juros tenha passado por uma reprecificação diante da perspectiva de uma atuação mais contida do Fed. 

No Ibovespa, o segundo dia consecutivo de queda do minério de ferro acabou prejudicando o índice. 

Confira os destaques do dia:

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
BRKM5Braskem PNAR$ 19,434,97%
SMTO3São MartinhoR$ 29,382,69%
BBDC4Bradesco PNR$ 13,702,24%
BPAN4Banco Pan PNR$ 5,251,74%
BBDC3Bradesco ONR$ 12,311,57%

Confira também as maiores quedas da sessão:

CÓDIGONOMEULTVAR
MRVE3MRV ONR$ 6,10-7,72%
SOMA3Grupo SomaR$ 7,55-6,44%
CVCB3CVC ONR$ 2,77-4,81%
CASH3Meliuz ONR$ 0,84-4,55%
NTCO3Natura ONR$ 10,52-4,19%
FECHAMENTO

O Ibovespa encerrou o dia em queda de 0,70%, aos 103.220 pontos.

FECHAMENTO EM NOVA YORK

A temporada de balanços assustou e o dia foi de fortes perdas em Wall Street. Isso porque o temor de uma grave crise bancária voltou a assombrar os investidores após o First Republic Bank despencar e mostrar uma redução de mais de 40% no volume de depósitos.

Para os investidores, o Federal Reserve terá que voltar a colocar uma eventual crise sistêmica sobre a mesa para decidir os juros na semana que vem.

  • Nasdaq: -1,98%
  • S&P 500: -1,58%
  • Dow Jones: -1,01%
FECHAMENTO

O dólar à vista encerrou o dia em alta de R$ 0,47%, aos R$ 5,0647

NOVA YORK NO VERMELHO

Em Wall Street, o dia também é de cautela. Lá fora, o peso maior vem da decepção do mercado com a temporada de balanço. Os três principal índices recuam mais de 1%.

BRIGA TECNOLÓGICA

Ainda sob o escrutínio dos reguladores norte-americanos e com o TikTok sob ameaça de banimento nos Estados Unidos, a gigante chinesa ByteDance está lançando outro aplicativo de mídia social na terra do Tio Sam.

Batizado de Lemon8, o app de estilo de vida é voltado para saúde, bem-estar e beleza — e não demorou a cair no gosto da “geração Z”, escalando rapidamente nas paradas norte-americanas.

Antes do lançamento oficial da plataforma nos EUA, a ByteDance convidou em março criadores para a sua “nova plataforma Lemon8”.

“Obviamente faremos o nosso melhor com o aplicativo Lemon8 para cumprir a lei dos EUA e garantir que faremos a coisa certa aqui”, afirmou o conselheiro global da ByteDance, Erich Andersen, à agência AP.

Leia mais.

CONTORNANDO AS DÍVIDAS

Mais uma empresa da B3 optou pelo caminho do aumento de capital para resolver os seus problemas de liquidez — dessa vez, a decisão veio da Sequoia Logística (SEQL3). 

Na noite de ontem (25), o conselho de administração da companhia aprovou um aumento de capital que pode chegar a R$ 100 milhões — o equivalente a 66.666.667 ações da companhia.  

O piso mínimo da oferta, que é de R% 50,001 milhões ( 33.333.334 papéis), já está garantido por alguns acionistas de referência e membros do conselho. O prazo para exercício do direito de preferência para a subscrição das ações será de 28 de abril a 30 de maio. 

O preço da emissão será de R$ 1,50, um desconto de 16% com relação ao pregão da última segunda-feira (24). O preço foi determinado pela média da cotação dos últimos 15 pregões, com um desconto adicional de 17% para estimular a adesão dos acionistas da companhia à operação. 

Leia mais.

DIS ESTÁVEIS

Os juros futuros (DIs), que ampliaram a queda pela manhã, passaram a operar em linha de estabilidade, em meio ao avanço do dólar e recuo dos retornos dos Treasuries.

Mais cedo, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que a curva dos juros já precificam um eventual corte na Selic, mas não deu previsão de quando a redução na taxa básica de juros iniciará.

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,22%13,20%
DI1F25DI Jan/2511,88%11,86%
DI1F26DI Jan/2611,67%11,67%
DI1F27DI Jan/2711,82%11,82%
DI1F28DI Jan/2812,01%12,02%

O Ibovespa tenta voltar aos 103 mil pontos. O índice cai 0,93%, aos 102.984 pontos.

O dólar à vista opera a R$ 5,0610, em tom positivo com maior cautela do exterior, à espera do IPCA-15, no Brasil, e o PCE, nos EUA.

SOBE E DESCE DA BOLSA

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
BRKM5Braskem PNAR$ 19,153,46%
SANB11Santander Brasil unitsR$ 26,811,68%
SMTO3São MartinhoR$ 29,061,57%
WEGE3Weg ONR$ 40,911,39%
ITUB4Itaú Unibanco PNR$ 25,570,79%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
CVCB3CVC ONR$ 2,78-4,47%
MRVE3MRV ONR$ 6,32-4,39%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 3,25-4,13%
ASAI3Assaí ONR$ 12,37-4,11%
SOMA3Grupo SomaR$ 7,75-3,97%
FECHAMENTO NA EUROPA

As bolsas europeias encerraram as negociações majoritariamente em baixa, de olho na temporada de balanços do setor bancário, além das gigantes de tecnologia americanas.

  • Frankfurt: +0,13%
  • Londres: -0,27%;
  • Paris: -0,56%.
BOLSAS EM NY

Com a volta da cautela sobre o setor bancário e com investidores à espera de dados de inflação, o PCE, as bolsas americanas seguem em queda nesta terça-feira (25).

  • S&P 500: -0,80%;
  • Dow Jones: -0,35%;
  • Nasdaq: -0,97%.
COMO ANDAM OS MERCADOS

O Ibovespa segue em queda e tenta sustentar os 103 mil pontos. Com a agenda local mais esvaziada, à espera do IPCA-15 de abril, a cautela externa pesa sobre o índice da bolsa brasileira, que cai 0,90%, aos 103.021 pontos.

Lá fora, a aversão ao risco voltou a ganhar força após o balanço do First Republic Bank. A instituição informou um tombo de 40% nos depósitos no primeiro trimestre, apesar do resgate articulado pelo setor privado no mês passado, na esteira da quebra do Silicon Valley Bank (SVB).

Além disso, as incertezas sobre a reabertura econômica da China, com volume de vendas mais restrita ao cenário interno do que o esperado, as commodities metálicas recuam no mercado internacional. O minério de ferro fechou em queda de 1,86%, a US$ 102,83.

Entre os destaques do Ibovespa, Santander (SANB11) sobe 2% com investidores repercutindo balanço do primeiro trimestre, e impulsiona o setor bancário. Weg (WEGE3) e Tim (TIMS3), que são companhias mais descontadas, também ganham impulso na bolsa, com a agenda local mais fraca.

Na ponta negativa, CVC (CVCB3) cai mais de 5% com a renúncia do CFO após renegociação de dívida com credores de debêntures. Companhias do setor de commodities metálicas caem em bloco acompanhando o desempenho do insumo.

Os juros futuros (DIs) operam em queda em toda a curva, com declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ao Senado Federal nesta manhã.

O dirigente afirmou que a curva [dos juros] precifica o corte de juro no segundo semestre, mas que o Copom ainda espera uma estabilização na curva de juros mais longa para iniciar cortes na Selic.

O Ibovespa vem renovando mínimas, com maior peso da cautela externa, e perdeu os 103 mil pontos.

O índice recua 1,23%, aos 102.670 pontos.

O dólar à vista opera a R$ 5,0664, com alta de 0,65%.

GIRO DO MERCADO EMPIRICUS

No Giro dos Mercados de hoje (25) a analista Larissa Quaresma comenta o balanço do primeiro trimestre do Santander (SANB11).

Ela explica como a instituição está lidando com a disputa judicial sobre a cobrança de PIS/Cofins e como a situação impacta o desempenho das ações.

Ainda nesta edição, o analista Enzo Pacheco comenta sobre os resultados do 1T23 do Mc Donald’s e os impactos da inflação e juros altos nos Estados Unidos sobre o desempenho da instituição e de suas ações.

Aperte o play e acompanhe:

SOBE E DESCE DA BOLSA

O Ibovespa cai 1,13%, aos 102.775 pontos.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
BRKM5Braskem PNAR$ 19,193,67%
WEGE3Weg ONR$ 40,921,41%
SANB11Santander Brasil unitsR$ 26,681,19%
SMTO3São MartinhoR$ 28,820,73%
BBDC4Bradesco PNR$ 13,490,67%

E as maiores quedas do Ibovespa:

CÓDIGONOMEULTVAR
MRVE3MRV ONR$ 6,20-6,20%
CVCB3CVC ONR$ 2,76-5,15%
CASH3Meliuz ONR$ 0,84-4,55%
SLCE3SLC AgrícolaR$ 41,97-4,11%
GOLL4Gol PNR$ 6,35-4,08%
MUITO ALÉM DO DORAMA

Os ventos vindos do leste asiático impulsionaram a onda coreana a grandes alturas. A maré foi tamanha que atravessou as fronteiras globais — e a Netflix pretende surfar a onda, a começar por um investimento bilionário.

Após sucessos globais de audiência como Round 6, Uma Advogada Extraordinária e A Batalha dos 100, a empresa se comprometeu a investir US$ 2,5 bilhões — ou R$ 12,6 bilhões, na cotação atual — em produções coreanas nos próximos quatro anos.

O valor é duas vezes maior do que o total já investido pela gigante do streaming na Coreia desde 2016, quando estreou no mercado asiático.

Segundo a companhia, o montante será usado para produzir séries de TV coreanas, filmes e programas não roteirizados, como o reality show A Batalha dos 100.

Leia mais.

SANTANDER (SANB11) SOBE 1% APÓS BALANÇO

Os papéis do Santander (SANB11) sobem 1,71%, a R$ 26,76, com investidores repercutindo o balanço do primeiro trimestre do banco, divulgado hoje no pré-mercado.

Os resultados do Santander Brasil (SANB11) no primeiro trimestre de 2023 vieram majoritariamente em linha com o esperado por analistas, com alguns números até melhores.

O lucro líquido gerencial atingiu R$ 2,140 bilhões, uma queda de 46,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, mas aumento de 26,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior. O consenso de analistas consultados pela Bloomberg apontava para um lucro líquido de R$ 2,160 bilhões, ou seja, uma diferença mínima.

Leia mais.

RENNER (LREN3) CAI APÓS LEILÃO

Depois de um pouco mais de uma hora em leilão, as ações da Lojas Renner (LREN3) iniciaram as negociações em queda de 2,45%, a R$ 14,73.

As negociações estavam suspensas por uma operação do Goldman Sachs, com lote de 5,1 milhões de ações da varejista.

RENNER (LREN3) SEGUEM EM LEILÃO

Desde a abertura das negociações no Ibovespa, há um pouco mais de uma hora, as ações das Lojas Renner (LREN3) operam em leilão.

A suspensão dos negócios da companhia acontece com a operação direta do Goldman Sachs, com lote de 5,1 milhões de ações.

SOBE E DESCE DA BOLSA

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
BRKM5Braskem PNAR$ 19,706,43%
WEGE3Weg ONR$ 40,660,77%
SMTO3São MartinhoR$ 28,820,73%
VBBR3VIBRA energia ONR$ 13,330,68%
PETR4Petrobras PNR$ 27,380,66%

E as maiores quedas do Ibovespa:

CÓDIGONOMEULTVAR
CASH3Meliuz ONR$ 0,84-4,55%
CVCB3CVC ONR$ 2,79-4,12%
GGBR4Gerdau PNR$ 24,31-3,30%
VALE3Vale ONR$ 69,89-2,88%
GOLL4Gol PNR$ 6,43-2,87%

O Ibovespa vem renovando mínimas, com a piora das bolsas em NY, e tenta manter-se em 103 mil pontos.

O dólar à vista sobe a R$ 5,0649.

DIRETOR FINANCEIRO DA CVC (CVCB3) DEIXA O CARGO

Mal conseguiu um alívio com a renegociação da dívida com os credores de debêntures, a CVC (CVCB3) enfrenta agora um novo percalço. Isso porque Marcelo Kopel, diretor financeiro e de relações com investidores da rede de agências de turismo, decidiu deixar a companhia.

A CVC não informa as razões da saída do executivo, que esteve à frente do processo de renegociação da dívida. Enquanto a empresa não arruma um substituto, o CEO Leonel Andrade vai acumular o cargo de forma interina.

A primeira reação dos investidores à notícia é negativa. No pregão desta terça-feira da B3, as ações da CVC (CVCB3) recuavam mais de 4% por volta das 10h25, uma das maiores quedas entre os papéis que compõem o Ibovespa.

Uma das maiores vítimas corporativas da pandemia da covid-19, a CVC vem passando por um longa reestruturação. Dentro desse processo, a companhia já precisou renegociar a dívida duas vezes e teve de recorrer a um aumento de capital.

Leia mais.

ABERTURA DE NOVA YORK

As bolsas americanas abriram em queda, com os investidores na expectativa da inflação, o PCE, a ser divulgada na próxima quinta-feira (27). Os resultados das 'big techs' depois do fechamento dos mercados hoje e a decisão do Federal Reserve (Fed), na semana que vem, refletem em maior aversão ao risco.

  • S&P 500: -0,38%;
  • Dow Jones: -0,04%;
  • Nasdaq: -0,53%.

O Ibovespa renovou mínima há pouco com recuo de 0,88%, aos 103.034 pontos.

CVC (CVCB3) CAI 4%

As ações da CVC (CVCB3) caem mais de 4% nos primeiros minutos do pregão, com os investidores repercutindo a renúncia do diretor financeiro e de relações com investidores (CFO), Marcelo Kopel. Os ativos da companhia de viagens lideram a ponta negativa do Ibovespa.

O CEO da companhia, Leonel Andrade, assumirá o cargo interinamente, segundo comunicado da empresa.

DIS ALIVIAM

Os juros futuros (DIs) ampliaram o recuo há pouco, repercutindo as falas do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, no Senado Federal.

O dirigente afirmou que a curva [dos juros] precifica o corte de juro no segundo semestre, mas que o Copom ainda espera uma estabilização na curva de juros mais longa para iniciar cortes na Selic.

"Não tenho capacidade para dizer quando queda dos juros vai ocorrer. [...] Tomaremos decisão técnica olhando todos os fatores."

Confira o desempenho dos DIs:

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,21%13,20%
DI1F25DI Jan/2511,86%11,86%
DI1F26DI Jan/2611,65%11,67%
DI1F27DI Jan/2711,80%11,82%
DI1F28DI Jan/2811,99%12,02%
ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa abriu em queda de 0,55%, aos 103.946 pontos.

O movimento de queda é puxado pelo recuo das commodities metálicas e a cautela do exterior, na expectativas dos resultados de Alphabet e Microsoft depois do fechamento dos mercados.

ADRS DE VALE E PETROBRAS

A cautela do exterior reflete-se também nos recibos de ações (ADRs) de Vale e Petrobras no pré-mercado de Nova York. O recuo das commodities metálicas e petróleo também pesar sobre o desempenho dos papéis.

  • Vale (VALE): -0,78%, a US$ 14,03;
  • Petrobras (PBR): -0,42%, a US$ 11,90
ABERTURA DOS JUROS FUTUROS

Apesar do leve avanço do dólar, os juros futuros (DIs) operam em leve queda, em toda a curva.

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,19%13,20%
DI1F25DI Jan/2511,85%11,86%
DI1F26DI Jan/2611,65%11,67%
DI1F27DI Jan/2711,80%11,82%
DI1F28DI Jan/2812,00%12,02%
PRESIDENTE DO BC FALA NO SENADO FEDERAL

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, fala sobre a política monetária, como o regime de metas de inflação e a taxa básica de juros, em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.

Acompanhe:

MATHEUS SPIESS: MERCADO EM 5 MINUTOS

CUIDADO PARA NÃO PISAR EM OVOS

Lá fora, a maioria das ações asiáticas caiu ainda mais nesta terça-feira, com o índice da Coreia do Sul despencando depois de uma leitura suave do PIB — a economia sul-coreana quase não evitou uma recessão no primeiro trimestre de 2023.

Embora os gastos dos consumidores tenham ajudado a tirar o PIB do território negativo, o investimento em capital fixo e a atividade manufatureira no país continuaram a enfraquecer, indicando mais dificuldades econômicas. É um sinal negativo para economias emergentes.

Paralelamente, o desempenho de ontem das ações de tecnologia dos EUA foram espalhados pelos mercados regionais asiáticos em meio a preocupações com uma desaceleração nos lucros.

Finalmente, o Japão era um dos poucos que conseguia subir com o novo presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda, reiterando que o banco manterá sua política dovish no curto prazo — os comentários vêm antes da reunião do BoJ na sexta-feira.

Ativos europeus e futuros americanos caem nesta manhã.

A ver…

00:46 — Medindo as palavras

No Brasil, estamos acompanhando a nossa própria temporada de resultados, com os grandes bancos começando a relatar seus números para o trimestre com o Santander.

Além disso, alguns indicadores de preços mais secundários conseguem lugar na agenda do dia, podendo nivelar um pouco mais as expectativas para o IPCA-15 de abril, a ser divulgado amanhã (26).

Contudo, o principal vetor do dia deverá ser a participação de Roberto Campos Neto, o presidente do BC, na audiência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.

Na ocasião, a autoridade poderá detalhar sua atuação e explicar a razão dos juros elevados no Brasil. Isso ocorre depois de Lula voltar a provocar a instituição. Se ele mantiver a ponderação, as coisas não devem sair do controle.

Eventualmente, caso algum comentário seja interpretado como afrontoso ou mais hawkish, o mercado poderá se incomodar, temendo que voltemos a ter conflitos mais diretos entre Poder Executivo e Banco Central, como aconteceu em fevereiro.

O arcabouço é peça-chave para a redução dos juros no Brasil. Sobre o tema, uma notícia positiva: o relato do projeto na Câmara que manter as regras de enforcement atuais, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal. O mercado deve gostar.

01:46 — Digerindo os resultados

Nos EUA, as ações tiveram um dia misto ontem, com os investidores ansiosos diante de uma semana repleta de resultados corporativos. Cerca de 170 empresas do S&P 500 devem apresentar relatórios trimestrais, incluindo muitas das maiores empresas do mercado.

Sim, a temporada de resultados teve um começo forte, pelo menos em relação às expectativas. No total, as empresas superaram as estimativas de consenso de Wall Street em quase 8%, em comparação com uma média de 4% desde 1994.

Contudo, isso não significa que os números sejam bons. Até agora, o lucro por ação das empresas do S&P 500 caiu 4,7% em relação ao trimestre do ano anterior, com um aumento de 1,9% na receita.

Para hoje, contamos com nomes como 3M, Alphabet, General Electric, General Motors, Kimberly-Clark, McDonald's, Microsoft, Moody's, PepsiCo, Raytheon Technologies, Verizon Communications, e Visa.

Fora isso, ainda temos o Índice de Confiança do Consumidor para abril e dados do setor imobiliário.

02:32 — O clima na Europa

No velho continente, vários membros do Banco Central Europeu (BCE) têm sinalizado uma alta de juros na próxima semana, com a possibilidade de uma alta de 50 pontos-base.

A ideia aqui é a de combater continuamente a inflação na região, movimento que fortalece o euro frente ao dólar, ainda que esperemos mais uma alta de 25 pontos-base nos EUA. O aperto monetário está pressionando as ações hoje.

Adicionalmente, agora no Reino Unido, os investidores se debruçam sobre os dados de empréstimos do governo. É o detalhe das finanças públicas do Reino Unido que interessa a alguns agentes, principalmente depois do desastre chamado Liz Truss — as receitas fiscais tendem a surpreender positivamente desde a pandemia.

Os britânicos estão adiantados em várias frentes, servindo de proxy para outros players.

03:10 — O ritmo do petróleo

Apesar de recuar levemente nesta manhã, o petróleo subiu na terça-feira, apoiado pelo otimismo dos investidores de que as viagens de férias na China aumentariam a demanda por combustível e pelas expectativas de que os estoques dos EUA poderiam apresentar uma queda no último período de referência.

As reservas na China para viagens ao exterior durante o próximo feriado de 1º de maio apontam para uma recuperação contínua nas viagens para países asiáticos, enquanto os estoques de petróleo dos EUA devem cair 1,7 milhão de barris nos relatórios semanais de oferta. Com isso, o petróleo se mantém por volta de US$ 83 por barril.

A demanda global por petróleo, ajudada pelo início da temporada de condução nos EUA e pelo renascimento econômico chinês, aumentará e atingirá novos picos.

Adicionalmente, a produção da Opep+ permanecerá moderada e poderá se deteriorar ainda mais. Dessa forma, é possível ser construtivo para o preço do petróleo.

04:01 — Notícias ruins finalmente se tornaram notícias ruins

Houve uma mudança na perspectiva do investidor: más notícias não são mais boas notícias. No ano passado, Wall Street esperava por dados econômicos mensais mais fracos que pudessem encorajar o Federal Reserve a interromper seu ritmo agressivo de aumentos das taxas de juros para domar a inflação.

Agora que o banco central sinalizou que planeja interromper o aumento das taxas ainda este ano, os investidores pararam de tentar adivinhar o próximo movimento do Fed e se voltaram para a saúde da economia.

Isso significa que, enquanto a suavização dos dados econômicos costumava sinalizar boas notícias (que o Fed poderia potencialmente parar de aumentar as taxas), agora, as impressões econômicas mais frias simplesmente sugerem que a economia está enfraquecendo.

Isso deixa os investidores preocupados com a possibilidade de a economia em desaceleração cair em recessão. Agora que o mercado está no modo "más notícias são más notícias e boas notícias são boas notícias", ele buscará sinais de que a economia continua robusta.

BRASIL: VENDAS NO VAREJO

As vendas no varejo registraram queda de 0,1% em fevereiro ante janeiro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação anual, as vendas no setor acumulam alta de 1,0% em fevereiro ante o mesmo mês de 2022.

No ano, o dado avançou 1,8% e em 12 meses, o índice subiu 1,3%.

ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista abriu a R$ 5,0505, em alta de 0,19%.

ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

O Ibovespa futuro abriu em queda de 0,38%, aos 105.530 pontos e acompanha a cautela do exterior.

Com a agenda mais esvaziada, os investidores concentram as atenções às falas do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência no Congresso Nacional.

Soma-se a isso, as expectativas dos balanços trimestrais das big techs nos EUA e nos bancos no Brasil. As commodities metálicas, que seguem em queda, devem puxar os mercados também ao tom negativo.

COMMODITIES EM QUEDA

As expectativas de que a reabertura da China reflete em maior volume de vendas interna faz com que os preços das commodities metálicas mantenham-se em realização.

O minério de ferro negociado em Dalian registra queda de 1,86%, com a tonelada a US$ 102,83.

O petróleo tipo Brent acompanha a cautela dos investidores, de olho dos resultados corporativos do primeiro trimestre deste ano, com expectativas sobre a inflação e decisão do Federal Reserve na próxima semana.

O petróleo cai 0,80%, com o barril a US$ 81,86.

BALANÇOS DO DIA

ANTES DA ABERTURA

  • Santander (Brasil);
  • General Motors (EUA);
  • Nestlé;
  • PepsiCo (EUA);
  • UBS Group (EUA);
  • Mc Donald's (EUA).

DEPOIS DO FECHAMENTO

  • Movida (Brasil);
  • Neoenergia (Brasil);
  • Alphabet/Google (EUA);
  • Microsoft (EUA);
  • Visa (EUA).
AGENDA DO DIA

Com a agenda econômica mais fraca, os investidores ficam atentos aos resultados trimestrais da Alphabet, controlador do Google, nesta terça-feira (25). Soma-se a isso, a confirmação de que o presidente americano Joe Biden irá concorrer às eleições do próximo ano.

No Brasil, o destaque é o comparecimento do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência no Senado Federal.

Confira os indicadores do dia:

HorárioPaís / RegiãoEvento
8hBrasilConfiança do consumidor em abril 
9hBrasilVendas no varejo em fevereiro
11hEstados UnidosConfiança do consumidor em abril
11hEstados UnidosVenda de casas novas em março
O QUE ROLOU ONTEM

O Ibovespa voltou do feriado exatamente do ponto que havia parado na semana passada — com grande preocupação sobre o quanto uma eventual Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar os atos extremistas de 8 de janeiro podem atrapalhar a agenda econômica. 

O Ibovespa encerrou o dia em queda de 0,40%, aos 103.946 pontos e o dólar à vista fechou em baixa de 0,35%, a R$ 5,0409.

Confira o que movimentou os mercados na segunda-feira (24).

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Após o fechamento do último pregão, identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant - compra dos papéis da PetroRio (PRIO3).

PRIO3: [Entrada] R$ 35.17; [Alvo parcial] R$ 35.98; [Alvo] R$ 37.21; [Stop] R$ 33.81

Recomendo a entrada na operação em R$ 35.17, um alvo parcial em R$ 35.98 e o alvo principal em R$ 37.21, objetivando ganhos de 5.8%.

O stop deve ser colocado em R$ 33.81 evitando perdas maiores caso o modelo não se confirme.

Leia mais.

LUCRO DO SANTANDER (SANB11) CAI 46,6% NO 1T23

Os resultados do Santander Brasil (SANB11) no primeiro trimestre de 2023 vieram majoritariamente em linha com o esperado por analistas, com alguns números até melhores.

O lucro líquido gerencial atingiu R$ 2,140 bilhões, uma queda de 46,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, mas aumento de 26,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior. O consenso de analistas consultados pela Bloomberg apontava para um lucro líquido de R$ 2,160 bilhões, ou seja, uma diferença mínima.

Já a rentabilidade medida pelo índice de retorno sobre o patrimônio (ROE) finalizou o trimestre encerrado em março em 10,6% - analistas apontavam que o índice deveria ficar em apenas um dígito. O número representa queda de 10,1 pontos percentuais (p.p.) em relação aos primeiros três meses do ano passado, mas houve melhora de 2,2 p.p. na comparação com o quarto trimestre de 2022.

“Iniciamos 2023 com foco no fortalecimento do nosso balanço. Nossa abordagem de empréstimo seletiva, que adotamos desde o fim do quarto trimestre de 2021, prioriza produtos com garantia e clientes com ratings de crédito mais altos, permitindo um balanço de melhor qualidade. Mesmo com essa seletividade, conseguimos crescer nosso portfólio em áreas estratégicas, principalmente em financiamento de automóveis, consignado e imobiliário, ao mesmo tempo em que melhoramos nossa margem com clientes por meio de uma maior transacionalidade”, disse o presidente do banco, Mário Leão.

Leia mais.

FUTUROS DE NOVA YORK AMANHECEM NO VERMELHO

Os índices futuros das bolsas de valores de Nova York amanheceram no vermelho nesta terça-feira.

Os investidores aguardam uma série de balanços de grandes empresas dos EUA, incluindo Alphabet (Google), Microsoft, General Electric, General Motors e McDonald's.

Também hoje, estão previstos nos EUA dados sobre vendas de moradias novas e um índice de confiança do consumidor.

Veja:

  • Dow Jones futuro: -0,43%
  • S&P-500 futuro: -0,52%
  • Nasdaq futuro: -0,45%
BOLSAS EUROPEIAS ABREM EM BAIXA

As principais bolsas de valores da Europa abriram em baixa nesta terça-feira.

Os investidores da região digerem balanços trimestrais de gigantes bancários da região como Santander e UBS.

O Santander teve lucro acima do esperado, mas o aumento das provisões fez os papéis do banco recuarem mais de 3% pela manhã. Já o UBS teve lucro aquém do esperado após adquirir o Credit Suisse em março. A ação do banco cai 4%.

Confira as bolsas por lá:

  • Londres: -0,32%
  • Frankfurt: -0,14%
  • Paris: -0,66%
BOLSAS DA ÁSIA FECHAM EM BAIXA

As bolsas de valores da Ásia fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira.

Os investidores da região aguardam mais balanços de grandes empresas dos Estados Unidos, em especial de gigantes de tecnologia.

Liderando as perdas na Ásia, o índice Hang Seng teve queda de 1,71% em Hong Kong, enquanto o sul-coreano Kospi caiu 1,37% em Seul. Já o Taiex recuou 1,64% em Taiwan.

Na China continental, o pregão também foi negativo, influenciado por ações de farmacêuticas e montadoras. O Xangai Composto apresentou modesta baixa de 0,32%.

Exceção, o japonês Nikkei teve alta marginal de 0,09% em Tóquio, sustentado por ações do setor financeiro.

Compartilhe

DESTAQUES DA BOLSA

Falta de apetite chinês derruba as ações de Vale (VALE3), Gerdau (GGBR4) e CSN (CSNA3); mineradoras e siderúrgicas lideram quedas do Ibovespa hoje

23 de julho de 2024 - 14:18

A performance dos papéis reflete a queda da matéria-prima do aço no mercado internacional pelo segundo dia consecutivo

Novo indicador no mercado

Novo índice da B3 combina ações e BDRs mais negociados; confira os detalhes

22 de julho de 2024 - 18:17

Bolsa prepara para agosto o lançamento do novo indicador, que reunirá as ações do Ibovespa com recibos de ações de empresas internacionais

RECOMENDAÇÕES DE VENDA

HCTR11, DEVA11 e IRDM11: por que você deveria evitar esses três fundos imobiliários, na visão do Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 14:50

O banco de investimentos analisou as perspectivas para diversos nomes do segmento de acordo com o contexto do mercado, a qualidade do portfólio, histórico e experiência da gestão

RECOMENDAÇÕES DA CLASSE

Dividendos altos e portfólios robustos: KNSC11, KNIP11 e outros seis fundos imobiliários de ‘papel’ para comprar agora, segundo o Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 13:49

Os fundos que investem em títulos de crédito do setor imobiliário são tema de um relatório publicado pelo banco de investimentos hoje

EMISSÃO DE COTAS

HGRU11 quer captar até R$ 1,5 bilhão na bolsa e oferece um ‘desconto’ nas cotas, mas nem todo mundo poderá participar da oferta; entenda

22 de julho de 2024 - 12:35

A oferta é destinada exclusivamente a investidores profissionais, mas há uma exceção

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: semana das big techs divide espaço com inflação e PIB dos EUA e congelamento de despesas; fique por dentro

22 de julho de 2024 - 7:01

Ganha destaque a próxima divulgação do Boletim Focus, com expectativas em relação a mudanças após o anúncio de R$ 15 bi em contingenciamento de despesas do governo

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Bradesco Asset revela cinco apostas em ações para lucrar na bolsa brasileira — e um setor para manter distância

22 de julho de 2024 - 6:04

Ao Seu Dinheiro, Rodrigo Santoro Geraldes conta que a gestora também possui quatro apostas na carteira de ações fora do Ibovespa

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar