🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
NOVAS CARAS NA ESPLANADA

Saiba quem são os ministros confirmados por Lula até agora

A nova leva de ministros inclui o “núcleo duro” do governo, que ficará com o PT; confira os nomes que Lula anunciou e as peças que ainda faltam

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
22 de dezembro de 2022
12:00 - atualizado às 12:15
Luiz Inácio Lula da Silva de terno cinza escuro bate aplaudindo
Luiz Inácio Lula da Silva - Imagem: Ricardo Stuckert/Flickr Lula Oficial

A dez dias de tomar posse, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta quinta-feira mais nomes para compor o futuro ministério.

A nova leva de ministros inclui o "núcleo duro" do governo, que ficará com o PT e terá o deputado Alexandre Padilha em Relações Institucionais.

A Casa Civil, entregue ao governador da Bahia, Rui Costa, terá um perfil mais técnico e de gestão, nos moldes do que era quando Dilma Rousseff comandou a pasta, de 2005 a 2010, no governo Lula.

Mas o anúncio de hoje deixou de fora cargos sobre os quais ainda há impasse, como Minas e Energia e Cidades, negociados tanto com o MDB quanto com o Centrão. Ainda restam 13 vagas nos ministérios, de acordo com o próprio Lula.

Confira os nomes dos futuros ministros que Lula anunciou na manhã desta quinta-feira:

  • Alexandre Padilha - Relações Institucionais: O Ministério é o responsável por fazer a "ponte" entre o Palácio do Planalto e o Congresso. Padilha já ocupou o mesmo cargo no segundo governo de Lula.
  • Anielle Franco - Igualdade Racial: A ativista é irmã da vereadora carioca assassinada Marielle Franco.
  • Camilo Santana - Educação: O ex-governador do Ceará vai assumir o cargo após pressão do PT. Inicialmente, o nome mais cotado para a pasta era o da atual governadora do Ceará, Izolda Cela.
  • Cida Gonçalves - Mulheres: Integrou a equipe de transição e já atuou na área em gestões petistas.
  • Esther Dweck - Gestão: Ex-secretária de Orçamento do governo Dilma Rousseff, vai ocupar o ministério que é fruto do desmembramento da pasta da Economia, que será dividido em quatro.
  • Jorge Messias - Advocacia Geral da União (AGU): O nome do procurador da Fazenda Nacional ficou conhecido nacionalmente quando foi citado em uma conversa telefônica entre Lula e Dilma. O áudio surgiu na época da Operação Lava Jato e foi divulgado pelo ex-juiz Sérgio Moro.
  • Luciana Santos - Ciência e Tecnologia: Presidente nacional do PC do B, um dos aliados históricos de Lula e do PT.
  • Geraldo Alckmin - Indústria e Comércio: O vice-presidente eleito acabou sendo a solução para a pasta. Isso porque o empresário Josué Gomes da Silva, presidente da Fiesp, e Pedro Wongtschowski, do grupo Ultra, recusaram o convite de Lula para serem ministros.
  • Luiz Marinho - Trabalho: O ex-prefeito de São Bernardo do Campo (SP) voltará ao cargo que ocupou na gestão anterior de Lula.
  • Márcio França - Portos e Aeroportos: O ex-governador de São Paulo perdeu as eleições para o Senado, mas foi contemplado pelo Planalto.
  • Márcio Macêdo - Secretaria-Geral da Presidência: O deputado do PT foi tesoureiro da campanha presidencial.
  • Nísia Trindade Lima - Saúde: A atual presidente da Fiocruz vai ocupar o ministério que era alvo do Centrão, mas Lula recusou o pedido para dar o cargo a um político do grupo.
  • Silvio Almeida - Direitos Humanos: advogado, filósofo e professor universitário.
  • Wellington Dias - Desenvolvimento Social: O PT não abriu mão de comandar a pasta responsável pelo Bolsa Família. Assim, o Ministério ficou com o ex-governador do Piauí.
  • Vinicius Carvalho - CGU: Lula cometeu uma gafe e quase não anunciou o nome do futuro titular da Controladoria Geral da União.

Além dos nomes de hoje, Lula já havia confirmado outros seis ministros do governo que toma posse no dia 1º de janeiro:

  • Fernando Haddad - Fazenda: Considerado o "escolhido" por Lula para sucedê-lo na liderança do PT e, quem sabe, na Presidência. O ex-prefeito de São Paulo tem agora a missão de "pacificar" o mercado financeiro e arranjar dinheiro para o presidente cumprir as promessas de campanha.
  • Flávio Dino - Justiça: O ex-governador do Maranhão e senador eleito é um político experiente e já deu o tom de como deve atuar no cargo. Nesta semana, ele desistiu de indicar Edmar Moreira Camata para o cargo de diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF) depois que surgiram postagens dele a favor da prisão de Lula na época da Lava Jato.
  • José Múcio Monteiro - Defesa: Ex-ministro e ex-presidente do TCU, é reconhecido pelo bom trânsito entre diversas alas políticas.
  • Margareth Menezes - Cultura: A cantora foi a primeira mulher que Lula confirmou no ministério que será recriado em 2023.
  • Mauro Vieira - Relações Exteriores: O diplomata de carreira já ocupou o cargo no governo de Dilma Rousseff. Ele já ocupou a embaixada brasileira nos Estados Unidos e Argentina.
  • Rui Costa - Casa Civil: O ex-governador da Bahia se firmou como um dos principais quadros do PT e também ganha espaço para se projetar como um possível sucessor de Lula. Mas antes terá a missão de fazer a máquina do novo governo funcionar.

Os ministros que faltam para Lula anunciar

Lula convidou o economista André Lara Resende para assumir o Planejamento, mas ele ainda hesita. O petista pediu, então, para o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o vice eleito, Geraldo Alckmin, conversarem com Lara Resende na tentativa de convencê-lo a aceitar.

Outro nome sondado para o Planejamento foi o do senador eleito Renan Filho (MDB-AL), ex-governador de Alagoas. Mas a indicação é da bancada do MDB no Senado, que reivindica uma pasta com orçamento mais robusto e visibilidade. Os ministérios favoritos são o das Cidades, a ser recriado, ou Minas e Energia.

Os dois ministérios também entraram na fatura do Centrão como contrapartida por ajudar Lula a aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição no Congresso, que permite ao futuro governo ampliar os gastos.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) virou outro problema para Lula. Ela gostaria de comandar o Ministério do Desenvolvimento Social, que abrigará o Bolsa Família. O programa, no entanto, é considerado a vitrine do novo governo e o PT não quer entregar esse ministério.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

ACONTECE EM OUTUBRO

Aquecendo os motores para as eleições municipais: Testes em urnas eletrônicas reiteram que sistema de votação é seguro

18 de maio de 2024 - 11:55

Dos 35 planos de teste realizados, cinco apontaram melhorias nos sistemas, que foram acatadas pelos técnicos do tribunal

"TUDO NORMAL"

Jair Bolsonaro recebe alta após 13 dias internado e já anuncia planos

17 de maio de 2024 - 16:46

“Em uma semana, tudo normal”, escreveu no X (antigo Twitter) Bolsonaro, que estava com quadro de erisipela e desconforto abdominal

VAI MELHORAR?

O que Haddad espera da economia? Projeções da Fazenda esperam inflação e PIB maiores para 2024

16 de maio de 2024 - 15:33

Para 2025, a projeção de IPCA passou de 3,10% para 3,20%. A atualização acontece um mês após o último boletim macrofiscal da SPE.

POLÍTICA

Sérgio Moro vai perder o mandato? Veja como será o julgamento do senador no TSE

16 de maio de 2024 - 11:14

Julgamento que pode resultar na cassação do mandato de Sérgio Moro e torná-lo inelegível começa hoje no TSE

PESQUISA QUAEST

Lula “merece” ou não ser reeleito? Pesquisa aponta nome mais forte que Jair Bolsonaro para eleição de 2026

13 de maio de 2024 - 8:35

Vale lembrar que Bolsonaro está inelegível até a eleição de 2030, de acordo com uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

DECISÃO DA CORTE

STF barra indicações políticas para estatais — mas mantém nomeações feitas por Lula

10 de maio de 2024 - 9:19

Assim, com a decisão, ficam proibidas futuras nomeações políticas para cargos de chefia em empresas públicas, sociedades de economia mista e suas subsidiárias

LEVANTAMENTO

Governo Lula melhor que o de Bolsonaro? Veja o que a pesquisa CNT/MDA descobriu

7 de maio de 2024 - 18:32

O levantamento foi encomendado pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e executado pelo Instituto MDA Pesquisa. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais.

NAS CASAS LEGISLATIVAS

Comissão do Senado dá sinal verde para projeto de lei que recria seguro obrigatório DPVAT e libera R$ 15 bilhões de crédito

7 de maio de 2024 - 14:49

“A recriação do DPVAT, agora SPVAT, não tem nenhum condão do ponto de vista do governo de fazer caixa”, disse o senador Jaques Wagner durante a votação

VOCÊ ESTÁ COM TUDO EM ORDEM?

Eleitor tem dois dias para regularizar título para as eleições municipais de 2024; confira como consultar e resolver as pendências

6 de maio de 2024 - 14:10

Eleitores com biometria cadastrada podem realizar regularização por meio do site do TSE; no Rio Grande do Sul, prazo para resolução de pendências foi estendido

'Crise na democracia'

Deputados dos EUA reorganizam audiência para discutir suposta ‘crise’ no Brasil por decisões da Justiça no combate às fake news nas redes sociais

1 de maio de 2024 - 14:45

Audiência pública convocada por republicanos tem apoio de políticos bolsonaristas e convidou ativista que chamou o ministro Alexandre de Moraes de “ditador”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar