🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
MÚSICA NO FANTÁSTICO

Unilever recebe mais um não da Glaxo para oferta de US$ 68 bilhões por divisão que produz Advil; entenda o caso

Se fosse concretizado, o acordo seria o maior em termos globais desde o início da pandemia de covid-19

Carolina Gama
15 de janeiro de 2022
16:58 - atualizado às 17:06
Imagem: shutterstock

A Unilever (ULEV34) já pode pedir música no Fantástico. A empresa teve mais uma proposta rejeitada pela GlaxoSmithKline (G1SK34). Dessa vez estavam em jogo 50 bilhões de libras (cerca de US$ 68 bilhões) pela GSK Consumer Healthcare, unidade especializada em saúde do consumidor. 

A joint venture, controlada 68% pela Glaxo e 32% pela Pfizer, vende produtos que vão dos analgésicos Advil até os cremes dentais Aquafresh.

Segundo a GSK, a proposta subvaloriza fundamentalmente o negócio e suas perspectivas futuras. A Unilever, por sua vez, indicou que a GSK Consumer Healthcare representaria um "forte ajuste estratégico" em seus negócios em um momento no qual a empresa sente a pressão sobre seu crescimento. 

Segundo a farmacêutica britânica, foram três as ofertas feitas pela Unilever. A última aconteceu em 20 de dezembro, compreendendo 41,7 bilhões de libras em dinheiro e 8,3 bilhões de libras em ações da Unilever.

A divisão está pra jogo

Um entendimento entre a Unilever e a GSK sobre a divisão de consumo ainda pode acontecer. Isso porque o desmembramento da unidade segue nos planos de negócio da companhia para este ano. 

"O conselho da GSK, portanto, continua focado na execução de sua proposta de cisão do negócio de Consumer Healthcare (...) a caminho de ser alcançado em meados de 2022", diz o comunicado divulgado neste sábado. 

A britânica diz ainda estar confiante de que o negócio superaria as taxas de crescimento do mercado global no médio prazo.

Segundo a empresa, a unidade de bens de consumo do grupo deve ser dividida em uma listagem separada no meio deste ano. 

Caso seja concretizado em algum momento, o acordo será o maior em termos globais desde o início da pandemia.

Unilever sob pressão

A Unilever já vende alguns produtos de saúde, como pastas de dente e suplementos, mas um acordo daria à empresa uma presença em medicamentos de venda livre.

A compra da unidade que fabrica o Advil também aliviaria a pressão da Unilever para impulsionar seu crescimento. Para aumentar seu desempenho, a companhia tem buscado se desfazer de marcas de expansão lento e adquirir negócios em categorias mais populares.

Ainda assim, os esforços da Unilever para reorganizar seu portfólio enfrentam desafios. O Wall Street Journal informou no ano passado que a empresa teve que abandonar os planos de vender uma série de marcas de beleza e cuidados pessoais depois de não conseguir atrair interesse suficiente.

*Com informações da Reuters

Compartilhe

ARROZ EM ALTA

Camil (CAML3) sobe 8% após balanço, mas recomendação de compra não é unanimidade entre os bancos

12 de julho de 2024 - 13:45

Resultados do primeiro trimestre divulgados pela companhia animaram o mercado. No entanto, o impulso motivado pela alta no preço do arroz tem data para acabar

DIVIDINDO A RESPONSABILIDADE

Por que a Vale (VALE3) fechou acordo com a BHP em processos no exterior por rompimento de barragem em Mariana 

12 de julho de 2024 - 12:12

O contrato assinado com a BHP tem relação com os processos de ações coletivas no Reino Unido e Holanda ligados ao rompimento da barragem de Fundão

Reforço de caixa

Eletrobras pode levantar até R$ 3,3 bi com oferta secundária de ações da CTEEP (TRLP4); mercado reage e papel tem a maior queda do Ibovespa

12 de julho de 2024 - 11:28

Companhia anuncia venda de 60 milhões de papéis da subsidiária, que pode ser acrescida de mais 70 milhões caso haja demanda

AINDA UMA PENNY STOCK

Em meio a aumento bilionário de capital, Americanas (AMER3) adia grupamento de ações

11 de julho de 2024 - 19:57

Grupamento de ações ordinárias e aquisição do controle da varejista pelos acionistas de referência com aumento de capital foram aprovados nesta semana pelo Cade

CÉU AZUL

Itaú BBA iniciou cobertura da Latam com recomendação de compra e chances de ação decolar 41%; os motivos você confere aqui

11 de julho de 2024 - 19:01

São três pilares que sustentam uma visão positiva sobre a empresa, e quase todos têm a ver com ajustes após a saída do chapter 11

CONSELHO APROVOU

Por que a Santos Brasil (STBP3) quer devolver R$ 1,6 bilhão aos acionistas? Confira a proposta de redução de capital da companhia

11 de julho de 2024 - 18:57

A operação deve ser realizada sem o cancelamento de ações e com restituição em dinheiro aos investidores, mas ainda precisa ser aprovada pelos acionistas

OPERAÇÃO DISCLOSURE

A fraude bilionária na Americanas (AMER3): procurador do MPF pede a extradição do ex-CEO Miguel Gutierrez na Espanha

11 de julho de 2024 - 18:41

Investigado pela operação Disclosure, o executivo teve a prisão decretada pela Justiça, mas permanece solto por ter cidadania brasileira e espanhola

PARCERIA ENTRE GIGANTES

Um passo rumo à fusão? Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) iniciam venda de rotas compartilhadas pelo Brasil

11 de julho de 2024 - 15:29

Em meio à expectativa de fusão entre duas gigantes da aviação comercial no Brasil, a Azul  (AZUL4) e a Gol (GOLL4) iniciaram nesta quinta-feira (11) a venda de rotas compartilhadas. A parceria conecta as malhas de ambas as empresas por meio de um acordo de compartilhamento de rotas, também conhecido como codeshare, anunciado pela primeira […]

POISON PILL DISPARADA?

Briga interna no conselho de administração da Rossi (RSID3) vai parar na Câmara de Arbitragem do Mercado e pode levar à OPA; ações da companhia recuam

11 de julho de 2024 - 14:31

João Rossi Cuppoloni, que é presidente do CA, e Renata Rossi Cuppoloni, conselhereira efetiva, pediram a instauração de um procedimento arbitral contra os outros três membros do colegiado

IMÓVEIS

Penny stock nunca mais? PDG Realty aprova grupamento e ação dispara na B3; saiba como vai funcionar 

11 de julho de 2024 - 12:50

Grupamento entrará em vigor em 12 de agosto e tem como objetivo tirar a empresa da lista de ações listadas em bolsa cuja cotação é inferior a R$ 1

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar