A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2022-06-29T17:02:23-03:00
Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP, já passou pelo portal DCI e setor de análise política da XP Investimentos.
CARREIRA C-LEVEL

Desigualdade no mercado: Mulheres ainda são minoria em cargos de alta liderança

Painel do Young Women Summit, organizado pela Fin4She, discute a importância das mulheres em posições de liderança em grandes empresas

29 de junho de 2022
16:45 - atualizado às 17:02
mulheres na liderança; CEO mulher
Imagem: Shutterstock/iStock

A escassez de mulheres em cargos de alto nível, conhecidos como C-Level, tem diminuído nos últimos anos em diversos setores. 

Com avanços nas temáticas de diversidade e igualdade de gênero, as mulheres têm conseguido alcançar posições de liderança.

Mas o ritmo de mudança ainda é lento.

Contudo, o público feminino continua sendo minoria em posições executivas. Elas ocupam apenas 38% dos cargos, segundo levantamento da Grant Thornton, que considerou 250 empresas brasileiras. 

Já quando falamos em empresas listadas na bolsa de valores, a proporção é ainda menor. Entre as 87 empresas que fazem parte do Ibovespa, principal índice da B3, somente duas são presididas por mulheres: Jeane Tsutsui, do grupo Fleury e Cristina Betts, da rede de shoppings centers Iguatemi. 

Ainda em cargos de C-Level, 16,4% das cadeiras dos conselhos e 13,8% das posições de diretoria são ocupadas por mulheres, segundo levantamento do jornal Estadão divulgado em maio deste ano. 

“Ainda temos poucas referências femininas”, afirmou Ana Karina Bortoni Dias, CEO do Banco BMG desde janeiro de 2020. Ela foi a primeira mulher à frente de uma instituição financeira e participou nesta quarta-feira (29) do painel “Mulheres no Topo: a Jornada C-Level”, organizado pela plataforma Fin4she. 

O painel contou ainda com a participação de Magali Leite, CFO e Conselheira Fiscal da Via, e de Patrícia Maeda, diretora executiva de negócios e comercial do grupo Fleury. 

Painel virtual do evento "Young Women Summit", organizado pela Fin4She. Da esquerda para a direita: Magali Leite, Ana Karina, Patrícia Maeda e a mediadora Christiane Aché

Mulheres na liderança no mercado financeiro

“A gente não teve referências; viemos de uma geração que não tinha mulheres na liderança. Então, a gente começou a se inspirar primeiro nos próprios homens  que estavam na posição que queríamos ocupar”. Essa foi uma das primeiras falas de Magali Leite durante o painel. 

Em uma conversa descontraída, as três executivas relataram trajetória semelhantes e não lineares, ou seja, elas não foram simplesmente “subindo” de cargos. No caso de Ana Karina, a chegada à cadeira mais alta e importante de uma empresa aconteceu de forma “natural”, segundo ela. 

Ana era consultora de CEOs e recebeu um convite para ingressar no Banco BMG como conselheira, em março de 2019. Em menos de um ano, tornou-se CEO. 

Já no caso da Patrícia Maeda, a trajetória foi um pouco mais sinuosa. Há 14 anos no grupo, Fleury ocupou 11 posições antes de chegar à diretoria de negócios e comercial. 

Por fim, elas explicaram que para conquistar a posição atual precisavam ser estratégicas na carreira. Com foco em qual cargo queriam ocupar e colhendo contínuos feedbacks, além de buscar mentores e desenvolver as soft skills — sigla em inglês para habilidades comportamentais — requisitadas nas vagas que desejavam. 

Encarar “nãos” de frente

Receber um "não" é desanimador. Por outro lado, entender as razões de uma resposta negativa é uma maneira de se desenvolver na carreira. 

No caso de Ana Karina, CEO do Banco BMG, não foi diferente. “Todo mundo teve vários nãos, mas a gente precisa entender o porquê e o que precisa ser feito diferente”. 

Patrícia Maeda, diretora do Fleury, contou que quando quis mudar de área recebeu quatro “nãos” de gestores diferentes. Contudo, um deles explicou para a executiva os motivos, como a ausência de determinadas competências que eram importantes para a performance em negócios. O “não” se tornou uma virada de chave. 

“Nem sempre a oportunidade que você tanto quer vai aparecer do jeito que você espera. Na verdade, várias oportunidades aparecem e quando você aceita, entrega um bom trabalho, isso contribui para sua marca pessoal. As pessoas enxergam que você é capaz e é importante saber como elas te percebem em determinada posição”, afirma Patrícia Maeda. 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobe, mas perde o protagonismo para o ethereum (ETH); entenda

12 de agosto de 2022 - 20:29

Além de aproveitar a inflação dos EUA mais branda, o que ajudou as criptomoedas em geral, o ETH se beneficiou dos progressos na direção do The Merge

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magalu (MGLU3) dispara, BC amigo das criptomoedas e outros destaques do dia

12 de agosto de 2022 - 19:07

O mercado financeiro começou a semana olhando aterrorizado para os céus. Já era esperado que os dias fossem marcados pelo avistamento de dragões no ar, mas não se sabia ao certo o tamanho da encrenca que precisaria ser enfrentada.  Com traumas dos episódios recentes, quando a cada mês a ameaça se mostrava maior e mais […]

FECHAMENTO DO DI

Alívio com inflação leva Ibovespa a subir 6% na semana; Magazine Luiza (MGLU3), Hapvida (HAPV3) e Via (VIIA3) disparam após balanço

12 de agosto de 2022 - 18:41

Os indicadores melhores do que o esperado deram um respiro para o Ibovespa nesta semana; dólar caiu quase 2%

SEMANA EM CRIPTO

Ethereum (ETH) rouba a cena e dispara 14%, mas bitcoin (BTC) encerra semana acima dos US$ 24 mil; saiba o que esperar das criptomoedas

12 de agosto de 2022 - 17:56

O otimismo com a atualização do éter, as sanções ao Tornado Cash e o real digital são alguns dos destaque da semana

FEBRABAN TECH 2022

Setor financeiro melhora planos para o metaverso e já fala em criptomoedas como ‘espinha dorsal’ do processo — mas isso vai levar algum tempo; entenda

12 de agosto de 2022 - 17:40

O Febraban Tech 2022 foi realizado entre os dias 9 e 11 de agosto, em São Paulo; confira alguns destaques

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies