2022-05-04T11:45:43-03:00
Camille Lima
UMA NOVA GESTÃO

Mudanças de Elon Musk: Twitter será pago no futuro e deverá voltar para a bolsa de valores daqui a 3 anos

CEO da Tesla quer começar em breve a cobrar taxas de empresas, perfis comerciais e entidades do governo pelo uso da rede social

4 de maio de 2022
11:45
Elon Musk, CEO da Tesla, compra Twitter
Imagem: Nurphoto/Getty Images

Desde que Elon Musk colocou os olhos no passarinho azul bilionário, era possível imaginar as engrenagens na cabeça do CEO da Tesla trabalhando arduamente para desenvolver planos ambiciosos para o futuro do Twitter (TWTR34). Agora que é oficialmente dono da rede social, o executivo deu início aos projetos de mudança, a começar pela cobrança pelo uso do Twitter.

Não é de hoje que Musk sugere que quer monetizar a rede social. O bilionário já estava discutindo com bancos formas de aumentar as receitas da plataforma de mídia social e reduzir os custos para a empresa, e a inclusão de uma taxa é o primeiro passo para isso.

Twitter poderá ser pago para empresas e governos

Conforme a agência de notícias Reuters, o novo dono do Twitter estava pensando em maneiras de ganhar dinheiro com tweets que tivessem potencial de se tornarem ou possuíssem informações importantes.

Desse modo, os possíveis novos custos para uso da rede social não serão para todos. De acordo com o homem mais rico do mundo, em breve, usuários comerciais, empresas e entidades governamentais podem precisar pagar uma taxa para utilizar a plataforma. 

Ainda não está claro se o “leve custo” indicado por Musk também será cobrado de organizações sem fins lucrativos ou de perfis de jornalistas, e nem qual o valor da taxa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Porém, para aqueles que ele chamou de “usuários casuais”, o CEO da Tesla prometeu que a rede social sempre continuará gratuita.

"Alguma receita é melhor do que nenhuma!", escreveu o bilionário em um tweet.

Elon Musk vai cobrar o uso da rede social para pagar o negócio bilionário?

Desde que Elon Musk fechou a compra do Twitter por cerca de US$ 44 bilhões, as pessoas passaram a se questionar onde o executivo arrumaria dinheiro para pagar o negócio, uma vez que a maior parte de sua fortuna está concentrada em ações da Tesla e ativos sem liquidez.

A aquisição incluiu um compromisso de capital de US$ 21 bilhões de seu próprio dinheiro e US$ 25,5 bilhões em empréstimos com bancos.

Ainda estima-se que mais de US$ 12,5 bilhões do empréstimo serão por meio de sua participação na Tesla.

Isso fez com que surgissem especulações de que a monetização do Twitter serviria para pagar a própria compra da rede social.

Adeus às ações do Twitter?

“Pega casaco, bota casaco, tira casaco”. Essa frase foi retirada do filme Karatê Kid, mas pode muito bem ser aplicada às decisões de Elon Musk sobre o Twitter.

Além da notícia de uma possível taxa de uso da rede social, Elon Musk garantiu sua posição sob os holofotes da mídia com a indicação de que a empresa voltará às bolsas de valores no futuro.

Pode parecer contraditório, uma vez que a plataforma de mídia social já possui ações negociadas na Nasdaq, a bolsa de tecnologia dos Estados Unidos. 

Porém, uma das ideias do CEO da Tesla quando comprou o Twitter era fechar o capital da companhia e torná-la privada.

Elon Musk e o IPO da rede social

Mas a situação mudou novamente, e os acionistas podem se preparar para receber o Twitter na bolsa de valores uma outra vez. O empresário indicou ao The Wall Street Journal que poderá devolver a rede social de volta ao mercado de ações em pouco tempo.

A ideia de Elon Musk é lançar uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) em três anos após a conclusão da compra da plataforma.

A aquisição deve ser fechada ainda neste ano e está sujeita à aprovação dos acionistas da rede social e de órgãos reguladores dos Estados Unidos.

Atualmente, o CEO da Tesla está conversando com empresas de private equity para tentar diminuir os US$ 21 bilhões que o empresário terá que desembolsar do próprio bolso para pagar pelo negócio.

De acordo com o Wall Street Journal, o Apollo Global, dono do Yahoo que já pensava em financiar a compra do Twitter, está considerando participar.

*Com Reuters e CNBC

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

ALERTA VERMELHO

Ethereum (ETH) ameaçado: 3 motivos que podem atrasar a atualização mais esperada do ano — e por que isso irá afetar o mercado de criptomoedas como um todo

7 de julho de 2022

Na semana, a maior criptomoeda do planeta acumula avanço de mais de 8%, mas investidores continuam à espera de um milagre

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Entre 65 e 380 eu compro

7 de julho de 2022

“O que vai acontecer com X?”. É uma pergunta errada e perigosa, que nem sequer deve ser formulada em decisões de investimento; entenda

OS SOBREVIVENTES

Putin vê mais um primeiro-ministro britânico cair, mas ainda precisa comer muita farinha antes de alcançar a rainha Elizabeth II

7 de julho de 2022

Boris Johnson é o quinto primeiro-ministro a cair com Putin na presidência da Rússia, mas a monarca britânica já viu muito mais que isso

FINO EQUILÍBRIO

Bitcoin (BTC) tenta começar o segundo semestre com o pé direito e criptomoedas acumulam altas na semana; confira oportunidades

7 de julho de 2022

Na semana, a maior criptomoeda do planeta acumula avanço de mais de 8%, mas investidores continuam à espera de um milagre

REESTRUTURAÇÃO

TIM anuncia plano de transformação: confira se as mudanças vão atingir os negócios da TIM Brasil (TIMS3)

7 de julho de 2022

A reestruturação tem o objetivo de reduzir a dívida da operadora na Itália; as operações no Brasil não serão afetadas, de acordo com a TIM