🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Ricardo Gozzi
APROVEITANDO O BOM HUMOR

Arezzo (ARZZ3) levanta mais de R$ 830 milhões em oferta de ações para consolidar-se como ‘casa de marcas’

Oferta encontrou demanda por lote adicional e saiu com desconto de menos de 1% em relação ao preço de fechamento da véspera

Fachada de loja da Arezzo (ARZZ3). Empresa vai pagar dividendos na forma de JCP
Imagem: Divulgação

A Arezzo (ARZZ3) aproveitou a janela de bom humor surgida no mercado financeiro brasileiro nas últimas semanas e levantou R$ 833,8 milhões na oferta subsequente de ações realizada para financiar seus planos de consolidar-se como uma "casa de marcas".

A empresa de calçados, bolsas e acessórios femininos vai emitir 10,125 milhões de novas ações a R$ 82,35 cada.

O primeiro follow-on da Arezzo desde 2011, quando a empresa chegou à bolsa, ficou menos de 1% abaixo do fechamento de ontem e saiu por um preço ligeiramente superior aos R$ 81,91 por ARZZ3 de quando a oferta foi anunciada, em 26 de janeiro.

Demanda elevada

Os coordenadores da oferta da Arezzo encontraram demanda não apenas para a oferta de 7,5 milhões de novas ações, como conseguiram colocar integralmente um lote adicional que levou aos números divulgados na madrugada de hoje.

A Arezzo foi ao mercado com uma oferta restrita orientada pela Instrução 476 da CVM. Isso significa que puderam participar apenas investidores profissionais - aqueles com aplicações comprovadas de pelo menos R$ 10 milhões.

Casa de marcas

A Arezzo pretende usar os recursos levantados com a oferta de ações para expandir-se e consolidar-se como casa de marcas. Ela não vai deixar de ser uma das grandes calçadistas do país, mas quer abrir o leque.

A ideia é concentrar sob seu guarda-chuva nomes fortes no varejo de moda como um todo e transformar-se num gigante dos pés à cabeça.

Isso quer dizer que os calçados, as bolsas e os acessórios femininos continuarão sendo parte importante do portfólio da empresa. Ao mesmo tempo, ela buscará inserção em outros ramos de vestuário, o que deve incluir roupas masculinas e femininas para públicos de diferentes idades e padrões de consumo.

Trata-se de uma mudança que já vem sendo sinalizada desde 2020, quando a Arezzo comprou a Reserva, grife de roupas masculinas de Rony Meisler.

Outras aquisições foram consumadas pela Arezzo desde então, entre elas a compra da Baw, marca de streetwear forte nas redes sociais, e a Carol Bassi, nome forte da moda feminina de luxo.

Compartilhe

SEM CONFIDENCIALIDADE

Fim do sigilo: Light (LIGT3) revela os segredos da negociação com credores

21 de fevereiro de 2024 - 20:16

A empresa de energia abriu nesta quinta-feira (21) os detalhes das propostas que estiveram sobre a mesa desde novembro do ano passado; confira os principais pontos

SEM EXCESSO

XP (XPBR31) vai enxugar US$ 9 bilhões do capital e apenas um acionista será restituído

21 de fevereiro de 2024 - 19:12

A operação foi aprovada nesta quarta-feira (21) em assembleia; confira os detalhes e o que levou a corretora a optar por essa redução

SINAL VERDE

Acionistas da Hypera (HYPE3) aprovam aumento de capital de R$ 4,5 bilhões; veja como será feita a operação

21 de fevereiro de 2024 - 19:06

A operação será realizada sem a emissão de novas ações e por meio da capitalização de uma parte da reserva de incentivos fiscais da companhia

EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Fim do calvário? Oi (OIBR3) dispara 124% em fevereiro e mira R$ 1 bilhão em valor de mercado. Veja o que está por trás da alta das ações

21 de fevereiro de 2024 - 15:06

A operadora atingiu um valor de mercado de R$ 941,78 milhões — o nível mais alto desde que a empresa entrou com o novo pedido de reestruturação de dívidas

AÇO FORTE

Por que as ações da Gerdau (GGBR4) sobem na B3 apesar do lucro menor 4T23?

21 de fevereiro de 2024 - 14:47

Resultados da Gerdau (GGBR4) tiveram impactos da importação de aço na China e crise inflacionária na Argentina, mas vieram dentro do esperado

AQUECIMENTO

A campeã voltou? Weg (WEGE3) supera as projeções no 4T23 e ações lideram o Ibovespa

21 de fevereiro de 2024 - 13:10

Lucro de R$ 1,75 bilhão da Weg (WEGE3) fica 30% acima do esperado pelo mercado, com melhora em praticamente todas as divisões

CONFIRA OS NÚMEROS

Iguatemi (IGTI11) divulga balanço sólido e ações têm desconto ante uma rival na bolsa, apontam analistas; é hora de comprar?

21 de fevereiro de 2024 - 12:34

A companhia divulgou ontem os números do quarto trimestre e também um guidance dos resultados projetados para 2024

DANÇA DAS CADEIRAS

De saída: CEO da Taesa (TAEE11) renuncia ao cargo após três anos no controle da elétrica; veja quem vai assumir a posição

21 de fevereiro de 2024 - 12:13

Desde 2020 na posição, o atual CEO da empresa de energia, André Augusto Telles Moreira, apresentou hoje a renúncia

DEVO, NÃO NEGO...

Unigel entra com plano de recuperação extrajudicial para reestruturar R$ 3,9 bilhões em dívidas

21 de fevereiro de 2024 - 8:40

Indústria química obteve a adesão de pouco mais de um terço dos credores e agora tem 90 dias para aprovar plano de recuperação extrajudicial; veja a proposta

NÃO VAMOS DOBRAR A META?

Por que a Vamos (VAMO3) abandonou de vez o plano de atingir uma frota com 100 mil ativos até 2025

20 de fevereiro de 2024 - 19:50

A meta havia se tornado pública em entrevista concedida pelo CEO da empresa, Gustavo Couto, em meados do ano passado

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies