🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-06-01T17:08:36-03:00
Camille Lima
CULPA DOS DOIS

Johnny Depp e Amber Heard foram condenados; o ator vai receber a maior indenização

Após anos de disputa pública e judicial, o processo de Amber Heard e Johnny Depp finalmente chegou ao fim. O júri anunciou hoje o veredicto.

1 de junho de 2022
16:29 - atualizado às 17:08
Amber Heard e Johnny Depp
Amber Heard e Johnny Depp - Imagem: Reprodução

Após anos de disputa pública e judicial, o caso Amber Heard e Johnny Depp finalmente chegou ao fim. O mundo inteiro acompanhou seis semanas de testemunhos e depoimentos, e coube ao júri anunciar o veredicto: os dois foram condenados por difamação.

Foram três dias de reunião do júri para enfim chegar à deliberação final. Os sete jurados — duas mulheres e cinco homens — iniciaram as deliberações sobre os processos na sexta-feira, chegando a uma decisão unânime apenas nesta quarta-feira (01).

O júri concorda que Depp foi difamado pela ex-esposa e deve receber uma indenização de US$ 15 milhões por ter tido sua honra e reputação afetadas pelas alegações de Heard.

Porém, o grupo decidiu que a compensação pelos danos caberá às duas partes: Heard foi condenada a pagar US$ 15 milhões a Depp. O ator, por sua vez, US$ 2 milhões.

Apesar do montante ser inferior aos US$ 50 milhões de indenização sugeridos pela defesa de Johnny, o caso foi uma vitória para o artista, já que recebeu o maior valor.

Como o júri chegou ao veredicto

Os sete jurados iniciaram as deliberações sobre os processos na sexta-feira. Porém, com o feriado e o feriado Memorial Day nos Estados Unidos ontem, o grupo só retomou as conversas ontem. 

Como é necessário unanimidade entre os jurados, o júri passou o dia inteiro em debate sem alcançar um veredicto. Ou seja, hoje foi o terceiro dia de reunião para enfim chegar à decisão final.

O júri de sete membros teve que analisar duas passagens específicas do artigo publicado por Amber Heard no jornal The Washington Post e o título do artigo para decidir se eles eram difamatórios. 

O documento dos jurados possui instruções sobre como determinar isso, questionando se as declarações eram realmente sobre Johnny Depp, se eram falsas e se possuíam alegações difamatórias sobre o ator. 

Para Heard ser considerada “culpada”, a atriz teria que ter agido com “real malícia” ao escrever o artigo, agindo com desrespeito à verdade, uma vez que o ex-marido era uma figura pública.

Vale destacar que, se os jurados considerassem que Heard tivesse sofrido uma única situação de abuso, o argumento de Depp de difamação seria falho.

Já em relação ao contra-processo de Amber, o formulário do veredicto do júri pedia que os jurados analisassem se o ex-advogado de Johnny fez ou publicou três declarações sobre Heard que eram falsas e foram vistas por outra pessoa que não a atriz. O júri também teve que ponderar se o advogado teria feito as declarações com malícia real.

O processo de Amber Heard e Johnny Depp

Para explicar os processos entre Amber Heard e Johnny Depp, é necessário voltar no tempo antes de o navio afundar de vez. O relacionamento dos artistas começou em 2011. Eles se casaram quatro anos depois.

Em 2016, Amber entrou com o pedido de divórcio, acompanhado de uma ordem de restrição contra o ator. A justificativa da medida solicitada por Heard foi o uso excessivo de álcool e drogas pelo ex-marido, além de acusações de agressão.

Nas audiências de separação, a atriz foi vista no tribunal com o rosto machucado, mas Depp negou as acusações. No ano seguinte, as celebridades firmaram um acordo.

Ao final de 2018, Amber publicou um artigo em que se descreveu como uma "figura pública que representa o abuso doméstico", mas sem citar o nome de Johnny Depp.

Dois meses depois, o artista foi à Justiça pedir uma indenização de US$ 50 milhões da ex-esposa por ter sua honra manchada pelas alegações da atriz. Em resposta, Amber decidiu abrir um contra-processo de US$ 100 milhões pelo mesmo crime: difamação.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização

enxugando gelo

Alivia agora para apertar depois: corte de impostos sobre combustíveis e energia reduz estimativas de inflação para 2022, mas pressão volta em 2023

Economistas revisam suas projeções para o IPCA e alertam que fiscal e volta do PIS/Cofins podem voltar a bater na inflação no ano que vem

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies