O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-12T16:51:32-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ECONOMIA DOS EUA

Em Powell confiamos: secretária do Tesouro dos EUA acredita que Federal Reserve é capaz de conter a inflação sem provocar recessão no país

Yellen destacou que a inflação gerada por problemas na cadeia de produção não é um problema apenas nos Estados Unidos

12 de maio de 2022
16:51
Janet Yellen Federal Reserve
Janet Yellen, secretária do Tesouro americano. - Imagem: Shutterstock

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, reafirmou nesta quinta-feira (12) que a inflação é "uma preocupação séria" para o governo do presidente Joe Biden. Yellen mostrou confiança no trabalho do Federal Reserve (Fed) para conter a trajetória dos preços sem provocar uma recessão.

No Comitê de Estabilidade Financeira, da Câmara dos Representantes, a secretária destacou o fato de que "não somos o único país a enfrentar recessão". Por trás da crise, ela citou que há fatores externos, como problemas nas cadeias de produção. Sobre a economia americana, também ressaltou a força do mercado de trabalho neste momento.

Questionada sobre o aborto - o tema está em discussão no país após o vazamento de um rascunho de decisão da Suprema Corte que pode significar recuo no acesso à prática nos EUA - Yellen afirmou que "há um vínculo causal entre o acesso ao aborto e a qualidade de vida das mulheres".

Segundo ela, reverter a legislação atual atrapalharia a produtividade de "grandes grupos de mulheres" em seus principais anos de vida profissional, "especialmente as mais vulneráveis". Além disso, mencionou estudos segundo os quais a falta de acesso ao aborto tende a resultar em mais necessidade de ajuda oficial.

Outro ponto trazido por vários deputados na audiência foi a falta de fórmulas de leite infantil à venda em partes do país, com problemas nas cadeias de produção.

Em comunicado, a Casa Branca informa que Biden falará nesta quinta com varejistas e fabricantes desses produtos para receber uma atualização sobre os esforços para melhorar a oferta dele a famílias americanas. O governo diz ainda que anunciará nesta tarde ações adicionais para resolver o quadro.

O que o Federal Reserve enfrenta na terra do tio Sam?

No último dia 4, o Federal Reserve aumentou o aperto monetário com intuito de conter a inflação. O banco central norte americano subiu o juro em 0,50 pp, passando para faixa entre 0,75% a 1,00% ao ano, além disso reduziu o balanço de ativos.

O mercado tem lido que o Fed está comprometido com o combate à inflação. Com outra subida nos juros no radar, a economia americana pode ser levada a um estado de recessão. Um sinal de que isso pode ocorrer é a inversão da curva de juros, que tem se tornado comum nos EUA.

O banco central americano vem dando sinais de uma nova subida nos juros na próximas reuniões, esse novo aperto monetário deve retirar recursos da bolsa e outros investimentos de risco. Porém o orgão ainda não explicitou seu próximos passos.

*Com informações dos Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

A Turquia mandou avisar: Suécia e Finlândia podem implorar, mas não vão entrar na Otan; entenda por quê

Analistas veem objeção da Turquia ao ingresso de suecos e finlandeses na aliança militar como uma tentativa de obter concessões

SEU DIA EM CRIPTO

Oscilando nos US$ 30 mil, bitcoin (BTC) mira novos patamares de preço após criar suporte; momento é positivo para comprar criptomoedas

Entenda porque a perda de paridade com o dólar é importante para a manutenção do preço das demais criptomoedas do mundo

O CEO do JP Morgan merece um bônus de US$ 52 milhões? Os acionistas vão decidir hoje

Em 2021, o CEO do JP Morgan, Jamie Dimon recebeu um bônus de US$ 34,5 milhões, sendo um dos executivos americanos com maior remuneração

Nubank (NUBR33) empolgou? Nem tanto. Saiba por que as ações dispararam após o balanço, mas logo perderam a força

Inadimplência do Nubank subiu mais que nos grandes bancos brasileiros no primeiro trimestre, mas analistas minimizaram a alta

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa opera em alta, mas desacelera após manhã agitada; dólar é negociado abaixo dos R$ 5

RESUMO DO DIA: Os sinais de alívio da covid-19 na China devolveu o apetite de risco dos investidores nesta terça-feira (17). O tom menos agressivo dos representantes do Federal Reserve na tarde de ontem (16) também incentivam uma busca por barganhas nas bolsas hoje. Por aqui, o Ibovespa acompanha os debates envolvendo a PEC 63, […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies