Insights de investimento, análises de mercado e muito mais! Siga o Seu Dinheiro no Instagram

2022-05-15T10:06:35-03:00
Eslen Brito
Eslen Brito
Repórter multimídia do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Rádio Alpha FM e pela Jornalismo Júnior.
Luz no fim do túnel

Criptomoedas estão caindo, mas há esperança; entenda por que ainda vale a pena investir em bitcoin (BTC)

Mercado cripto perdeu cerca de 30% do valor total nos últimos 7 dias, mas algumas criptomoedas ainda podem crescer até o fim do ano, segundo analistas

13 de maio de 2022
15:47 - atualizado às 10:06
CRIPTOMOEDAS
CriptomoedasImagem: Shutterstock

O ano de 2022 começou difícil para as criptomoedas. Desde as máximas históricas de novembro de 2021, o bitcoin (BTC) já despencou quase 60% e chegou a bater as mínimas de US$ 26.300. A coisa também não está fácil para o ethereum (ETH), que muitos investidores esperavam triplicar de valor ao longo desse ano, mas derreteu mais de 55% desde janeiro.

São vários os fatores que explicam essa queda repentina, mas todos eles giram em torno de um só: os juros. Desde 4 de maio, quando o Federal Reserve anunciou um reajuste de 0,5 ponto percentual na taxa de juros americana, as criptomoedas engataram sem freio numa trajetória de queda e, não por coincidência, as bolsas pelo mundo fizeram o mesmo.

Neste vídeo você confere com mais detalhes a decisão do banco central americano de aumentar a taxa básica de juros:

Depois desse anúncio, a aversão ao risco tomou conta dos investidores, que, desde então, estão liquidando posições em ativos de risco, ou seja, ações e também criptomoedas. Esse cenário pode parecer desesperador, mas, no longo prazo, ainda há esperança para os criptoativos.

Segundo João Canhada, CEO da Foxbit, o bitcoin ainda tem possibilidade de crescimento e o mercado cripto deve se reaquecer, especialmente com a forte entrada de investidores institucionais. Confira a visão de Canhada com mais detalhes no vídeo abaixo: 

Conforme comenta o CEO da Foxbit, a entrada de investidores institucionais no mercado de criptomoedas é muito significativa em termos de valor de mercado, já que os aportes financeiros aplicados tendem a ser muito maiores que os de pessoas físicas. Em março deste ano, todos os ETFs de criptomoedas somavam 200 mil investidores, de acordo com dados da B3, e esse número deve continuar crescendo.

A entrada de grandes empresas no mercado cripto aumenta a confiança de investidores e abre portas para novas compras desses ativos. Exemplo disso é o Nubank, que anunciou nesta semana a possibilidade de comprar e vender criptomoedas diretamente pelo aplicativo. O serviço deve ser liberado para todos os cerca de cerca de 50 milhões de clientes até junho. Entenda como isso deve ocorrer no vídeo abaixo, onde você confere a notícia completa:

Além disso, a recente tramitação de leis que dão início à regulamentação de transações de criptoativos no Brasil fornece um apoio jurídico que aumenta a segurança e incentiva a entrada de novos investidores institucionais. Assim, para entender melhor as tendências do mercado com a regulamentação cripto, acompanhe a sequência de conteúdos que separamos/sugerimos a seguir.

A aprovação da “Lei Bitcoin” e de outras regulações ao redor do mundo deve interferir nas cotações de criptomoedas. Entenda como no vídeo abaixo:

Negligenciado em um primeiro momento, o mercado cripto ganhou proporções que não podem mais ser ignoradas pela legislação. Contudo, ao longo de uma década no Brasil, as tendências de regulação das criptomoedas foram muitas e divergiam entre si. Conheça a trajetória da legislação cripto:

A “Lei Bitcoin” já é realidade. A partir de agora, o que muda para as exchanges? Neste vídeo, o CEO da Foxbit explica quais devem ser as novas exigências no funcionamento das corretoras para que investidores tenham mais segurança. Confira:

Por último, mas não menos importante, o ethereum (ETH) é atualmente a segunda maior criptomoeda do mundo e seu projeto tem um enorme potencial de crescimento. Segundo o analista da Empiricus Valter Rebêlo, o ethereum possui eficiência energética e uma queda de emissão até três vezes maior que a do bitcoin, o que, com o aumento da demanda, deve valorizar mais a moeda. 

Além disso, outras criptomoedas buscam serem EVM (Ethereum Virtual Machine) compatíveis, o que mostra a força e projeção de valorização do projeto ethereum ao longo do tempo. Confira a explicação completa neste vídeo:

E, para ficar por dentro de tudo que influencia o mundo cripto, confira a playlist completa do podcast Papo Cripto no Youtube, onde o repórter Renan Sousa discute as questões e tendências mais relevantes do momento com especialistas e grandes nomes do mercado. Se inscreva no nosso canal (clique aqui para se inscrever) e não perca nossos próximos conteúdos.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

A PARTIR DE JUNHO

Quer um pedacinho da Eletrobras (ELET3)? O trabalhador poderá usar recursos do FGTS para comprar ações

O trabalhador deverá fazer reserva de aquisições entre 3 e 9 de junho. O governo liberou o uso de até 50% do FGTS para compra de ações da Eletrobras

DESINVESTIMENTO

Em meio à turbulências, Petrobras (PETR4) assina mais um contrato de venda de refinaria

A operação ainda deve passar pelo crivo do Cade. A venda da refinaria Lubnor por US$ 34 milhões faz parte do plano de desinvestimento

DIPLOMACIA RUSSA

Bandeira branca? Putin diz que vai viabilizar comércio de grãos ucranianos e fertilizantes

Em conversa com o presidente da França e o chanceler da Alemanha, Putin afirmou que vai aumentar a oferta de grãos e fertilizantes

NÃO VINGOU

Terra 2.0 derrete mais de 60% no dia do lançamento; saiba por quê

A Terra 2.0 já acumula perdas; o renascimento da criptomoeda sofre com a perda de credibilidade, após falhas no protocolo da antiga moeda

NOVA CRIPTO NA ÁREA

Lançamento da Terra 2.0: vale a pena investir em um projeto criado pelos mesmos desenvolvedores da extinta Terra (LUNA)? Especialistas falam sobre nova criptomoeda

A resposta foi quase unânime: os analistas deixaram de acompanhar a Terra (LUNA) e não acreditam mais no projeto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies