🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Natal cheio de presentes

Shoppings em alta: Iguatemi (IGTI11) fecha o ano com recorde de vendas e supera os níveis de 2019

A Iguatemi (IGTI11) reportou um avanço firme nas vendas no 4º trimestre, confirmando a boa percepção do mercado em relação aos shoppings

Victor Aguiar
Victor Aguiar
29 de janeiro de 2022
11:38
Shopping JK Iguatemi, pertencente ao Iguatemi (IGTI11) follow-on
Fachada do shopping JK Iguatemi, em São Paulo - Imagem: Divulgação

Uma das teses de investimento levantadas durante a pandemia era a do 'consumo de vingança': assim que as restrições sociais fossem aliviadas, uma horda de consumidores invadiria os shoppings e centros comerciais, dando vazão à ânsia por compras que ficou reprimida. Pois a Iguatemi (IGTI11) mostrou que, de fato, esse fenômeno se confirmou no quarto trimestre de 2021.

A prévia operacional da companhia não deixa dúvidas: entre outubro e dezembro, os consumidores frequentaram os shoppings e gastaram dinheiro como nunca. É verdade que o fim de ano é uma época sazonalmente mais forte para o varejo, mas, mesmo na comparação com o quarto trimestre de 2019 — portanto, antes da pandemia —, a Iguatemi mostrou evolução em suas métricas de venda.

Ao todo, a empresa registrou vendas totais de R$ 4,75 bilhões nos três últimos meses de 2021, uma cifra 11,8% maior que a reportada no mesmo período de 2019. Chama a atenção o fato de que esse resultado foi conquistado com uma taxa de ocupação menor nos shoppings: o índice caiu de 94% para 92% entre os intervalos em questão.

De certa maneira, o bom desempenho já era esperado: há alguns dias, a Multiplan (MULT3) também mostrou um crescimento sólido nas vendas e nas demais métricas operacionais, mostrando o aquecimento do setor de shoppings no quarto trimestre. Ainda assim, os números da Iguatemi surpreendem positivamente.

Afinal, as vendas de R$ 4,75 bilhões não só superaram as cifras de 2019: elas também representam um novo recorde histórico para a Iguatemi num único trimestre. Um resultado que diz muito sobre o comportamento dos consumidores, considerando o mau momento das varejistas online, como Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3).

O ato do consumo

É preciso levar algumas questões em consideração ao analisarmos o bom desempenho da Iguatemi (IGTI11) e do setor de shoppings como um todo no quarto trimestre. Há o ponto do 'consumo de vingança' citado acima, mas também é preciso lembrar do impacto das festas de fim de ano.

Shoppings são particularmente beneficiados nesse período. Pare para pensar: se você precisa comprar presentes para inúmeras pessoas, nada melhor que um centro comercial com diversos tipos de loja — exatamente a proposta da Iguatemi, Multiplan, Aliansce Sonae e BR Malls, entre outras.

Varejistas como Magalu, Via e Americanas também veem um aumento nas vendas nos três últimos meses do ano. Contudo, suas lojas físicas possuem um escopo relativamente limitado, focado em eletroeletrônicos e itens para o lar; os e-commerces têm uma oferta maior, mas as compras online não tem o mesmo apelo de uma ida ao shopping.

E eis o segundo trunfo: shoppings embutem um fator de laser às compras. Ao contarem com serviços, cinemas, restaurantes e outros estabelecimentos, eles trazem algo a mais à mesa. E, para deixar a coisa toda ainda melhor, o quarto trimestre foi justamente o período de maior relaxamento nas regras de distanciamento social.

As preocupações geradas pela ômicron, afinal, emergiram apenas em janeiro; sendo assim, os shoppings ofereciam um combo muito atraente ao consumidor em dezembro: compras, diversão e relaxamento — isso, é claro, se você for do tipo que gosta de andar num corredor cheio de lojas.

Iguatemi: os números do trimestre

Outros números operacionais mostram que a Iguatemi (IGTI11) teve um trimestre robusto. O indicador de vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês), por exemplo, mostra um salto de 15% em relação ao mesmo período de 2019 — mais um sinal de que os estabelecimentos cresceram.

Já o indicador de alugueis mesmas lojas (SSR) avançou 28% na comparação com o quarto trimestre de 2019. Portanto, a Iguatemi está concedendo menos descontos e arrecadando mais com a cobrança pelo uso dos espaços comerciais nos seus shoppings — o que tende a impulsionar diretamente a receita líquida.

"Apesar de termos aumentado a cobrança, a inadimplência líquida teve uma queda para 1,4% versus o terceiro trimestre, valor próximo ao patamar pré-pandemia; o custo de ocupação atingiu 11,3% no 4º trimestre de 2021", destaca a empresa.

  • O podcast Touros e Ursos desta semana já está no ar! A equipe do Seu Dinheiro discutiu os próximos passos do banco Central, que deve elevar a Selic para além dos 10% na próxima semana. É só dar play!

IGTI11: bom momento dos shoppings

Na bolsa, as units da Iguatemi (IGTI11) têm se destacado na ponta positiva do Ibovespa: desde o começo do ano, já acumulam ganhos de mais de 9%, impulsionadas pela percepção de recuperação do setor de shoppings.

Outras empresas desse segmento também estão tendo um começo de ano animador no mercado de ações: a Multiplan é outra que sobe na esteira dos dados operacionais do quarto trimestre; já Aliansce Sonae (ALSO3) e BR Malls (BRML3) avançam em meio às negociações para uma eventual fusão.

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

OPA a preço atrativo

Gradiente (IGBR3) chega a disparar 47%, mas os acionistas têm um dilema: fechar o capital ou crer na vitória contra a Apple?

12 de setembro de 2022 - 13:09

O controlador da IGB/Gradiente (IGBR3) quer fazer uma OPA para fechar o capital da empresa. Entenda o que está em jogo na operação

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Exclusivo Seu Dinheiro

Magalu (MGLU3) cotação: ação está no fundo do poço ou ainda é possível cair mais? 5 pontos definem o futuro da ação

10 de setembro de 2022 - 10:00

Papel já alcançou máxima de R$ 27 há cerca de dois anos, mas hoje é negociado perto dos R$ 4. Hoje, existem apenas 5 fatores que você deve olhar para ver se a ação está em ponto de compra ou venda

NOVO ACIONISTA

Com olhos no mercado de saúde animal, Mitsui paga R$ 344 milhões por fatias do BNDES e Opportunity na Ourofino (OFSA3)

9 de setembro de 2022 - 11:01

Após a conclusão, participação da companhia japonesa na Ourofino (OFSA3) será de 29,4%

Estreia na bolsa

Quer ter um Porsche novinho? Pois então aperte os cintos: a Volkswagen quer fazer o IPO da montadora de carros esportivos

6 de setembro de 2022 - 11:38

Abertura de capital da Porsche deve acontecer entre o fim de setembro e início de outubro; alguns investidores já demonstraram interesse no ativo

Bateu o mercado

BTG Pactual tem a melhor carteira recomendada de ações em agosto e foi a única entre as grandes corretoras a bater o Ibovespa no mês

5 de setembro de 2022 - 15:00

Indicações da corretora do banco tiveram alta de 7,20%, superando o avanço de 6,16% do Ibovespa; todas as demais carteiras do ranking tiveram retorno positivo, porém abaixo do índice

PEQUENAS NOTÁVEIS

Small caps: 3R (RRRP), Locaweb (LWSA3), Vamos (VAMO3) e Burger King (BKBR3) — as opções de investimento do BTG para setembro

1 de setembro de 2022 - 13:50

Banco fez três alterações em sua carteira de small caps em relação ao portfólio de agosto; veja quais são as 10 escolhidas para o mês

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Passando o chapéu: IRB (IRBR3) acerta a venda da própria sede em meio a medidas para se reenquadrar

30 de agosto de 2022 - 11:14

Às vésperas de conhecer o resultado de uma oferta primária por meio da qual pretende levantar R$ 1,2 bilhão, IRB se desfaz de prédio histórico

Exclusivo Seu Dinheiro

Chega de ‘só Petrobras’ (PETR4): fim do monopólio do gás natural beneficia ação que pode subir mais de 50% com a compra de ativos da estatal

30 de agosto de 2022 - 9:00

Conheça a ação que, segundo analista e colunista do Seu Dinheiro, representa uma empresa com histórico de eficiência e futuro promissor; foram 1200% de alta na bolsa em quase 20 anos – e tudo indica que esse é só o começo de um futuro triunfal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar