Menu
2021-09-20T08:03:56-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Segredos da Bolsa

Esquenta dos mercados: exterior amanhece pressionado pelo caso de Evergrande e cautela deve predominar em semana de ‘Super Quarta’

A divulgação da taxa de juros aqui e nos Estados Unidos é o evento mais esperado da semana, marcada por um início conturbado

20 de setembro de 2021
7:54 - atualizado às 8:03
Bolsa em queda
Cautela aumenta e a bolsa brasileira sente antes da Super Quarta - Imagem: Shutterstock

As bolsas pelo mundo já esperavam maiores desdobramentos do caso da gigante do setor imobiliário chinês, a Evergrande. O primeiro pregão da semana deve ser marcado pela cautela, antes da "Super Quarta", quando o Banco Central Brasileiro e o Federal Reserve divulgam a taxa de juros aqui no Brasil e nos Estados Unidos.

No pregão da última sexta-feira (17), o Ibovespa acumulou uma queda de 2,49% na semana e fechou com um recuo de 2,07%, aos 111.439 pontos. O dólar à vista chegou a avançar mais de 1,57%, mas fechou em alta de 0,32%, a R$ 5,2821.

Confira o que deve movimentar o pregão esta semana e nesta segunda-feira (20):

Caso Evergrande pressiona índices e Fed no radar

Na semana passada, a gigante do setor imobiliário chinês foi alvo das garras regulatórias do Gigante Asiático. De acordo com o governo da China, a incorporadora não deve conseguir rolar suas dívidas a partir desta segunda-feira (20).

O calote da dívida da segunda maior incorporadora do país deve pressionar o setor financeiro chinês e afetar a recuperação econômica, que já não tem tração o suficiente. A crise do setor imobiliário, vale lembrar, foi o que levou à quebra do banco Lehmann Brothers desencadeou a crise do crédito subprime nos Estados Unidos em 2008. 

Com isso, a semana já começa com as principais bolsas pelo mundo em forte movimento de queda (leia mais abaixo), de olho no noticiário dos próximos dias. Na terça-feira (21), começa a Assembleia Geral da ONU, em Nova York, com o discurso de abertura do presidente Jair Bolsonaro

O tema da retomada econômica deve ficar em segundo plano, com desdobramentos políticos internacionais em foco. O próprio tom de ameaça do presidente Jair Bolsonaro contra os demais poderes da República deve ser pauta, além da questão da tomada do poder pelo Taleban no Afeganistão e a crise do coronavírus pelo mundo. 

Mas é na quarta-feira (22) que acontece o evento mais importante da semana. A Super Quarta conta com a divulgação da taxa de juros do Banco Central americano, além da sempre esperada coletiva de imprensa do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell

O mercado espera que a autoridade monetária dos EUA mantenha a taxa de juros na faixa entre 0% e 0,25%.

Assembleia da ONU e IPCA-15

O cenário doméstico começa de olho no exterior. O caso de Evergrande deve pressionar o Ibovespa, que já não conta com maiores motivos para avançar. No pregão da última sexta-feira (17), a queda da bolsa brasileira chegou a mais de 2% no acumulado dos sete dias.

Os desdobramentos do aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) pegou todos desprevenidos. O risco de o governo federal extrapolar o teto de gastos para financiar programas que visam o aumento de popularidade, como aumento do Bolsa Família (Auxílio Brasil), e não resolver a crise fiscal também segue pressionando a bolsa brasileira como plano de fundo.

O discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Assembleia Geral da ONU deve chamar as atenções do investidor, mas o impacto da fala pode ser reduzido frente aos demais eventos da semana. A Super Quarta (22) deve contar com a divulgação da taxa básica de juros aqui no Brasil. 

Na última edição do Boletim Focus, o mercado espera que a Selic suba para 8,0%, mas alguns entes já projetam que os juros podem ficar em até 10% até o final do ano. 

E por mais uma sexta-feira (24) o investidor brasileiro não deve ter paz. A Aneel deve divulgar a bandeira tarifária para outubro deste ano, mas deve manter o preço a cada 100 kWh acima dos R$ 14,00, a chamada bandeira de escassez hídrica. 

A alta na conta de luz deve impactar diretamente na inflação deste semestre, o que já deve refletir no IPCA-15, uma prévia da inflação oficial, divulgado no mesmo dia. Além da alta nos preços, a chance da volta dos apagões e da falta de água também deve ficar no radar e pressionar a retomada das atividades.

Bolsas pelo mundo

Os índices internacionais caem majoritariamente pelo mundo, à espera de desdobramentos do caso Evergrande, a gigante do setor imobiliário da China. Na Ásia, as principais praças da China e do Japão não abriram em virtude dos feriados locais, mas a bolsa de Hong Kong registrou queda de mais de 3% no pregão.

Na Europa, a cautela com a incorporadora chinesa se soma ao compasso de espera do anúncio da política de juros do Federal Reserve, nos Estados Unidos. Os principais índices recuam na manhã de hoje.

Por fim, os futuros de Nova York também operam no vermelho, com quedas acima de 1%. 

Agenda da semana

Segunda-feira (20)

  • Banco Central: Boletim Focus semanal (8h25)
  • Estados Unidos: Índice de confiança das construtoras em setembro (11h)
  • Economia: Balança comercial semanal (15h)

Terça-feira (21)

  • França: OCDE divulga relatório para a perspectiva global (6h)
  • Estados Unidos: Construção de moradias iniciadas em agosto (9h30)
  • Estados Unidos: Estoques de petróleo (17h30)
  • China: PBoC define taxas de referência para empréstimos (22h30)
  • Abertura da Assembleia Geral da ONU, com discurso do presidente Jair Bolsonaro

Quarta-feira (22)

  • Estados Unidos:  Vendas de moradias usadas em agosto (11h)
  • Estados Unidos: Fed divulga decisão de política monetária (15h)
  • Estados Unidos: Jerome Powell, presidente do Fed, concede coletiva após decisão de política monetária (15h30)
  • Brasil: Banco Central anuncia a taxa básica de juros, a Selic (18h30)

Quinta-feira (23)

  • Brasil: FGV divulga IPC-S semanal (8h)
  • Estados Unidos: Índice de atividade nacional de agosto e pedidos de auxílio desemprego (9h30)
  • Estados Unidos: PMI composto preliminar de setembro (10h45)

Sexta-feira (24)

  • Estados Unidos: Presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, discursa em evento da Liga dos Banqueiros de Ohio (9h45)
  • FGV: Sondagem do consumidor de setembro e IPC-S das Capitais semanal (8h)
  • IBGE: IPCA-15 de setembro (9h)
  • Economia: Conta corrente e IDP de agosto (9h30)
  • Aneel divulga bandeira tarifária de outubro 
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa fecha semana no azul, Nubank valendo bilhões a menos e primeiro ETF cripto dos EUA: veja as principais notícias desta sexta

Em uma limousine brilhante, o Ibovespa chegou atrasado para a festa das bolsas globais — mas chegou.  Os balanços das empresas europeias e americanas abriram as portas do salão de baile: com o bom resultado das companhias, dados mistos da economia e um desenho mais nítido da retirada de estímulos monetários, Wall Street brilhou.  O […]

CRIPTOMOEDAS

Quais as dificuldades na regulamentação do Bitcoin e demais criptomoedas?

Analista de criptomoedas, Valter Rebêlo, comenta sobre o processo de regulamentação das criptomoedas ao redor do mundo

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa tira uma lasquinha da festa das bolsas globais e sobe mais de 1% na semana; dólar recua após atuações do BC

Com uma bolsa descontada após as turbulências recentes, o Ibovespa tinha tudo para chegar cedo nessa festa, mas foi preciso que o Banco Central assumisse a condução para que a B3 tivesse uma chance.

ALGUNS BILHÕES A MENOS

Nubank prepara IPO com listagem na Nasdaq e na B3 até o fim deste ano, mas deve baixar a pedida no valuation

Meses atrás, a startup buscava ir a mercado avaliada em cerca de US$ 100 bilhões; veja o novo valor de mercado segundo o Broadcast

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies