Menu
2021-01-06T19:01:58-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
Ai, que luxo!

Vendo espaço para crescimento, XP recomenda compra de JHSF

Corretora calcula potencial de alta de 31,8% das ações, citando ambiente positivo para imóveis e foco em clientes abastados

6 de janeiro de 2021
12:28 - atualizado às 19:01
Campo de golfe da Fazenda Boa Vista, empreendimento da JHSF
Campo de golfe da Fazenda Boa Vista, empreendimento da JHSF. - Imagem: Divulgação JHSF

Com muito espaço para expandir suas atividades e apresentando uma alocação eficiente de capital, as ações da JHSF (JHSF3) são um luxo só, atraindo a atenção da XP Investimentos.

A corretora iniciou a cobertura das ações da empresa com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 9,70, o que representa um potencial de alta de 31,8% em relação à cotação em que fecharam na terça-feira (6).

Os analistas Renan Manda e Lucas Hoon calculam que os papéis apresentam um múltiplo P/L (indicador que mostra quanto os investidores estão dispostos a pagar pelo lucro gerado) de 25 vezes para 2021, mesmo registrando uma performance positiva de 11,6% no ano passado.

A avaliação, porém, não surtiu efeitos positivos nos papéis no pregão desta quarta-feira (6). As ações passaram o dia em baixa e fecharam com perda de 3,67% a R$ 7,09.

Grande potencial de crescimento em imóveis...

O principal ponto da tese de investimento da XP é que a JHSF deve se beneficiar pelo ambiente positivo para o setor imobiliário nos próximos anos. Eles destacam que a companhia possui um grande estoque de terrenos, servindo de suporte para seu plano de crescimento. 

As medidas de distanciamento social impostas para conter o avanço da covid-19 desencadearam uma demanda por moradias amplas ou localizadas fora das grandes cidades, especialmente por pessoas das classes mais elevadas de renda, público-alvo da companhia.

“Como resultado, a JHSF tem se beneficiado dessa recente tendência, oferecendo empreendimentos residenciais de alto padrão nas proximidades da principal região comercial de São Paulo, bem como no entorno da cidade (por exemplo, Fazenda Boa Vista, um loteamento de luxo lançado em 2007)”, diz trecho do relatório.

... Como também em shoppings, hotéis e restaurantes

Não é apenas na frente imobiliária que o robusto banco de terrenos vai ajudar a JHSF. Os analistas da XP Investimentos consideram ele é suficiente para as demandas dos segmentos de hospitalidade e restaurantes, shopping centers e projetos multiuso.

No caso dos shoppings, a empresa tem um grande potencial de crescimento por meio de novos empreendimentos (greenfields) nos próximos anos, com potencial de aproximadamente 68 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) adicionais, que já foram adquiridos e pagos.

Assim como a parte de imóveis, o segmento de shoppings da JHSF possui alta exposição a famílias de maior renda, que tendem a ser menos impactadas durante crises, pois geralmente possuem maior renda disponível.

Ainda que a covid-19 tenha restringido as atividades comerciais, os analistas esperam maior resiliência no curto prazo e espaço para crescimento mais acelerado das vendas dos lojistas nos próximos meses, principalmente no Shopping Cidade Jardim e no Catarina Fashion Outlet.

Já a parte de hospitalidade e restaurantes foi duramente prejudicada pela pandemia, mas exibe sinais de recuperação, após a JHSF tomar medidas como corte de custos e adoção de serviço de entrega.

“Olhando para frente, vemos espaço para a empresa continuar expandindo suas operações, principalmente por meio dos restaurantes Gero Panini, que possuem preços médios menores (couvert médio de R$ 200), mas margens maiores devido ao maior consumo de bebidas alcoólicas”, diz trecho do relatório.

Já o seu aeroporto executivo, localizado em São Roque, a 60 quilômetros de São Paulo, atende a uma demanda da parcela mais abastada da sociedade, ao oferecer um serviço de alta qualidade. Nos primeiros meses de operação, a JHSF alugou todos os 60 espaços, que é a atual capacidade, e pode expandir ainda mais a infraestrutura.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

FII DO MÊS

Os melhores fundos imobiliários para investir em maio, segundo 10 corretoras

O fundo preferido das corretoras no mês está exposto ao segmento de supermercados, hipermercados e atacarejos e engatou duas vitórias consecutivas em nosso ranking

O melhor do Seu Dinheiro

A Pedra Filosofal do mercado financeiro e mais destaques da noite

O minério de ferro converteu-se na pedra filosofal dos mercados: tudo o que toca, vira ouro — como as ações da Vale e das siderúrgicas

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mercado Financeiro e a Pedra Filosofal

De certa maneira, o mercado financeiro está cheio de alquimistas: tentam transformar dinheiro em mais dinheiro. Ações, câmbio, títulos de renda fixa, fundos imobiliários — no fim, o objetivo dos investidores é multiplicar o patrimônio. O problema é que não há fórmula mágica. Nem sempre as poções funcionam; na verdade, é relativamente comum que o […]

FECHAMENTO

Commodities dão força extra e bolsa fecha o dia em alta firme enquanto NY fica no vermelho

Com o exterior negativo, restou ao setor de commodities e energia salvar o Ibovespa da cautela. O dólar à vista aproveitou e teve um dia de leve queda

Oferta de ações

Softbank deve participar do IPO da Dotz, dizem fontes

Mesmo com a participação do fundo japonês e da presença de dois investidores-âncora, a demanda pelas ações da Dotz no IPO ainda está apertada, segundo fontes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies