Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-25T07:39:41-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
novas baixas

Quatro diretores da Petrobras pedem para não serem reconduzidos aos cargos

Decisão ocorre antes da posse de Joaquim Silva e Luna no comando da estatal, cuja indicação foi cercada de polêmica

25 de março de 2021
7:39
Petrobras Vale Gás
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A Petrobras (PETR4) deve sofrer novas baixas antes da posse do general Joaquim Silva e Luna como novo presidente.

A empresa anunciou na quarta-feira (24) que quatro diretores comunicaram ao conselho de administração que não têm interesse de renovar seus mandatos por um novo período. Eles são:

  • Andrea Almeida, diretora financeira e de relacionamento com investidores;
  • André Chiarini, diretor de comercialização e logística;
  • Carlos Alberto Pereira de Oliveira, diretor executivo de exploração e produção; e
  • Rudimar Lorenzatto, diretor executivo de desenvolvimento da produção.

Segundo a Petrobras, os mandatos de todos os diretores foram encerrados em 20 de março, mas foram estendidos até a escolha dos novos diretores pelos acionistas na assembleia geral extraordinária, marcada para 12 de abril.

De acordo com a empresa, os que pediram para não serem reconduzidos “estão comprometidos a cumprir rigorosamente com todos os seus deveres e obrigações até a posse de seus respectivos sucessores”.

Transição polêmica

A decisão dos quatro diretores de pedirem para não serem reconduzidos ocorre em meio à polêmica que se formou com a indicação do general Silva e Luna para comandar a Petrobras.

Sua escolha ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro se desentender com o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, a respeito da política de reajustes de preços, que segue as cotações internacionais do petróleo e dos combustíveis.

A alta dos preços dos combustíveis tem pressionado a inflação, gerando insatisfação na população. E o encarecimento do diesel tem desagradado muito os caminhoneiros, uma base política de Bolsonaro e responsável pelo transporte de mercadorias pelo país. Uma paralisação da categoria é bastante temida no momento em que o país passa por uma crise econômica.

Castello Branco, por sua vez, sempre defendeu a política de preços, citando os prejuízos que a Petrobras enfrentou quando foi utilizada para evitar a escalada dos combustíveis, o que levou o governo a escolher um nome mais alinhado aos seus interesses.

A medida, polêmica ao ter sido tomada unilateralmente, passando por cima da governança corporativa da Petrobras, levou quatro conselheiros a também pedirem para não serem reconduzidos aos seus cargos, em sinal de protesto. Ela também resultou na queda de mais de 20% das ações da Petrobras no pregão de 22 de fevereiro.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: impasse dos precatórios deve pressionar bolsa hoje antes dos dados do varejo nos EUA

Além disso, no radar ficam o risco fiscal antes da eleição de 2022 e os dados da economia dos Estados Unidos, com destaque para os pedidos de auxílio-desemprego

NA B3

Ações do setor de saúde foram as que menos sofreram em agosto

Levantamento da Teva Índices mostra que os papéis do comércio e da construção foram os mais castigados no mês passado

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies