Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-24T10:26:23-03:00
Estadão Conteúdo
abrindo os trabalhos

Novo presidente da Petrobras diz a conselho que vai manter venda de ativos

General Silva e Luna fez um discurso para o conselho de administração dizendo pouco sobre questões centrais para a empresa

24 de abril de 2021
10:26
General Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobras, em coletiva de imprensa
28/08/2018 Pronunciamento sobre assinatura da GLO (Garantia da Lei e da Ordem) para Roraima (Brasília - DF, 28/08/2018) O então Ministro da Defesa General-de-exército Joaquim Silva e Luna. - Imagem: Isac Nóbrega/PR

Ao oficializar a sua entrada na presidência da Petrobras (PETR4), há uma semana, o general da reserva Joaquim Silva e Luna fez um discurso para o conselho de administração dizendo pouco sobre questões centrais para a empresa, como o futuro das privatizações.

Segundo fontes, o general quer prosseguir com o programa de venda de ativos, mas não chegou a detalhar como fará isso. Boa parte de sua fala foi focada na importância do corpo técnico e na intenção de valorizar os trabalhadores.

Mesmo em seu discurso de posse, o tema foi tratado superficialmente. Num evento virtual, aberto ao público, o militar reiterou o foco em ativos mais rentáveis e produtivos, de "classe mundial". Esse é o termo usado pelo corpo técnico da Petrobras para tratar dos campos mais valiosos do pré-sal, sobretudo Búzios, na Bacia de Santos.

Aos conselheiros, Silva e Luna não deu mais informações sobre quais áreas de exploração e produção de petróleo pretende manter. Também não adiantou como vai tratar o programa de venda de refinarias, embora tenha reafirmado a sua continuidade. Até mencionou a intenção de prosseguir com o plano estratégico elaborado pela gestão anterior e também de priorizar a venda das plantas. Mas não detalhou se o modelo será exatamente igual ao traçado por Roberto Castello Branco.

Não se sabe, por exemplo, se será mantido o projeto de vendas individuais da gestão passada, ou em blocos de refinarias, como proposto pelos ex-presidentes da estatal Pedro Parente e Ivan Monteiro.

Tema polêmico

O programa de venda de ativos é um tema de grande interesse do mercado financeiro, defensor da abertura do setor a novos agentes. O argumento é que, com mais investidores atuando, os preços dos combustíveis caiam e beneficiem os consumidores. O tema, no entanto, é polêmico.

Estudo elaborado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) demonstra a possibilidade de o monopólio nacional da Petrobras, com a privatização de refinarias, ser transformado em monopólios regionais.

Acadêmicos alegam também que o preço dos combustíveis nunca será menor do que o de importação, lastreado pela cotação do petróleo e do câmbio. Essa Política de Paridade de Importação (PPI) já é adotada pela estatal. Com isso, não seria possível os consumidores se beneficiarem de competição.

Silva e Luna não disse o que acha do assunto, assim como da política de preços dos combustíveis. Esses são os dois principais questionamentos do mercado, ainda não respondidos pelo novo presidente da Petrobras.

* As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

FECHAMENTO DO DIA

Auxílio Brasil segue pressionando a curva de juros, mas Ibovespa e dólar conseguem alguma recuperação

O Ibovespa bateu na trave e o Banco Central conseguiu segurar o câmbio, mas a pressão sobre as contas públicas segue castigando a curva de juros

Carros elétricos em alta

Para a Tesla (TSLA34) de Elon Musk, não há crise no setor automotivo: o terceiro trimestre teve lucro recorde

A Tesla (TSLA34) vai na contramão do restante do setor: a empresa de Elon Musk está vendendo mais carros e reportou um balanço forte no 3T21

AULA DE GIGANTES

De Round 6 a Mano Brown e Luiza Trajano, aprenda 5 ensinamentos para multiplicar seu patrimônio

Referências do mercado financeiro podem trazer insights relevantes para os investidores; confira algumas que o ‘Seu Dinheiro’ listou

Contornando o teto

Economistas veem ‘contabilidade criativa’ em negociação do Auxílio Brasil

Parte do benefício, com parcelas de R$ 400, deve ficar de fora da regra que comanda o avanço das despesas públicas brasileiras

De onde virá o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de recursos para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies