Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-05-14T23:55:11-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
produção em baixa

Netflix decepciona em novos assinantes, mas nega impacto da concorrência

Papéis da empresa negociados na Nasdaq caíam mais de 10% no after market; pandemia impactou em novas produções, com reflexo no balanço da companhia

20 de abril de 2021
17:57 - atualizado às 23:55
TV com o logo da Netflix
TV com o logo da Netflix - Imagem: Shutterstock

A Netflix divulgou há pouco uma drástica redução no número de novos assinantes durante o primeiro trimestre, em relação ao histórico recente da companhia. No entanto, a empresa negou que a decepção seja reflexo do aumento da concorrência.

Os papéis da Netflix negociados na Nasdaq caíam mais de 10% no after market, a US$ 588,12, embora no ano acumulem alta de 48% por conta do aumento de número de assinantes em meio à pandemia.

A covid-19 é justamente a razão atribuída pela empresa para a decepção com o número de novos assinantes no início deste ano. A plataforma da empresa ganhou 3,98 milhões de membros, mas analistas esperavam 6,2 milhões, segundo a Factset.

No mesmo período do ano passado, a Netflix ganhou 15,7 milhões de usuários.

Segundo a companhia, que agora conta com 207,64 milhões de assinantes, o avanço da covid-19 em 2020 impactou o ritmo das produções, o que levou a empresa a ter um catálogo de lançamentos mais enxuto no início deste ano.

"Não acreditamos que a concorrência tenha mudado no trimestre ou que esse tenha sido um fator relevante na variação dos resultados", disse a companhia em relatório.

A Netflix tem lidado com um avanço da concorrência em todo o mundo, depois de reinar praticamente sozinha no início da era do streaming. No Brasil, por exemplo, além da plataforma da companhia, o consumidor tem acesso a serviços como Amazon Prime e Globo Play.

Retomada e outros números

A empresa diz esperar uma retomada de um ritmo mais parecido com o de pré-pandemia a partir da segunda metade deste ano. A Netflix espera investir US$ 17 bilhões ao longo de 2021 em produções, se a pandemia permitir.

Ao contrário do Brasil, os Estados Unidos estão voltando à normalidade e já esperam um crescimento de 7% da economia neste ano, enquanto a vacinação avança no país.

Além do número de assinantes, o relatório divulgado nesta terça mostrou que a receita da Netflix cresceu 24% na comparação anual, para US$ 7,1 bilhões, em linha com as projeções da Refinitiv e da própria empresa.

O lucro por ação chegou a US$ 3,75, contra US$ 2,97 esperado por analistas. Já o lucro líquido chegou a US$ 1,7 bilhão, em uma alta de 140% na comparação com o resultado de igual período do ano passado.

A Netflix projeta lucro líquido de US$ 1,8 bilhão no segundo trimestre. A receita no período chegaria a US$ 7,3 bilhões, e o número de novos assinantes seria de 1 milhão, segundo expectativas da empresa.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Alta da Selic, bons números da Weg, IPO do Nubank e dividendos da Gerdau: veja o que marcou o mercado hoje

Há cerca de um mês, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que a autoridade não mudaria o “plano de voo” a cada novo dado da economia brasileira. Mas, veja só, a realidade obrigou a instituição a recalcular a rota: há pouco, o Copom elevou a Selic em 1,50 ponto percentual, ao […]

Referência em SP

Na corrida do setor de saúde, Rede D’Or (RDOR3) garante fôlego com a compra do Hospital Santa Isabel

O ativo está avaliado em R$ 280 milhões. Porém, conforme explica a empresa, seu endividamento líquido será deduzido na conta final da transação

Ser conservador compensa

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 7,75%

Agora até a poupança ganha da inflação projetada. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

MUDANÇA NOS JUROS

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom sobre a Selic

Veja o que ficou igual e o que mudou no comunicado do Copom a respeito da Selic; a taxa básica de juros foi elevada ao patamar de 7,75% ao ano

CRYPTO NEWS

Sobrevivendo aos altos e baixos do bitcoin: veja sete ensinamentos para os ciclos de criptomoedas

Manter a saúde mental e financeira é um desafio para os investidores do mundo cripto, especialmente em meio ao bull market atual

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies