Menu
2021-02-16T12:44:10-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
ativo ganha força

Mastercard, Uber e Twitter flertam com criptomoedas, após adesão da Tesla

Anúncios fortalecem a percepção de adesão institucional ao novos ativos e fazem o bitcoin subir 7% nesta quinta; ativo já avançou 60% só neste ano

11 de fevereiro de 2021
15:50 - atualizado às 12:44
bitcoin
Bitcoin deve ser visto como um investimento de longo prazo, com quedas abruptas durante ciclos de alta. - Imagem: Shutterstock

As criptomoedas ganharam nas últimas horas uma perspectiva de maior adesão do mercado financeiro, com Mastercard, Bank of New York (BNY) Mellon, Uber e Twitter indicando a possibilidade de aderir aos ativos.

A Mastercard começará a permitir que comerciantes nos Estados Unidos aceitem criptomoedas selecionadas em sua rede a partir do final deste ano, informou a companhia em um blog oficial nesta quarta-feira (10).

Já o BNY, o banco mais antigo dos EUA, também disse que deve aderir aos criptoativos, ao informar que pretende custodiar bitcoin e outras criptomoedas ainda neste ano.

Os anúncios fortalecem a percepção de adesão institucional ao novos ativos e fazem o bitcoin subir 7% nesta quinta-feira (11) - batendo o recorde intraday de US$ 48,364.06.

MasterCard e BNY seguem o anúncio da Tesla, que comprou US$ 1,5 bilhão (aproximadamente R$ 7,5 bilhões) em bitcoins - com o objetivo de diversificar as reservas da companhia, segundo o CEO, Elon Musk.

Uber e Twitter

Enquanto MasterCard e BNY mostram estar mais avançados no processo de adesão ao ativos, a Uber ainda estuda a possibilidade de aceitar o bitcoin como uma moeda para seus serviços, disse o CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, à CNBC nesta quinta.

"Se houver um benefício aí [em aderir ao bitcoin], se houver necessidade, nós o faremos", comentou o executivo - que destacou que a empresa não usaria a criptomoeda simplesmente para se promover.

Na quarta, o CFO do Twitter, Ned Segal, disse que a empresa considerava adicionar bitcoin ao seu balanço. "Pensamos bastante em como poderíamos pagar nossos funcionários em bitcoin, caso eles pedissem, ou como poderíamos pagar um fornecedor dessa forma, se fosse um desejo dele", disse.

O bitcoin escalou mais de 400% no ano passado e já acumula alta de mais de 60% desde o início de 2021, com o aumento da demanda de grandes investidores e a chegada do chamado "halving" - movimento de correção técnica que acontece a cada quatro anos.

Ao mesmo tempo em que o interesse do mercado cresce, o uso da criptomoeda - que não é regulamentada por nenhuma banco central - é questionado por autoridades locais. Na quarta, a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, disse que o "uso indevido de criptomoedas" era um problema crescente.

Cuidado com a montanha-russa

Aplicar em criptomoedas não é para qualquer perfil de investidor, por conta da alta voltatilidade do ativo. Mesmo quem optar por esse tipo de investimento não deve direcionar mais de 5% do seu patrimônio.

O especialista em criptos da Empiricus, André Franco, fala em comprar bitcoins aos poucos - mês a mês - para ver o dinheiro investido ganhar força no longo prazo. Fazer aportes de 100 reais mensais, por exemplo, dilui os riscos da volatilidade do mercado de criptomoedas, segundo ele.

É preciso também diversificar a carteira de criptomoedas, assim como se faz com ações, de acordo com o especialista.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Acordo firmado

EUA confirmam acordo com UE que suspende disputa comercial por Boeing e Airbus

Por meio do pacto, os dois lados concordaram em cancelar por cinco anos todas as tarifas autorizadas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) relativas ao caso

China

Investindo na China: conheça os riscos e oportunidades

Sendo um titã no mercado mundial há décadas, a China promete continuar crescendo consistentemente nos próximos anos. Vale a pena investir ou é arriscado? Esse é o tema do vídeo de hoje de Matheus Spiess, analista da Empiricus

MERCADOS HOJE

De olho no Copom e na Eletrobras, Ibovespa abre o dia em queda; dólar sobe

Na sessão passada, o otimismo com a perspectiva de mais vacinas disponíveis e a aceleração do calendário de vacinação levaram o Ibovespa a fechar em alta

Em clima de disputa

Dez empresas brigam por usinas da EDP Brasil

Segundo analistas, faz sentido a EDP Brasil vender suas hidrelétricas, uma vez que sua prioridade no País será a geração distribuída e a transmissão de energia

O melhor do seu dinheiro

Freud, Itaú e o ETF dos millennials, o que esperar da Super Quarta, o preço da passagem espacial e outros destaques

Freud dedicou parte de seus estudos a tentar desvendar a tal “alma feminina”. Até que um dia jogou a toalha e reconheceu estar longe de responder o que, afinal, querem as mulheres. Se o pai da psicanálise vivesse hoje, imagino que o objeto de curiosidade talvez fosse outro: os chamados millennials. A expressão surgiu para […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies