Menu
2021-05-24T21:15:16-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
em busca do próximo unicórnio

Grupo de venture capital Kaszek, que já investiu em Nubank e Creditas, levanta US$ 1 bilhão

São US$ 475 milhões para investir em empresas em estágio inicial na América Latina; restante será destinado a negócios mais avançados

24 de maio de 2021
20:00 - atualizado às 21:15
startup
Imagem: Shutterstock

A gestora de venture capital Kaszek — que tem Nubank, Creditas e QuintoAndar em seu portfólio — levantou US$ 1 bilhão para investir em startups na América Latina por meio de dois novos fundos.

No primeiro, chamado Kaszek Ventures V, são US$ 475 milhões para investir em empresas em estágio inicial (Seed, Série A e Série B). O restante será destinado a negócios mais avançados, por meio do Kaszek Ventures Opportunity II.

O anúncio reforça o bom momento para o ecossistema de inovação, impulsionado pelos juros baixos — que levam os investidores a buscar novas formas para remunerar o capital.

No ano passado, só no Brasil o setor recebeu R$ 19,7 bilhões em investimentos, segundo dados da Associação Brasileira de Startups (Abstartups). Desde 2011, o número de startups cresceu em média de 100% ao ano e alcançou a marca de 13,5 mil empresas.

Para o cofundador da Kaszek, Hernan Kazah, a América Latina reúne uma indústria tecnológica robusta e crescente, com ótimas startups emergindo mais do que em qualquer outra época.

"Com o dinheiro levantado, continuaremos apoiando a evolução do ecossistema de tecnologia local e apoiando os empreendedores em seus sonhos de construir empresas transformadoras", disse Kazah em comunicado.

Kazah e Nicolas Szekasy, ambos argentinos, criaram a Kaszek Ventures em 2011, depois de deixarem o Mercado Livre — que eles haviam fundado com Marcos Galperin.

"Nossa principal estratégia é fechar parceria com os fundadores mais extraordinários da América Latina", disse Szekasy. "Estruturamos a equipe da Kaszek para ajudar as startups a maximizar suas chances de sucesso".

A dupla foi a primeira a investir no Nubank, quando a empresa era "apenas um PowerPoint", segundo David Velez, cofundador e CEO da companhia que hoje vale cerca de US$ 25 bilhões.

Em uma década de atuação, a Kaszek diz que apoiou mais de 90 empresas, que levantaram juntas mais de US$ 10 bilhões. As regiões de maior atuação são Brasil, México e Colômbia.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies