2021-07-21T21:20:21-03:00
investimentos do bilionário

Elon Musk diz que pode inflar o preço do bitcoin, mas que não larga a criptomoeda

Segundo o bilionário, dentre seus investimentos fora da Tesla e da Space X, o ativo “lidera com vantagem”

21 de julho de 2021
21:20
Elon Musk, CEO da Tesla e atual homem mais rico do mundo - Imagem: Shutterstock

O CEO da Tesla, Elon Musk, disse nesta quarta-feira (21) que ainda tem criptomoedas como Ether, bitcoin e Dogecoin em sua carteira.

Segundo o bilionário, dentre seus "investimentos fora da Tesla e da Space X, o bitcoin lidera com vantagem".

"Se o preço do bitcoin cair, eu perco dinheiro", disse o empresário, no evento "The B Word". "Eu posso inflar [o preço da criptomoeda], mas não largo".

As falas e tweets de Elon Musk frequentemente impõem uma maior volatilidade aos criptoativos - a exemplo do movimento envolvendo a decisão da Tesla de não aceitar bitcoin.

Segundo Elon Musk, é possível uma revisão na posição da empresa caso haja avanço na sustentabilidade da energia empregada na mineração da criptomoeda.

O empresário disse que desde o anúncio da Tesla, além de uma queda nos preços do bitcoin, houve uma movimentação "massiva" buscando tornar os procedimentos mais sustentáveis.

"A Tesla não pode ser responsável por energias mais limpas e ao mesmo tempo não apoiar tais diligências para o bitcoin", disse, indicando ter observado uma "mudança" em direção à energias mais limpas..

"Essas movimentações me afetam financeiramente, mas se esta fosse minha preocupação, não teria feito", disse Elon Musk.

Um dos pontos destacados pelo bilionário como uma vantagem para o bitcoin é a possibilidade de realizar transações com baixo custo. O CEO da Tesla também avaliou que problemas técnicos para a moeda tendem a ser solucionados mediante o avanço da tecnologia.

Quanto à Dogecoin, o empreendedor indicou que "seria irônico" caso um criptoativo que começou com uma piada se tornasse resiliente.

O The B Word se descreve como um evento voltado a clarificar o papel do bitcoin, e contou com uma série de painéis sobre a criptomoeda.

O evento foi observado com grande interesse por investidores no tema, e explicou parte da volatilidade do ativo, que recuperou a marca simbólica de US$ 30 mil.

Às 19h46 (horário de Brasília), o bitcoin era cotado a US$ 32.080,00. Veja como foi o dia dos mercados na cobertura do Seu Dinheiro desta quarta-feira.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O MELHOR DA SEMANA

Ronaldo Fenômeno ficou maluco? Saiba como funciona a SAF, que permitiu ao craque pagar R$ 400 milhões pelo Cruzeiro

Conheça também os principais candidatos a Sociedade Anônima de Futebol e para que tipo de clube ela pode ser mais interessante

Dê o play!

Com a Selic acima de 10%, quais os próximos passos do BC? O podcast Touros e Ursos debate o futuro da taxa de juros

No podcast Touros e Ursos desta semana, a equipe do SD discutiu o cenário para a Selic e o BC em 2022. Até onde o Copom vai subir os juros?

Sinal amarelo

Marfrig (MRFG3) confirma participação em oferta da BRF (BRFS3), mas não poderá assumir o controle da empresa; entenda

Segundo um comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários hoje, as compras da Marfrig estarão limitadas a sua participação acionária atual

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa no azul apesar da volatilidade, bitcoin no vermelho e imbróglios com FII e Oi: o que marcou o mercado nesta sexta

Numa semana marcada pela escalada das tensões entre Rússia e Ucrânia, decisão de juros nos Estados Unidos e um discurso mais hawkish (duro contra a inflação) por parte do presidente do banco central americano, Jerome Powell, o Ibovespa conseguiu, mais uma vez, acumular alta. E as bolsas americanas – pasme – também. A sexta-feira (28) […]

DESINVESTIMENTOS

Em negócio bilionário, Petrobras (PETR4) vende ativos na Bacia Potiguar para subsidiária da 3R Petroleum (RRRP3); saiba quanto entrou nos cofres da estatal

A bola da vez é um conjunto de 22 concessões de campos de produção terrestre e de águas rasas, juntamente à sua infraestrutura de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento