Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-18T12:28:25-03:00
Larissa Vitória
Esnobada do craque

Cristiano Ronaldo não gosta de Coca-Cola. Qual o prejuízo para a imagem da empresa?

Diversos sites de notícias atribuíram a queda de 1,6% das ações da empresa ao “efeito CR7”, mas o movimento foi aparentemente temporário

15 de junho de 2021
18:32 - atualizado às 12:28
Cristiano Ronaldo CR7 Coca-cola
Imagem: Reprodução da internet

Quem nunca aconselhou aquele familiar ou amigo a fazer escolhas alimentares mais saudáveis? Eu mesma já pedi diversas vezes para que os meus pais não consumam tanto refrigerante. 

Mas uma coisa são as sugestões que uma repórter razoavelmente desconhecida e com pouco poder de influência faz na privacidade do lar. Outra é o gesto de um dos jogadores mais famosos da atualidade em uma entrevista assistida por milhares de pessoas.

Foi exatamente isso que aconteceu durante uma coletiva de imprensa da Eurocopa na última segunda-feira (14). Cristiano Ronaldo, astro da seleção Portuguesa e jogador da Juventus, se preparava para começar a falar quando retirou duas garrafas de Coca-Cola da mesa à sua frente

Como se não bastasse esconder o produto de um dos patrocinadores oficiais do torneio, CR7 ainda pegou uma garrafa de água e deu a entender que aquela seria a bebida mais indicada.

Qual o prejuízo do gesto para a marca do refrigerante mais popular do planeta? Os sites de notícias se apressaram e logo atribuíram a queda de 1,6% das ações da Coca-Cola nas mínimas do dia ao “efeito CR7”, o que representa uma perda de US$ 4 bilhões na bolsa.

Se o movimento com as ações de fato teve relação com o jogador, ele foi temporário. Os papéis recuperaram boa parte das perdas e fecharam o pregão em queda de apenas 0,25%. Agora no “after hours”, inclusive, as ações estão em leve alta.

Seja como for, uma rejeição pública por uma personalidade como Cristiano Ronaldo sem dúvida provoca um estrago na imagem de qualquer companhia — e com a Coca-Cola não é diferente. 

De outros carnavais

Esse não é o primeiro ataque direto do craque português à empresa. No ano passado, Cristiano Ronaldo já havia deixado escapar o que pensa sobre seus produtos ao comentar a alimentação de seu filho mais velho.

"Sou duro com ele, às vezes, porque ele bebe Coca-Cola e Fanta. Eu fico irritado com ele quando ele come batata frita e tudo o mais, e ele sabe que eu não gosto. Até meus filhos menores, quando eles comem chocolate, sempre olham para mim", disse na época.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

IPO adiado

Bluefit: nem desconto de 20% garante estreia da rede de academias na bolsa

Inicialmente estimado em R$ 600 milhões, IPO da rede de academias de baixo custo agora deverá ter o valor reduzido e envolver apenas investidores institucionais, como fundos e fundações

Tensão EUA-China

Executiva da Huawei detida no Canadá em 2018 volta à China após acordo com os EUA

Confinada à cidade de Vancouver há quase três anos, onde havia sido presa sob acusação de fraude, CFO da Huawei, Meng Wangzhou, protagonizou incidente diplomático entre Canadá, EUA e China

o melhor do seu dinheiro

Mercados na semana: O destino da Evergrande, uma análise da Vale e seis ações indicadas por analistas

A semana que termina nos mercados foi marcada pela incerteza quanto ao futuro da incorporadora chinesa Evergrande e seus desdobramentos sobre a economia global. A crise na empresa, que tem um passivo oscilando à beira da insolvência, é consequência do aperto monetário e regulatório sobre o setor promovido pelo governo chinês desde o final do […]

Estimativas

Carrefour (CRFB3) divulga projeção para Atacadão e estima R$ 100 bi em vendas em 2024

A projeção de vendas brutas da rede no exercício social que se encerrará em 31 de dezembro de 2021 é de R$ 60 bilhões

PODCAST MESA PRA QUATRO

Da Conga até o Tik Tok: Gretchen conta de sua carreira artística e como administra seu dinheiro

Aos 60 anos, Gretchen relata sobre sua independência financeira e histórias de família e de carreira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies