Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-18T12:28:25-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
Esnobada do craque

Cristiano Ronaldo não gosta de Coca-Cola. Qual o prejuízo para a imagem da empresa?

Diversos sites de notícias atribuíram a queda de 1,6% das ações da empresa ao “efeito CR7”, mas o movimento foi aparentemente temporário

15 de junho de 2021
18:32 - atualizado às 12:28
Cristiano Ronaldo CR7 Coca-cola
Imagem: Reprodução da internet

Quem nunca aconselhou aquele familiar ou amigo a fazer escolhas alimentares mais saudáveis? Eu mesma já pedi diversas vezes para que os meus pais não consumam tanto refrigerante. 

Mas uma coisa são as sugestões que uma repórter razoavelmente desconhecida e com pouco poder de influência faz na privacidade do lar. Outra é o gesto de um dos jogadores mais famosos da atualidade em uma entrevista assistida por milhares de pessoas.

Foi exatamente isso que aconteceu durante uma coletiva de imprensa da Eurocopa na última segunda-feira (14). Cristiano Ronaldo, astro da seleção Portuguesa e jogador da Juventus, se preparava para começar a falar quando retirou duas garrafas de Coca-Cola da mesa à sua frente

Como se não bastasse esconder o produto de um dos patrocinadores oficiais do torneio, CR7 ainda pegou uma garrafa de água e deu a entender que aquela seria a bebida mais indicada.

Qual o prejuízo do gesto para a marca do refrigerante mais popular do planeta? Os sites de notícias se apressaram e logo atribuíram a queda de 1,6% das ações da Coca-Cola nas mínimas do dia ao “efeito CR7”, o que representa uma perda de US$ 4 bilhões na bolsa.

Se o movimento com as ações de fato teve relação com o jogador, ele foi temporário. Os papéis recuperaram boa parte das perdas e fecharam o pregão em queda de apenas 0,25%. Agora no “after hours”, inclusive, as ações estão em leve alta.

Seja como for, uma rejeição pública por uma personalidade como Cristiano Ronaldo sem dúvida provoca um estrago na imagem de qualquer companhia — e com a Coca-Cola não é diferente. 

De outros carnavais

Esse não é o primeiro ataque direto do craque português à empresa. No ano passado, Cristiano Ronaldo já havia deixado escapar o que pensa sobre seus produtos ao comentar a alimentação de seu filho mais velho.

"Sou duro com ele, às vezes, porque ele bebe Coca-Cola e Fanta. Eu fico irritado com ele quando ele come batata frita e tudo o mais, e ele sabe que eu não gosto. Até meus filhos menores, quando eles comem chocolate, sempre olham para mim", disse na época.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Tartaruga x lebre

Warren Buffett está prestes a bater o retorno do fundo de empresas de tecnologia que brilhou na crise

As ações da Berkshire Hathaway, holding do bilionário, conseguiram lentamente se aproximar do retorno do ARK Innovation ETF, da badalada gestora Cathie Wood

Concurso 2446

Mega Sena acumula; confira os números sorteados e a previsão de prêmio para o próximo concurso

As dezenas sorteadas do concurso 2446 da Mega Sena foram 1-13-27-41-51-58. Próximo sorteio acontece no dia 25 de janeiro

Em busca de liquidez

WDC Livetech da Bahia (LVTC3) fará oferta para destravar negociações com ações para o pequeno investidor

Os papéis da WDC estrearam na B3 em julho do ano passado em oferta de ações restrita a investidores profissionais

Criptocrash

O que acontece com o bitcoin? 4 razões para o novo crash do mercado de criptomoedas

O bitcoin não é o mesmo desde que atingiu a máxima histórica de quase US$ 70 mil no início de novembro. Saiba as razões para o mau momento do mercado cripto

Sonho mais distante

Carro zero mais barato agora custa pelo menos 40 salários mínimos

Com alta de 27%, salário mínimo não conseguiu acompanhar o salto três vezes maior no período (83%) do preço do carro zero mais barato; confira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies