2021-04-12T18:32:13-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
novata na b3

Allied estreia na B3 em baixa, mesmo após reduzir pedida em IPO

Varejista de produtos de tecnologia realizou oferta restrita e precisou reduzir valor por ação para abaixo da faixa indicativa

12 de abril de 2021
13:04 - atualizado às 18:32
Imagem: B3

A distribuidora varejista de produtos eletrônicos Allied Tecnologia (ALLD3) estreou nesta segunda-feira (12) na B3, mas não do jeito que gostaria.

Depois de ter que reduzir o preço pedido pelas ações para R$ 18,00, abaixo da faixa indicativa de preços do prospecto da operação, que ia de R$ 20,00 a R$ 26,00, os papéis registram queda no primeiro dia de negócios.

A companhia fechou o dia em queda de 4,56%, a R$ 17,18, enquanto o Ibovespa subiu quase 1%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Fundada em 2001, a Allied é uma distribuidora varejista de produtos eletrônicos, de marcas como LG, Samsung e Apple. Controlada por fundos de investimentos geridos pela Advent International, a companhia conta com 150 lojas e cinco centros de distribuição.

A oferta foi do tipo restrita, destinada apenas a investidores qualificados e que não exige registro ou análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Foram ofertadas 10.476.204 ações ordinárias, nominativas e escriturais, sem valor nominal, das quais 10 milhões foram da oferta primária e 476.204, da secundária, levantando um total de R$ 188,5 milhões.

“Hoje é um dia muito importante para a Allied e eu estou muito orgulhoso em comemorar a nossa entrada na B3. A trajetória da Allied, ao longo dos seus 20 anos de vida, tem sido de constante inovação e crescimento. Agradeço aos nossos colaboradores e parceiros que nos auxiliaram ao longo dessa jornada e tenho confiança de que um futuro ainda melhor está por vir", disse, durante a cerimônia que marcou o início dos negócios da empresa na B3, o CEO da Allied, Silvio Stagni.

Os bancos contratados para auxiliar a empresa no IPO foram BTG Pactual, Bradesco BBI, Itaú BBA e XP.

Ainda segundo o comunicado, os recursos serão destinados para investimentos em tecnologia, serviços financeiros, com a expansão da Soudi Pagamentos (sociedade controlada da companhia) e aquisições de novos negócios e lojas.

Com a realização de seu IPO, a Allied passa a ser a 183ª empresa listada no Novo Mercado, segmento com os mais elevados padrões de governança corporativa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

SELEÇÃO DE ATIVOS

13º salário de 2021 cai na conta até amanhã! Veja onde investir se você tem perfil conservador

Consultamos especialistas e o veredito é unânime: no cenário atual o que não faltam são oportunidades, mesmo para os investidores menos inclinados ao risco

ECONOMIA X COVID

Economia monitora variante ômicron da covid-19, mas programas de auxílio dependem da PEC dos Precatórios; pasta evita falar em gastos fora do teto

Ministério da Economia evita falar em crédito extraordinário, como acontece nos casos de guerras ou calamidades públicas

Black Friday em números

Varejo cresce 6,3% na Black Friday e vê crescimento de lojas virtuais com e-commerce aquecido; confira dados

Apesar do aumento em relação à Black Friday de 2020, o patamar de faturamento do varejo foi 9,1% inferior ao registrado em 2019

Desdobramentos da crise

Presidente da Latam, Roberto Alvo diz que recusou oferta ‘incompleta’ e ‘insuficiente’ da Azul

O conteúdo dela é confidencial”, afirmou, em entrevista coletiva. Procurada, a Azul não quis comentar

Solana no MB

Exclusivo: Solana (SOL), 5ª maior criptomoeda do mundo, chega Mercado Bitcoin com alta de mais de 12.000% no ano

A quinta maior criptomoeda do mundo vem conquistando o mercado porque se coloca como uma blockchain alternativa ao ethereum (ETH)